Stock Car – Comentários pós classificação – Salvador 2012

sábado, 25 de agosto de 2012 às 19:59
Allam Khodair em 2012

Allam Khodair

Allam Khodair, 3º colocado: Pelo menos deu para ficar entre os três para buscar uma recuperação amanhã, pois temos um carro bom para a corrida e largo do lado limpo da pista. A gente acabou sendo prejudicado, claro. O pneu não é mais ‘zero’, a calibragem sai do programado, o carro esfria e retomar tudo de novo para fazer uma volta só é complicado, ainda mais depois de ter abortado a primeira volta, que não havia sido boa. A volta acabou sendo de acordo com tudo isso que aconteceu, mas dava para ter brigado pela pole, pois já havia virado mais rápido que isso com pneus usados. Temos ainda uma corrida de 40 minutos pela frente e vou com tudo para conquistar mais uma vitória.

Luciano Burti, 4º colocado: Acho que está de bom tamanho, dava até para melhorar um pouco, mas todo mundo pode dizer a mesma coisa. O Cacá, o Khodair, Átila, todo mundo pode falar que não conseguiu a volta ideal. Circuito de rua é assim mesmo, é aquela questão de encaixar a volta perfeita. Aqui é sempre equilibrado e, apesar desta vantagem do Duda no treino, tenho certeza que a corrida será bem disputada. Apesar de estarmos em um circuito de rua, aqui você ultrapassa e é ultrapassado sem grandes dificuldades, em função do botão de ultrapassagem. Então, o piloto não pode errar.

Átila Abreu, 5º colocado: Acho que caiu um pouco a temperatura da pista durante o treino, e os últimos carros a entrar na pista tiveram mais dificuldade para atingir a temperatura ideal dos pneus. Não está mal. No ano passado, larguei em 12º e terminei em terceiro aqui. Então sair entre os cinco não é ruim. Em Ribeirão Preto neste ano, larguei em oitavo e também subi no pódio. Isso sinaliza que somos candidatos amanhã. Agora vamos ver o que o clima nos reserva, porque isso realmente é um fator imprevisível aqui nos últimos dias.

Ricardo Sperafico, 6º colocado: Largar nas primeiras filas é algo fundamental para a disputa de um bom resultado na categoria, em especial nas corridas de rua. Minha expectativa, na verdade, era até um pouco mais ambiciosa, já que tínhamos feito o segundo melhor tempo no último treino livre. Mesmo assim estou satisfeito e comemoramos bastante o resultado. Vou procurar aproveitar este bom treino classificatório para buscar um grande número de pontos e, quem sabe, mais um pódio. Conquistamos um bom resultado apesar da mudança nas condições da pista, que nos pegou de surpresa. A temperatura baixou um pouco e nossos pneus não esquentaram como deveriam. Com isso, perdemos aderência nas quatro rodas e passei bem perto do muro em algumas voltas. Foi uma classificação bastante difícil e, até por isso, valorizamos este sexto lugar.

Xandinho Negrão, 8º colocado: A equipe fez um bom trabalho. Circuito de rua engana um pouco, porque é diferente de pistas permanentes. Vamos esperar até a corrida seguinte em Cascavel para confirmar a evolução, mas o carro está bom com pneus usados e deve se comportar bem na prova.

Felipe Maluhy, 9º colocado: Perdi três décimos no segundo trecho e não consegui repetir a marca dos treinos livres. Caso contrário, sairia em segundo ou terceiro. Mesmo assim, estou contente porque consegui atingir a meta de largar entre os 10. Aliás, esse é objetivo também da corrida, chegar entre os 10. O carro está bom e a equipe competitiva.

Thiago Camilo, 10º colocado: É um circuito de rua, onde as ultrapassagens são difíceis, mais possíveis, ainda mais usando o push to pass (botão de ultrapassagem). Aqui o push dá muita potência para o carro, e temos direito a usá-lo oito vezes. Então será uma corrida de muita estratégia, um verdadeiro jogo de xadrez. Tenho que largar bem, e como provavelmente teremos bandeiras amarelas e relargadas, tentar segurar alguns tiros do botão de ultrapassagem para a segunda metade da corrida. Fomos muito bem no primeiro treino livre e no início do segundo. Quando botamos pneus novos, o carro não evoluiu tanto quanto os adversários. Tentamos uma mudança para a classificação que não funcionou, talvez o os pneus não tenham atingido a temperatura ideal. Eu também não fiz a volta perfeita, mas mesmo que fizesse não daria para brigar pela pole position, que era nossa pretensão.

Valdeno Brito, 11º colocado: Faltou muito pouco para conquistarmos um lugar na terceira fila, coisa de um décimo de segundo. Mas circuito de rua é assim mesmo, um pequeno detalhe pode fazer grande diferença, ainda mais em uma categoria tão competitiva como a Stock Car. Em todo caso, estamos otimistas para a corrida de amanhã. Temos um ajuste bom do carro em set up com pneus usados e o importante é sair daqui com bons pontos e seguir no top-5 do campeonato.Não haverá muito ganho de posição por conta da estratégia de box, então será preciso usar bem o botão de ultrapassagem para conseguir um bom resultado amanhã.

Galid Osman, 12º colocado: Foi um saldo positivo, mais uma vez estou largando entre os 12 primeiros. É a sétima corrida, tirando duas provas a minha pior posição de largada foi 13º. Tem vários grandes pilotos ao meu redor, então espero terminar entre os dez primeiros e pontuar bastante. Vai ser uma corrida com poucas ultrapassagens. E todo mundo vai largar com oito pushes, então tudo pode acontecer. Mas vai ser uma prova interessante, principalmente se não chover. Se chover, vai ser loteria.

Diego Nunes, 16º colocado: Vou largar no meio do grid e meu objetivo é pontuar para melhorar a classificação no campeonato. Se conseguir chegar entre os dez primeiros será um excelente resultado. O difícil é que, apesar de ser um circuito de rua com pontos de ultrapassagem, não é fácil passar aqui.

Antonio Pizzonia, 18º colocado: Fiquei muito otimista depois do treino da manhã, pois conseguimos um bom rendimento. Mas, a medida que a pista ficava mais rápida ao longo do dia, nós não conseguimos melhorar o carro, então precisamos investigar o que aconteceu. Na corrida, teremos de contar com acidentes e entradas do safety car para conseguirmos evoluir na classificação e somar pontos.

David Muffato, 19º colocado: Infelizmente, no treino classificatório o carro ficou muito dianteiro. Tanto que minha melhor volta foi a primeira. Na segunda, não deu nem para melhorar.

Tuka Rocha, 20º colocado: A gente teve uma quebra do eixo-piloto, então não andei com o jogo de pneu novo. Acabei perdendo horas de voo e numa pista que é importante andar muito. Fui direto para a classificação e no primeiro grupo. Consegui fazer o 20º e, olhando isso tudo, não é uma má posição. Se tivesse mais treino, poderia ter classificado bem melhor. Se chegarmos entre os 15 na corrida será bom. Vamos fazer o melhor possível depois de termos sido prejudicados por uma quebra. A corrida vai ser bem mais difícil, com certeza vai ter safety car, alguém vai bater. Na largada não tem muita chance de ganhar posição, é bem estreito. Quem chegar no fim vai se dar bem. Aconteça o que acontecer, vamos tentar o melhor, mas, se chover vai ser mais fácil de ir para a frente. Seria bem-vindo.

Eduardo Leite, 21º colocado: O 21º lugar não era o que eu esperava, mas foi bom, porque evoluímos com relação às últimas provas. Quero tentar chegar entre os dez primeiros. Vou largar por dentro e acho que posso ganhar algumas posições no final da freada, após a largada.

Pedro Boesel, 22º colocado: De fato, a gente andou um pouquinho para trás em relação ao que vinha fazendo. Fiquei relativamente satisfeito com a minha volta, tirando o primeiro setor, no qual perdi três décimos. Isso nos custou uma posição entre os 15. Além do mais, a gente saiu muito cedo, a pista estava bem mais quente do que no fim. Temos de analisar os dados da telemetria. Aqui não é um autódromo, mas uma pista de rua com características diferentes, o que pode ter comprometido um pouco a nossa receita que vinha dando certo. Mas vamos pensar na corrida, que deve ser de sobrevivência. Prefiro que seja no seco, pelo público que deve lotar. E circuito de rua já é perigoso, tivemos algumas batidas na classificação, e na chuva é muito complicado. É como andar de patins na pista de sala, se estiver ensaboado o risco aumenta muito. Mas se chover vamos tentar sobreviver. Se isso acontecer, terminaremos bem nos pontos.

Nonô Figueiredo, 24º colocado: Sair de trás em um circuito de rua, como o de Salvador, é muito complicado. As chances de ultrapassagens são poucas e eventuais acidentes podem acontecer e travar a corrida. Meu objetivo é aproveitar todas as oportunidades que se apresentarem e pontuar o máximo possível.

Denis Navarro, 32º colocado: Foi um dia complicado. Vinha numa volta boa quando o carro escapou e bateu. Circuito de rua não perdoa. Agora é tentar diminuir o prejuízo e aproveitar as oportunidades durante a corrida. Agora é deixar o sábado para trás e pensar no domingo. No molhado, é uma loteria bem maior. Choveu na sexta e no sábado logo depois do treino. Mas na minha situação a alternativa é uma só, no seco ou no molhado: vou tentar diminuir ao máximo minha desvantagem para os adversários, seja qual for a condição de pista.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.