Stock Car – Comentários pós corrida – Cascavel 2013

domingo, 1 de setembro de 2013 às 15:27

Sergio Jimenez

Sergio Jimenez, 4º colocado: Larguei bem, ganhei posição, tomei uns toques e me posicionei entre quarto e sexto na primeira metade da prova. Depois, o carro começou a melhorar bastante e fui para cima. Cheguei a ser segundo antes do safety car, e, quando a equipe me chamou para o pit. Ficamos conversando via rádio se trocaríamos, ou não, os pneus, o que acabou com a troca do composto traseiro direito. Caí um pouco, fui para 12º, tinha muita gente brigando na minha frente, tive que dosar os botões de ultrapassagem, mas fui passando um a um e tinha certeza que, com mais uma voltinha, dava para subir no pódio. Foi muito bom, só tenho que agradecer à Voxx Racing, pois esse é o caminho, essa é a posição que temos que ficar, e será assim daqui em diante no campeonato.

Allam Khodair, 5º colocado: Foi uma corrida fantástica. Tivemos muitos problemas nos treinos e não conseguimos nos classificar bem. Nossa corrida foi de superação. O volante ainda estava duro demais e foi uma corrida difícil. Mas fomos para cima. E, não fosse por detalhes, teríamos chegado ao pódio. Chegamos aqui com o espírito de ir para cima. Fizemos isso. Agora esperamos conseguir outros grandes resultados nas provas finais do campeonato.

Thiago Camilo, 6º colocado: Nosso carro andou muito bem em condições de corrida, com pneus usados, durante os treinos livres, mas não repetiu essa performance hoje. Algum ajuste que fizemos da classificação para a corrida não surtiu efeito. Dentro de todas as circunstâncias, ter saído daqui mais perto da liderança do campeonato foi positivo, mas poderíamos ter chegado bem mais perto.

Rafa Matos, 8º colocado: A equipe fez um trabalho muito bom, decidindo trocar o pneu, porque havia uma bolha. Tínhamos um ritmo bom durante a corrida. Infelizmente, na largada, fiquei espremido e perdi várias posições. Mas consegui me recuperar. Fui bem agressivo com o uso do push to pass (botão de ultrapassagem) no início e deu certo. Aprendemos muito nesta etapa. Erramos algumas vezes, mas acertamos também. Foi um final de semana muito produtivo. Cheguei em nono e o objetivo era terminar entre os 10. Avançamos mais uma posição no campeonato, o que nos deixa mais próximos de terminar entre os dez na temporada. Saímos daqui com o saldo positivo.

Valdeno Brito, 11º colocado: Foi um final de semana bastante movimentado e, se colocarmos na balança todo tipo de dificuldades que tivemos, o saldo de pontos foi positivo. Não entendi o motivo de minha punição na largada e inclusive quero conversar com os comissários de prova para entender a razão deste drive thru. Em todo caso, consegui ultrapassar diversos adversários e marcar pontos importantes, que nos deixam entre os primeiros na classificação do campeonato.

Diego Nunes, 12º colocado: Foi uma corrida muito boa, de longe a mais disputada do ano. Só com o (Allam) Khodair troquei seis vezes de posição. Pena que graças a esta competitividade, cheguei a andar em quinto, mas terminei em 12º. São coisas de corrida boa, mas o meu carro estava bom e vem melhorando a cada etapa.

Júlio Campos, 13º colocado: Novamente tivemos um carro competitivo em Cascavel, e essa era uma corrida para mais um pódio. Infelizmente o pit stop nos tirou da briga pelos primeiros lugares, mas mantivemos o Top-10 no campeonato e, nesta reta final, isto é muito importante. Fico feliz por toda a evolução que temos demonstrado nesta temporada.

Duda Pamplona, 14º colocado: O final de semana não foi do jeito que esperavámos, mas conseguimos terminar a corrida.

Denis Navarro, 15º colocado: A corrida foi tumultuada, como sempre é largando lá de trás. Perdi muitas posições na saída quando fui jogado para fora no Bacião. Vim recuperando, estava entre os dez primeiros, mas após a parada, o comportamento do carro estava estranho e acabei perdendo posições. Tínhamos carro para ir para cima e chegar entre os dez, pena foi ter largado no pelotão do meio para o fim do grid.

Popó Bueno, 17º colocado: Fiz uma boa largada: optei por ir na linha de fora e deu certo. Depois, consegui imprimir um ritmo bom, mesmo com alguma dificuldade em relação ao sistema de direção, que ainda não foi totalmente corrigido na corrida. Poderia ter chegado até mais à frente, não fosse o toque que levei do Galid (Osman), mas fiquei satisfeito em sair daqui de Cascavel marcando pontos. Foi uma conquista na raça.

Gabriel Casagrande, 19º colocado: Fiz o que tinha planejado: larguei entre os 20 primeiros – foi 16º no grid -, terminei a corrida e ainda pontuei na estreia”, comemorou Casagrande. “O carro é muito forte, tem muita estabilidade e quando aciona o push a gente gruda no encosto do banco. A equipe me deu um carro muito bom. Terminei cansado, mas feliz.

Fábio Fogaça, 20º colocado: Em vista do que foi o nosso sábado, ter terminado a etapa com um ponto a mais é motivo de comemoração para nossa equipe. Não tivemos um bom carro neste fim de semana, e creio que eu poderia ter tirado um pouco mais de velocidade do equipamento no treino de classificação. Mas a verdade é que tivemos mesmo um começo de etapa complicado, com tantos problemas acontecendo ao mesmo tempo, que fica até difícil identificar exatamente o que ocorreu. Ao menos, terminamos nos pontos. Tivemos uma etapa em ritmo surpreendente, por isso mesmo alguns pilotos tiveram problemas de pneu. No nosso caso, o pit stop roubou segundos importantes, que me deixariam um pouco mais à frente. Mas é aquilo que falei: diante de um fim de semana tão complicado como este, temos que olhar o lado positivo. Conseguimos recuperar posições e somar mais um ponto, o que me deixa bastante confiante para o Velopark.

Galid Osman, 21º colocado: No momento da batida com o Popó eu estava junto com o Nonô Figueiredo, que chegou em décimo na corrida. Certamente eu ia marcar pontos importantes, mas agora é pensar na próxima.

Rodrigo Sperafico, 22º colocado: Apesar de não ter marcado pontos, posso dizer que estou feliz por ter terminado a corrida, ainda que isso soe estranho. Mas, realmente, este é o sentimento pela evolução que conseguimos em nosso carro. A prova deste domingo não traduziu o nosso potencial. Melhoramos a cada treino e chegamos ao ponto de ter e melhor volta da prova até restarem poucos minutos para a bandeirada final. Isso cria uma expectativa muito boa para a etapa do Velopark.

Wellington Justino, 23º colocado: Largar atrás é sempre um problema. Você fica o tempo todo saindo de confusão, sendo tocado, então precisamos nos classificar melhor e sair do enrosco lá de trás. O carro estava muito traseiro na corrida. Usei muito o push no começo e, faltando oitavo voltas para o final, fiquei totalmente sem push. O pessoal veio passando e eu não tinha como me defender, porque eles tinham push e eu não.

Ricardo Sperafico, 25º colocado: Dia difícil aqui em Cascavel, não tem nem o que falar, apenas restabelecer a cabeça para a próxima etapa. 

Átila Abreu, não terminou: É lamentável que todo o trabalho profissional da equipe e também o meu tenha sido jogado no lixo por causa disso. Uma categoria do porte e relevância da Stock Car faz jus a mais profissionalismo nas decisões e julgamentos. Merece também pessoas mais comprometidas com isso, que também vivam do esporte a motor.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.