Stock Car – Comentários de sexta-feira – Campo Grande 2018

sexta-feira, 17 de agosto de 2018 às 19:37

Átila Abreu

Átila Abreu, P2: O carro se comportou bem, mas ainda não estou confortável com o acerto, embora tenha virado rápido. É um sinal positivo, fomos bem no treino e vamos comparar com o carro do Zonta. A pista veio melhorando durante o dia, mas está difícil de guiar por causa do asfalto. Mas se tiver que ser desconfortável para ser rápido, vai ser desconfortável. É questão de se adaptar, a pista é a segunda mais lenta do ano e arisca, pequenas coisas fazem a diferença.

Julio Campos, P3: Está claro que temos um carro rápido. É só o começo do trabalho, mas mostra que estamos no caminho certo.

Allam Khodair, P4: Foi um bom início de trabalho, que já deu uma ideia do caminho a seguir para voltar a largar na frente. O ritmo de corrida do nosso carro é bastante competitivo, mostramos isso na Corrida do Milhão, mas faltou largar melhor. Acredito que aqui em Campo Grande, saindo na frente, brigaremos pela vitória.

Felipe Fraga, P6: Foi um dia positivo para nós, estou feliz com o carro, mas ainda é sexta-feira. É melhor começar na frente igual o Marcos (Gomes) conseguiu, então vamos analisar os dados para estarmos ainda mais rápidos amanhã. A pista está com uma aderência boa, então acho que ninguém vai economizar pneus no classificatório, por isso vamos buscar a melhor volta em todas as fases do classificatório e tentar voltar a vencer aqui em Campo Grande.

Cacá Bueno, P7: O carro ficou muito bom depois da batida que tivemos em Goiânia. Eu gostei do dia, foi até mais proveitoso do que o resultado parece nos tempos. Nós estamos começando um caminho novo e ficamos apenas 0s2 da ponta, então foi ótimo. Eu estava um pouco mais longe do líder no treino da manhã, mas melhoramos na segunda sessão mesmo com pneus usados. Estou tentando buscar uma solução para o carro ser vencedor em todos os lugares e quem sabe esse seja o início do caminho.

Ricardo Zonta, P8: Ainda não estou muito satisfeito com o balanço do carro. A pista exige muito em certas partes da curva tentamos adaptar o carro e acaba piorando a outra parte. Ainda não achamos o comprometimento melhor para ter o carro bem balanceado. Mas estando entre os oito primeiros dá para analisar muitos dados, ainda mais que o Átila foi segundo.

Rafael Suzuki, P10: Foi um dia produtivo. Testamos muitas coisas. Não nos preocupamos muito em ficar lá na frente, mas acabamos ficando no final. Estou feliz com o desenvolvimento do carro, considerando que não usamos pneus novos. Com certeza, foi a melhor sexta-feira que tivemos até agora. Amanhã, como estou no segundo grupo, deixei para usar os pneus novos no último treino antes da classificação. Estou esperançoso. Agora é parar e estudar, pois testamos muitas coisas e precisamos colocar tudo junto pra fazer uma boa classificação.

Thiago Camilo, P13: A pancada forte que levei na Corrida do Milhão (Camilo rodou e foi atingido por Cacá Bueno) fez com que trocássemos de chassi. Já deu para ver que o chassi é bom, agora estamos fazendo ajustes específicos para as condições da pista de Campo Grande, onde não andávamos desde 2015.

Cesar Ramos, P15: O primeiro trecho acabou minando nosso desempenho. Fizemos alguns testes de acerto no carro que não funcionaram, então vamos buscar melhorar isso para amanhã.

Antonio Pizzonia, P16: As duas sessões foram boas, bem produtivas. O que aconteceu na segunda é que a gente quis testar uma opção de ajuste, mas não surtiu efeito, então vamos voltar para o que tínhamos, que é um caminho bastante bom.

Nestor Girolami, P18: Foi tudo muito bom: a adaptação com a equipe, com os mecânicos e engenheiros. Muito legal voltar à Stock Car. Terminar o primeiro treino em terceiro foi muito bom. No segundo treino, ficamos em primeiro por bastante tempo, mas colocamos pneus novos e não evoluímos o tanto que gostaríamos. Temos que melhorar neste sentido, mas estou muito feliz por voltar à Stock Car com a equipe Bardahl. Com certeza, foi um bom começo, levando em conta que nunca tinha andado nesta pista, estou me adaptando à equipe, conhecendo mais o carro, tudo é novo, então acredito que amanhã será ainda melhor.

Bia Figueiredo, P20: Usamos o acerto do Thiago no segundo treino livre, e não funcionou exatamente como eu queria. Vamos fazer alguns ajustes para o último treino livre, amanhã de manhã, e brigar por uma boa posição no grid de largada. Tenho um baita carinho pela pista de Campo Grande. É onde conquistei minha primeira vitória no automobilismo, na Fórmula Renault, a já treinei muito de Fórmula 3. De Stock Car só andei uma vez, em 2015. Mas o momento está bom, voltamos do recesso da Copa com um bom décimo lugar na Corrida do Milhão, e vamos aproveitar essa energia positiva para continuar pontuando.

Nelsinho Piquet, P23: É uma pista difícil, com pouco grip. Aprendemos um pouco, mas no treino extra já estava anoitecendo e não serviu tanto. Temos de melhorar mais um pouco, mas estamos no mesmo nível de Goiânia. Temos margem para melhorar.

Denis Navarro, P24: O traçado aqui é bem bacana, mas o asfalto não é tão bom. Hoje nós queríamos estar um pouco melhores nos dois treinos, mas eu acredito bastante no trabalho do pessoal aqui do box e vamos buscar alguns décimos para estarmos competitivos amanhã no classificatório. Acredito que temos potencial para disputar uma boa posição no Q2.

Lucas Foresti, P26: Estamos estudando os dados com a equipe para detectar o que houve nos treinos de hoje. O último treino livre amanhã cedo será importante para acertarmos o carro antes do classificatório.

Quer concorrer a uma réplica do capacete do Ayrton Senna? Clique AQUI e palpite sobre quem vai vencer o GP de Campo Grande da Stock Car!

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.