Stock Car – Expectativas para a etapa de Santa Cruz do Sul 2016

sexta-feira, 3 de junho de 2016 às 16:55
Átila Abreu

Átila Abreu

Allam Khodair: Nosso carro é bom. Problemas pontuais nos fizeram perder posições na tabela de classificação e precisamos reagir agora para chegar ao final do ano entre os pilotos que vão brigar pelo título. E Santa Cruz é local perfeito para isso. Gosto muito desta pista.

Átila Abreu: O tempo de treinos e o intervalo apertado é igual para todos, então os pilotos e equipes precisam se adaptar. É a segunda de quatro etapas do calendário com atividades apenas no sábado e no domingo. Na primeira, no Velopark, batemos um pouco de cabeça. Então agora vamos trabalhar para otimizar o tempo. Tenho que ser mais detalhista no check list depois de cada saída para a pista, para entregar aos engenheiros a melhor informação possível a fim de preparar bem o acerto para o quali. Partimos de uma base muito interessante, com um princípio de acerto eficiente, já adaptado para o meu estilo de pilotagem. Desde a etapa de Goiânia trocamos todo “power train” do carro #51 e os problemas de motor que tivemos também parecem estar solucionados. Então chego a Santa Cruz muito otimista para brigar por pole e vitória. Outro fator de atenção será o consumo dos pneus. Santa Cruz tem um asfalto bem abrasivo na reta, que já apresentava alguma deterioração na última vez em que andamos. Como é uma pista seletiva, de curvas de alta e de baixa, subidas e descidas, onde é preciso usar bem as zebras, será importante entender bem o funcionamento dos pneus.

Bia Figueiredo: É uma pista interessante, mas o asfalto é abrasivo e piora a cada ano. Conservar pneus e ser rápido é uma equação complicada.

Denis Navarro: Com a pista fria, os carros ficam mais rápidos. O consumo de pneu é menor. Tudo isso colabora – e muito – para um final de semana de corrida. Nosso início de ano tem sido bastante promissor. A rodada dupla de Goiânia, há duas semanas, ficou abaixo daquilo que a gente esperava, mas o mais importante é que conseguimos ficar na parte de cima da tabela. Agora a meta é subir e entrar na briga direta pelas primeiras posições.

Diego Nunes: Chegamos a quarta etapa, temos muito pela frente, mas precisamos somar pontos, o que é sempre muito importante. Quero focar em Santa Cruz do Sul, pois nosso time vem fazendo um trabalho muito bom, e alterar o último resultado saindo da cidade gaúcha com um bom resultado e subindo na tabela de pontos. Estou confiante, pelo bom trabalho que estamos fazendo. Santa Cruz do Sul tem uma pista com curvas de todos os tipos e bastante técnica, vamos trabalhar para ter um carro que seja veloz e bom em todos os trechos.

Felipe Fraga: Ainda é cedo para falar em disputa de título, mas o campeonato deste ano será ainda mais equilibrado se o formato da última rodada dupla for mantido, com muitos pilotos pontuando bem nas duas provas, já que é muito difícil agora alguém concentrar pontos nas duas etapas. Gosto muito da pista de Santa Cruz do Sul, onde tenho certeza de que a Cimed Racing vai novamente brigar pelas primeiras colocações.

Gabriel Casagrande: A pista de Santa Cruz do Sul e uma das minhas favoritas. O traçado é bem desafiador e o fato de já termos conquistados bons resultados nesta pista nos deixa bastante animados para a disputa deste final de semana. É hora de recuperar os pontos que foram perdidos em Goiânia.

Galid Osman: É uma pista muito técnica e para mim uma das mais difíceis do calendário. Nunca me adaptei completamente a ela. Esse ano se espera muito frio tanto na classificação quanto na corrida (a mínima anunciada é de 5ºC no sábado e 8ºC no domingo), e achar a calibragem para conseguir o aquecimento ideal dos pneus será o grande desafio.

Guga Lima: Santa Cruz do Sul é uma pista especial, por ter sido palco da minha primeira corrida na Stock Car, e já termos conquistado um top-15. Gosto bastante do circuito, é uma pista de alta velocidade, com uma reta grande, que dá pra fazer boas ultrapassagens no final. A expectativa para a etapa é a melhor possível, depois do meu melhor fim de semana na categoria, com o 9º lugar em Goiânia, então o objetivo é buscar uma boa classificação e depois focar na corrida. As possibilidades de estratégia são bem interessantes, dependendo de como estivermos, vamos para a primeira ou para segunda corrida, como fizemos em Goiânia. Com certeza, vamos trabalhar para melhorar esse meu melhor resultado, pois temos um carro competitivo e vamos seguir evoluindo.

Julio Campos: Não conseguimos ainda emplacar uma grande sequência, já que tivemos algumas dificuldades. Espero que em Santa Cruz do Sul a gente consiga embalar de vez. Esse sobe e desce no início da temporada é normal. Mas lá na frente pode acabar custando caro.

Lucas Foresti: Na última etapa a temperatura passou dos 50ºC. Nós pilotos levamos esse fator em conta em nossos treinamentos, mas claro que quanto menos calor, melhor. Isso torna a pilotagem mais agradável e ficamos menos encharcados. Mas também não precisa fazer tanto frio como está previsto para ser à noite. Por um lado estará um pouco frio, mas por outro lado não há previsão de chuva, o que é ótimo para o espetáculo. O público acampando e fazendo churrasco é parte integrante do cenário e dos eventos aqui no Sul. Sendo assim, o tempo bom proporcionará assim boas disputas na pista e churrascos maravilhosos fora delas. Quando o cheiro passa pros boxes é uma tortura dá uma baita fome!

Marcos Gomes: É ótimo chegar a Santa Cruz do Sul como líder do campeonato, ainda mais depois de um ano incrível com a Cimed Racing em 2015 quando ganhamos o título de campeão por pilotos e equipes. Mas ainda estamos no começo da temporada e o novo formato de rodada dupla que estreou em Goiânia mostrou que a pontuação será bem mais distribuída neste ano.

Rafael Suzuki: Estou animado para Santa Cruz do Sul, tenho evoluído bastante neste ano e, principalmente, o trabalho com a Geolab Racing tem sido muito positivo, esse entrosamento veio mais rápido do que eu imaginava até. Acredito que temos tudo para sermos competitivos novamente, o carro tem se mostrado rápido em todas as três pistas que já corremos na temporada e por isso temos uma boa perspectiva. Será fundamental encontramos um bom acerto para minimizar o alto desgaste de pneus na corrida, porque se tivermos que trocar os quatro pneus na corrida, perderemos muito tempo. Vou fazer meu melhor para trazer um grande resultado para a equipe.

Ricardo Zonta: É claro que no esporte o retrospecto nunca vence uma competição, mas no caso de um final de semana de treinos concentrados em um único dia é fundamental que a gente já tenha o carro com um bom ajuste inicial para ganhar tempo de pista e assim lutar pelas primeiras colocações desde o treino livre 1. É uma pista que exige bastante dos pilotos e, como teremos pouco tempo entre treino livre e classificação, não podemos cometer erros que possam comprometer o trabalho de ajuste do carro.

Thiago Camilo: Sempre gostei do circuito e sempre andei bem aqui, mas somente uma vez deu tudo certo. Será uma rodada dupla bastante estratégica, mas vamos ver se conseguimos encaixar as coisas novamente.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.