Williams considera entrada no mercado de ações

f_williams
A Williams está considerando o passo radical de um levantamento público de ações a fim de assegurar sua saúde financeira a longo prazo, anunciou a equipe nesta sexta-feira.

Após muitas especulações a respeito da situação financeira da organização baseada em Grove nos últimos meses, depois da saída de vários patrocinadores no final do ano passado, a equipe respondeu mapeando sua visão para ajudar seu futuro financeiro.

Uma declaração do chefe da organização, Frank Williams, disse que uma entrada no mercado de ações seria um impulso, mas também ajudaria a garantir sua sobrevivência a longo prazo.

“Há alguns anos, venho considerando como assegurar a propriedade de longo prazo da Williams de tal modo que ela permaneça fiel às metas que Patrick e eu estabelecemos quando fundamos a equipe em 1977”, afirmou Williams.

“Na época, minha meta era correr na Fórmula 1 como um construtor independente. Essa sempre foi minha grande paixão, e correrei enquanto continuar sendo abençoado com boa saúde. Também é meu desejo que a equipe esteja em boa forma para seguir correndo muito tempo depois que eu me for”.

“Para isso, é prudente e necessário planejar uma estrutura de propriedade que permita que a Williams seja uma construtora independente, controlada por pessoas comprometidas com a Fórmula 1 e as práticas de negócios que nos apoiaram ao longo de três décadas”.

“Eu concluí que a opção que melhor alcança isso é ampliar nossa base de ações com acionistas públicos, enquanto mantemos um núcleo estável de investidores de longo prazo envolvidos no comando da organização. Isso garantirá estabilidade, bom comando, e, acredito, nos permitirá atrair e manter as melhores pessoas e parceiros”.

“Portanto, Patrick, Toto e eu estamos examinando essa opção de perto, e se o ambiente for propício, podemos tomar uma atitude nessa direção em um futuro próximo”.

Williams e o co-proprietário Patrick Head sempre prometeram manter o controle total da equipe que fundaram, mas venderam uma parcela de 10 por cento para o empresário austríaco Toto Wolff no final de 2009.

Apesar de quaisquer atitudes iminentes para vender a equipe no mercado de ações, Williams deixou claro que vai manter sua posição como acionista majoritário e chefe. “Independente dos passos que dermos, continuarei sendo o acionista majoritário e chefe da Williams”, disse ele.

LS – www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.