Stock Car – Comentários pós corrida – Interlagos 2013

domingo, 3 de março de 2013 às 14:58
Tuka Rocha

Tuka Rocha

Tuka Rocha, 5º colocado: Os dois merecem, tanto a equipe, quanto eu, pois os dois vinham num trabalho muito bom no final do ano passado. A equipe me deu uma enorme confiança desde os primeiros treinos, acreditaram no meu potencial. Podia ser melhor na classificação. Mas conseguimos recuperar isso, porque temos um carro muito bom.

Allam Khodair, 7º colocado: Nunca podemos dizer que terminar a prova sétimo lugar é bom, mas diante de tudo que aconteceu na corrida, podemos ficar felizes. Com o problema nas pastilhas, eu tinha que antecipar muito a freada e isso complicou o nosso desempenho”, afirmou Khodair, que mesmo com todas as dificuldades mostrou ter um carro capaz de acompanhar os primeiros colocados. “Se não fosse este problema, eu não tenho dúvidas de que brigaria pela vitória. Ou, pelo menos, por um lugar no pódio. Nosso carro é muito bom. Com este sistema de pontuação, o importante é estar sempre marcando pontos. Foi isso o que fizemos hoje. Vamos para Curitiba bastante confiantes.

Fábio Fogaça, 9º colocado: Sensacional é a palavra. Porque eu tive um ritmo fantástico e, sinceramente, achei que não estaria tão preparado mentalmente e fisicamente nesta primeira etapa. Mas fiquei bem a corrida toda, o carro tinha um ritmo muito bom e o resultado foi melhor do que eu esperava. A estratégia foi certa. Achei legal porque foi uma decisão minha em conjunto com a equipe e vimos que já temos um entrosamento para esse tipo de situação. Infelizmente tivemos o problema do carro apagar na saída do pit, talvez por inexperiência minha mesmo, mas isso não tira o brilho de nada.

Rafa Matos, 10º colocado: Foi muito bom, mas nada fácil. Levei pancada de tudo quanto é lado, já na largada fui tocado, depois na Curva do Lago, de novo, e perdi três posições. Mas o carro estava muito bom, o trabalho da equipe foi perfeito e tomamos as decisões certas. É muito importante começar bem um campeonato longo e tão equilibrado e isso só aumenta a motivação para a corrida de Curitiba.

Galid Osman, 11º colocado: Foi uma pena o que aconteceu ontem, mas no fim das contas o 11º lugar foi importante, principalmente porque estou numa equipe nova, apenas em minha segunda temporada na categoria, e tenho como objetivo pontuar em todas as corridas.

Marcos Gomes, 13º colocado: Com um ótimo carro fui pra cima, fiz a segunda melhor volta da prova, mas aí no final a segunda marcha quebrou e nossa chance de um bom resultado foi embora. Uma pena, mas estou muito feliz por estar de volta, pelo trabalho que fizemos e pelo desempenho demonstrado, assim saio de Interlagos confiante no potencial do nosso conjunto. Agora vamos para Curitiba onde tenho tudo para ter uma etapa ainda melhor do que tive aqui em São Paulo.

Wellington Justino, 17º colocado: Foi bom terminar a corrida e ainda pontuar, principalmente porque tive um problema da metade da prova pra frente na direção hidráulica. Não fosse isso, poderia ter ido mais pra cima, porque o carro estava muito bom. Não tive problemas com os pneus e o carro tinha bastante aderência. Aprendi muito na corrida de hoje e agora espero estar mais competitivo em Curitiba.

Thiago Camilo, 19º colocado: Não foi o fim de semana que a gente queria. Na classificação faltou muito pouco para ficar entre os dez que disputariam a pole position. Depois, na corrida, o carro tinha um ritmo muito bom e poderia até brigar pelo pódio, mas o pneu começou a perder pressão e ia estourar se eu não parasse. A partir do segundo pit stop só me restava tentar pontuar, e foi isso que fiz. O campeonato está apenas começando e vamos para a próxima corrida, em Curitiba, pensando na vitória.

Ricardo Zonta, 23º colocado: A próxima corrida é na minha casa, em Curitiba, e vamos continuar trabalhando forte para conquistar um bom resultado com os dois carros.

Denis Navarro, 26º colocado: A corrida foi uma evolução, com certeza, mas ainda temos um pequeno pênalti no carro. O campeonato começará de verdade para mim em Curitiba. Vimos que temos um carro com ritmo de prova bom, e pelo que percebi neste final de semana, tenho certeza que o time terá um bom carro na próxima etapa.

Beto Cavaleiro, 27º colocado: O final de semana acabou como a gente queria. O principal era terminar a corrida sem nenhum acidente, sem nenhum erro, sempre respeitando muito os adversários. Acumulei boa quilometragem e senti bastante evolução desde sexta-feira. Não disputei posição com ninguém. Quando se aproximavam de mim eu abria e aproveitava para ir na referência. Andei algumas voltas assim atrás do Zonta e de outros pilotos experientes. Foi um ótimo aprendizado e fico contente por ter terminado a corrida.

Sergio Jimenez, 28º colocado: Não fiz uma boa largada. O carro estava bom, em um ritmo, OK. Já estava em décimo, e poderia ter terminado em oitavo pelo que vimos no final, mas foi uma pena que o pneu furou. Acho que foi alguma coisa que passamos na pista, pois tudo estava normal. Terminar entre os dez seria uma posição boa para quem está estreando na categoria.

Júlio Campos, não terminou: Saímos de Interlagos com uma sensação boa, apesar do abandono, porque estivemos competitivos durante todo o fim de semana. A pole position foi um momento muito importante para toda nossa equipe, e começar a temporada desta forma, ainda mais em Interlagos, é bastante animador. Temos boas expectativas para o restante do ano.

David Muffato, não terminou: Não foi a etapa que eu esperava, sem dúvida. Acabamos sofrendo com problemas mecânicos no motor durante a corrida, algo que já havia acontecido no sábado, mas fui andando até onde dava. Quando ficou impraticável recolhi o carro pro box. Uma pena, só que isso acontece. Estou bastante animado com a nova equipe e o trabalho que fizemos. Temos o potencial de andar muito bem, de brigar na frente, por isso vamos agora para Curitiba, a minha corrida local, em busca de um resultado melhor.

Felipe Lapenna, não terminou: Então fiz um bom pit-stop e voltei perto do pelotão que acabou ganhando a corrida. Se tivesse terminado, com o ritmo que a gente tinha, teria chegado em quinto ou sexto. Mas pifou um fusível de combustível e tive que parar. Um componente de R$ 1 tirou minha corrida hoje. Foi além da expectativa. A evolução foi muito rápida do primeiro para o segundo dia, tanto que na classificação fiquei só 0s4 atrás do pole. O pessoal da equipe ficou satisfeito também e vamos muito motivados para a próxima.

Rodrigo Sperafico, não terminou: Nosso carro era bom, sobretudo, para a alta temperatura do asfalto. Mas largar na parte de trás do grid é sempre difícil, porque é normalmente onde os incidentes acontecem. De qualquer maneira, o saldo desta etapa foi positivo. Tivemos um desempenho que já foi uma evolução da Corrida do Milhão, no fim do ano passado, e isso projeta um bom ano para nossa equipe.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.