Stock Car – Comentários de sábado – Goiânia 2019

Lucas Foresti

Gabriel Casagrande, P1: Nosso treino não foi muito bom, por isso fiquei feliz quando começou a chover. O carro sempre muito bom com a pista molhada e agora no seco era uma incógnita. Não sabíamos como estava a pista quando colocamos o pneu slick e só nos restava tentar o nosso máximo. Felizmente não cometi nenhum erro, acabei fazendo uma boa volta. E quero dedicar essa para o nosso amigo Tuka Rocha, que com certeza está nos olhando lá de cima. Aonde você estiver, essa é para você. Eu fui o último companheiro de equipe do Tuka na Stock Car e sei o quanto ele gostava disso, o quanto ele alegre independentemente da situação que ele estava passando. Era um cara sempre de bem com a vida, então temos que aprender com essas coisas, sempre sorrir para qualquer situação que apareça e foi o que aconteceu hoje.

Cesar Ramos, P3: Tenho que agradecer muito ao time da Blau Motorsport e aos mecânicos. Estava com problemas nos freios, algo que vem acontecendo constantemente ao longo do ano, e decidimos mudar todo o sistema. E a mudança deu certo. Depois de uma temporada tão complicada, conseguir este resultado em Goiânia devolve o ânimo para todo o time. Agora vamos brigar pela vitória amanhã.

Lucas Foresti, P4: O resultado de hoje foi muito importante para a gente. Contamos com a falta de sorte em algumas etapas, mas hoje foi diferente. O carro está muito bem acertado tanto para a pista molhada quanto para o seco e toda a equipe está de parabéns pelo resultado de hoje. Os dois carros do time avançaram ao Q3 e vão largar no pelotão da frente. Estamos otimistas com um bom resultado. Tivemos condições de pista bem variadas hoje. Andamos bem em todas, fizemos o melhor tempo no Q1 e garantimos um lugar na segunda fila. Vamos brigar por bons resultados amanhã.

Felipe Fraga, P5: Eu acho que a classificação não foi culpa da situação, não tínhamos um carro tão rápido no Q2. Acredito que a maior diferença foi no Q2 e fez com que largássemos em quinto. Continua bom para a equipe, mas a busca é sempre pela ponta. Então agora veremos o que acontece amanhã na corrida. Faremos nosso melhor e vamos tentar fazer uma boa corrida.

Felipe Lapenna, P8: Hoje foi um dia legal, sabia que tinha chances de chuva, eu estava torcendo pra isso, não estávamos muito bem no seco. Faltou muito pouco para entramos no Q3, mas amanhã temos uma corrida longa, os carros que estão na minha frente não são os carros rápidos de todo o ano, então temos bastante chances de ir pra frente na corrida e tentar chegar no pódio, quem sabe.

Nelsinho Piquet, P9: Fiz o quinto tempo do meu grupo no Q1, mas quando o segundo grupo foi para a pista a chuva parou, as condições melhoraram e, por sorte, não fui ultrapassado. Dos 13 pilotos deste grupo, 10 entraram para o Q2. Então, foi um final com emoção. Infelizmente no Q2 faltou um pouco e não conseguimos ficar entre os seis primeiros para passar para o Q3. Mas vamos largar em nono, um pouco longe das confusões que normalmente acontecem no meio do grid e isso pode ajudar a nossa estratégia.

Marcel Coletta, P11: Estamos muito rápidos no seco, bem mais rápido do que na chuva. Como vou largar por dentro, é melhor porque a primeira curva é de raio longo. É difícil de encontrar um espaço por dentro e obviamente quem está por fora acaba espalhando, então estamos em uma boa posição de largada. Eu acho que temos de tudo para fazer duas grandes corridas. Vamos para cima e tentaremos um pódio amanhã.

Gaetano di Mauro, P12: Agora é tentar entender qual será o nosso ritmo na primeira corrida e tentar jogar se será a corrida 1 ou a 2. Eu tinha um bom carro no seco, na chuva, quando estava mais molhado, estava legal. Foi secando, e no Q2 poderíamos ter feito uma estratégia diferente no acerto do carro, o que nos tirou essa chance. Mas faz parte, é difícil saber, difícil adivinhar. Vamos buscar amanhã.

Allam Khodair, P13: Nosso carro é equilibrado, tem um bom ritmo e, não fosse um superaquecimento do motor que me forçou a parar e religar o carro enquanto eu estava em volta rápida, estaríamos no Q3. Agora vamos focar em uma boa estratégia para ir ao pódio na segunda corrida.

Valdeno Brito, P14: Estava animado para tomada de tempo, com carro rápido, mas com a chuva o carro não respondeu da forma esperada. Faltou acertar o equilíbrio, mas foi todo mundo meio no escuro, ninguém treinou nessa condição, então ficou difícil acertar de primeira. Foi o máximo que conseguimos fazer.

Rafael Suzuki, P15: Perdemos uma oportunidade de ir melhor. No Q1 eu já não senti um ritmo bom, mas conseguimos passar. No Q2 tentamos remediar, mas não funcionou. Não senti um equilíbrio legal para fechar entre os dez. Vamos pensar na corrida. Em condição de pista seca o carro está bom, então vamos ver a melhor estratégia.

Cacá Bueno, P16: Hoje eu não merecia isso. Acho que demoraram muito para abrir para a classificação por conta da chuva. Não é só ter a pista em melhores condições possíveis, tem que se pensar que existem dois grupos. Não se pode esperar a pista secar tanto para começar porque logicamente causaria uma diferença de performance muito grande entre o grupo 1 e 2, que foi o que aconteceu. Estava entre os dois primeiros sempre no Q1, até que fui superado na última volta. Agora vamos ter que pensar em estratégias para a corrida 2 amanhã.

Ricardo Zonta, P17: O carro estava muito bom na chuva e também no seco. Em todas as condições, o carro se comportou muito bem. Na classificação, abri a minha última volta, com a pista secando, e ainda faltava um minuto mais ou menos, com outros carros atrás de mim. Vários carros abriram a última volta um minuto depois de mim. Então, as condições vão mudando, e um décimo que seja, que você abre um minuto depois, ele vem. Fechei a minha volta em segundo, e os outros foram vindo e fiquei em sétimo. No grupo 2, a chuva parou, vários pilotos começaram a baixar, e, com a bandeira vermelha, deu mais dois minutos de diferença para secar ainda mais a pista e eu perder a 15ª posição que seria o limite para eu ir ao Q2. É uma pena. Não é justo. Nessas condições, quando chove, deveria abrir para todos classificarem juntos, seriam condições iguais para todos. A Stock Car poderia analisar melhor as condições de chuva quando tem classificação, para colocar todos os carros juntos. Aí, as condições seriam iguais para todos.

Rubens Barrichello, P19: Essas situações, podem ser super positivas, como não. Tem horas que pode favorecer, tem horas que não tem jeito. Não dá pra reclamar disso. Para falar bem a verdade, acredito que a melhor chance do grupo 2, foi devido à bandeira vermelha. Deu mais tempo para a pista melhorar. Uma pena, mas não temos muito o que fazer. Já fui favorecido em outras situações. Hoje não foi o caso. Acredito que estamos mais competitivos aqui em Goiânia do que nas duas últimas corridas. Amanhã, temos de ficar muito em cima de estratégia. O líder do campeonato larga em sétimo e o nosso objetivo é fazer mais pontos do que ele. E assim manteremos as portas abertas para termos chances de ainda lutar na última etapa em São Paulo. Mas o carro está melhor, estou confiante.

Julio Campos, P20: O final de semana começou com o carro muito rápido, no treino de hoje de manhã não utilizamos o melhor pneu para o treino, mesmo assim fiquei entre os 17. Então, tínhamos potencial para ficar entre os cinco primeiros no classificatório tranquilamente. E aí choveu na hora da tomada de tempo e acabou que eu não consegui encaixar a melhor volta. Para piorar, a pista secou para o segundo grupo e muitos pilotos do primeiro perderam posições devido a isso. Com certeza, se todos tivessem andado na mesma condição, o resultado não seria esse. Fiquei fora por dois décimos.

Átila Abreu, P22: Nosso carro com pouca água sempre se mostrou ruim, enquanto com mais água se mostrou competitivo, como no Velo Città, onde ficou muito traseiro quando começou a secar. Logo que eu saí, o carro já era um pouco traseiro. É óbvio que eu fiz uma volta que no momento me deixava entre os cinco, seis primeiros, mas eu tomava muito num trecho só em que a traseira mais me afetava. Na última volta, obviamente fui tentar buscar um algo a mais porque sabia que a pista iria melhorar. Acabou que o freio travou, e perdemos a volta, passei reto. Por algum motivo, o meu carro estava com muito freio na frente, porque passei o freio para trás o que costumamos passar, e não foi nem a metade do que deveria ter passado. Isso nos complicou um pouco, mas foi muito mais pela nossa falta de performance nessa condição de pista, porque alguns carros passaram. Vamos trabalhar para amanhã, ver qual condição, sol ou chuva, nosso carro estava muito bom no seco, sofremos apenas nas retas, como na outra corrida aqui, o que não foi solucionado. Se acharmos a velocidade de reta, teremos um carro competitivo para uma corrida de recuperação.

Galid Osman, P25: Foi bem injusto. Todos deram cinco voltas na classificação, e até a minha quarta volta, eu estava garantido, bem. Mas na última volta bloqueou meu freio, a pista estava mais seca, e infelizmente não consegui dar uma boa volta. No segundo grupo, foi secando a pista, foi uma fatalidade. Vamos para a corrida 2 amanhã.

Tuca Antoniazi, P28: Particularmente, achei que ia ser um pouco mais fácil de pilotar em comparação com o Stock Light na chuva. O carro estava um pouco traseiro, mas não tenho do que reclamar. Foi fantástico. Espero tempo seco amanhã e uma corrida limpa.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.