Stock Car – Comentários de sexta-feira – Cascavel 2015

sexta-feira, 28 de agosto de 2015 às 19:12

Valdeno Brito

Valdeno Brito, 2º colocado: Sem dúvida foi um ótimo início para nossa equipe, que já venceu aqui em uma etapa especial, que marcou a volta da Stock Car para esta pista tradicional depois de 20 anos sem corridas, e também esteve no pódio no ano passado. Nosso carro respondeu bem a todos os ajustes e está rápido tanto com pneus usados quanto melhores, o que indica que temos boas chances na classificação amanhã e nas duas corridas de domingo.

Galid Osman, 3º colocado: Eu adoro essa pista, é muito técnica, veloz, tem a curva mais difícil da temporada, o Bacião, e muitos bumps (ondulações). Desafiadora para pilotos e equipes, o que nos motiva em dobro. Vamos atrás de uma vitória.

Thiago Camilo, 4º colocado: É uma pista que em tese favorece meu estilo, mas onde nós nunca conseguimos um acerto para brigar por vitórias. Mas vamos com tudo, estamos trabalhando muito em cima do que já fizemos aqui para virar esse jogo. A Ipiranga RCM provou mais uma vez na Corrida do Milhão que se agiganta diante dos desafios, e aqui não vai ser diferente.

Gabriel Casagrande, 6º colocado: Estou muito contente de ter começado bem, e só temos que continuar trabalhando, melhorando o carro, e vamos brigar pelas primeiras posições. Espero que ambos os carros estejam bons na classificação que vai ser em uma temperatura bem parecida com a desse treino, e que a gente consiga um bom resultado.

Felipe Fraga, 7º colocado: Fomos segundo no primeiro grupo e o carro está muito bom. Senti uma evolução muito grande desde a etapa passada em Goiânia. Quero disputar a pole amanhã e o objetivo da etapa é buscar o máximo de pontos para ajudar o time no campeonato de equipes, onde estamos em segundo lugar.

Sérgio Jimenez, 8º colocado: Começamos bem! A pista melhorou um pouco no segundo grupo, a gente percebe porque eu fui o terceiro do grupo 1 e continuei na posição, passaram 5 carros pra frente. Os carros estão equilibrados, e agora é continuar evoluindo junto com a pista, a gente não pode perder essa linha. Sabemos que temos um carro bom para a corrida mas a gente peca na classificação. Trabalhamos muito nisso, acreditamos que demos uma evoluída, mas ainda falta, espero ficar amanhã entre os 5, ou 6, pra tentar dar um pulo na classificação.

Marcos Gomes, 10º colocado: A pista está boa, mas como foi a primeira vez que eu andei nessa pista com esse carro, tenho certeza que existe uma boa margem de melhora para o segundo treino livre e também para o classificatório. Estou feliz de volta aqui em Cascavel, onde venci duas vezes em 2013 e uma no ano passado.

Júlio Campos, 11º colocado: Precisamos trabalhar um pouco mais no equilíbrio do carro, mas saímos bem melhor do que em Goiânia.

Rafa Matos, 14º colocado: A corrida promete ser muito emocionante. Estarei pensando no meu filho e no meu pai em cada curva e quero ganhar o troféu em homenagem aos dois. O capacete é o principal item de segurança de um piloto. Por isso, resolvi retratar a imagem do meu pai nele. Sei que ele estará comigo me protegendo e transmitindo força para fazer uma ótima corrida.

Antonio Pizzonia, 17º colocado: Acho que podemos ser mais agressivos com a cambagem porque aqui não existem freadas críticas, que ameacem o travamento das rodas.

Allam Khodair, 20º colocado: Estamos fazendo alguns ajustes para preparar o carro para amanhã. O treino decisivo mesmo é o de sábado e estamos no caminho certo. O carro estava muito bom. Não aparecemos entre os primeiros porque optamos por não utilizar pneus novos. Sempre deixamos os compostos para o sábado.

Ricardo Zonta, 22º colocado: Como é comum nos treinos livres, a equipe fez dois caminhos de ajustes e testamos muitas coisas e a boa performance do Valdeno mostrou que estamos no caminho certo. Amanhã vamos usar este aprendizado que acumulamos com esta análise de set up e tenho confiança de que seremos competitivos.

Átila Abreu, 25º colocado: Testamos vários detalhes que podem ser fundamentais para a classificação bem como para a corrida. Usamos pneus mais novos e trabalhamos também de pneus velhos, para vermos a reação do carro ao longo da prova. Percebemos que com pneu mais velho o carro respondeu bem. Cascavel é uma pista onde não se pode errar, onde qualquer detalhe pode fazer a diferença, e o desgaste dos compostos é intenso. Por isso, podemos crer numa boa corrida. Temos que saber dosar o equipamento, até porque são duas corridas, uma mais longa, e a segunda que é mais curta, mas também bem ‘pegada’. Por isso, o acerto é fundamental, para podermos ser competitivos nas duas corridas.

Bia Figueiredo, 27ª colocada: No ano passado, não consegui conhecer tão bem a pista, mas tenho certeza de que é uma das mais desafiadoras do calendário. Hoje, mesmo com o problema que tivemos no ‘warm up’, conseguimos entender melhor o carro. Estamos tentando desvendar o acerto para o classificatório e para a corrida.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.