Stock Car – Comentários de sexta-feira – Campo Grande 2015

sexta-feira, 11 de setembro de 2015 às 19:33

Thiago Camilo

Allam Khodair, 2º colocado: Foi um início bastante animador. Gosto muito do traçado da pista de Campo Grande e é muito bom voltar aqui e andar na frente novamente (em 2011 ele foi pole). Ainda não sabemos se a classificação será com pista seca ou molhada, mas já sabemos que, se chover, estamos muito bem. Em vários momentos do treino o grande desafio era segurar o carro na pista. A sujeira da pista, que mistura restos de borracha, terra, asfalto, realmente é uma das características do autódromo daqui. Temos que saber lidar com isso e acelerar.

Thiago Camilo, 3º colocado: Não estou buscando recordes, estou querendo me aproximar do Marquinhos no campeonato, e para isso é necessário vencer corridas.

Felipe Fraga, 4º colocado: O carro teve um excelente desempenho hoje. Fizemos o melhor tempo sob chuva no grupo 1. Depois alguns pilotos até conseguiram baixar o tempo no segundo grupo, mas foi quando já havia parado de chover e a pista estava melhor. Não sabemos como vai estar o asfalto no restante do final de semana, mas com certeza é um bom começo.

Gabriel Casagrande, 5º colocado: Mais uma etapa que a gente começa muito bem, tem umas três corridas que começamos o primeiro treino entre os dez primeiros, e acabamos se dando mal na prova, mas dessa vez eu acho que vai ser diferente. No molhado eu realmente me dei bem nessa pista, gostei do traçado e das reações do carro, e tudo esta caminhando para o que a gente quer, a chuva, mas também temos um carro bom para o seco, e vamos torcer para que a gente siga com o bom desempenho.

Ricardo Zonta, 6º colocado: Foi um bom começo. Conseguimos encontrar um bom ajuste de pista molhada, utilizando os dados de testes que o Valdeno (Brito) fez no grupo 1. Temos condições mais uma vez de brigar pelo pódio, assim como foi em Cascavel e Goiânia.

Antonio Pizzonia, 7º colocado: Fizemos uma experiência com a calibragem nos últimos minutos que acabou não funcionando. Começamos bem, mas temos de ver agora como será de agora em diante com a perspectiva de tempo bom nos próximos dias.

Marcos Gomes, 9º colocado: A pista melhorou um pouco, mas ainda não encontramos o acerto ideal para o asfalto molhado. A maioria das curvas aqui são mais de baixa e, como sempre tem alguém escapando, acaba trazendo uma pouco de lama para a pista. Espero que amanhã faça sol para podermos voltar ao set up que nos deu várias conquistas até aqui na temporada.

Átila Abreu, 10º colocado: No geral, a experiência foi boa. No shakedown tudo funcionou perfeitamente no carro novo, então mostra que o trabalho de montagem foi muito bem feito na oficina. É verdade que nos últimos anos nunca tivemos uma performance interessante na chuva, sempre torcendo pelo tempo seco. Mas hoje funcionou bem, o que nos deixa otimistas porque a previsão do tempo para o fim de semana é incerta. A jornada com o carro novo e o clima molhado nos permitiu trabalhar bem na chuva. Difícil tirar bases para comparar com os carros do outro grupo, porque qualquer variação da intensidade da chuva implica bastante tempo ganho ou perdido na pista: se aperta a chuva os tempos sobem muito; se seca, melhoram na mesma medida… Então o comparativo é o meu grupo e ali daria para andar entre os três primeiros, se não quebra o limpador nas últimas voltas. A condição de grip é diferente da que encontramos em outras pistas aqui. Com alguns remendos no pavimento, tem três condições diferentes de grip, e isso é um desafio adicional. Tivemos uma performance interessante, mesmo com um carro difícil de pilotar. Acho que se o carro estiver um pouco mais dócil na guiada conseguiremos ser ainda mais rápidos amanhã para classificar novamente na frente.

Júlio Campos, 11º colocado: A pista estava completamente emporcalhada. Saí com esse set de pneus apenas para sentir o carro, mas não dava para virar tempo com o asfalto naquele estado.

Popó Bueno, 12º colocado: O que importa é sempre o sábado pra mim, a classificação, é claro que você estar competitivo no primeiro treino, já começa um pouco mais tranquilo, e não tem que mexer muito no carro. Eu acho que estamos em um caminho certo, mas tem que focar em um carro para as três voltas de classificação que é o que precisamos. Temos sempre um ritmo bom de corrida, mas largando muito lá atrás, tem muitos toques e acidentes. O objetivo é tentar sempre largar entre os dez, até a sexta fila, pra conseguir fugir dos toques.

Sérgio Jimenez, 13º colocado: Sai muito bem no começo do treino, fizemos até um trecho roxo, bem rápido, mais rápido da pista naquele momento, mas ai tivemos um problema e tive que parar e não consegui dar muitas voltas seguidas, pra ter uma ideia do carro. Acabamos mexendo e testando coisas que não funcionaram, mas vamos voltar os ajustes iniciais e melhorar em cima deles. O tempo não demonstrou nosso real potencial, faltou ficar mais na pista que viraria melhor com certeza.

Rafael Suzuki, 14º colocado: Foi um bom começo. Apesar de amanhã não sabermos o que vai acontecer porque a cada hora a previsão muda. Resolvemos um problema que tínhamos no volante do carro e ficou mais confortável de guiar logo no shakedown. Foi um bom dia, mas a evolução do carro é difícil analisar por hoje, pois esse meio chuva, meio molhado, meio seco torna mais complicado, mas os ajustes que fizemos foram positivos. Esperamos amanhã andar de pneu slick e começarmos o dia bem.

Diego Nunes, 16º colocado: Fizemos alguns ajustes e estamos buscando o acerto ideal para esta pista. Ainda estamos longe do ideal. O resultado de hoje ficou bem abaixo do que esperávamos. Vamos ter de usar o treino de amanhã de manhã para testar novos caminhos.

Luciano Burti, 17º colocado: Com chuva sempre é difícil. Além de escorregar muito a pista varia durante o treino. Às vezes você para no box para fazer algum ajuste e quando você volta para pista já está lá para trás, porque acaba sendo mais complicado, mas eu gostei do carro desde o início. Achei que o carro estava com uma aderência boa, o que é mais importante na chuva. Estávamos competitivos e o tempo final não condiz com o potencial que temos. Não sabemos a previsão de amanhã e precisamos esperar para ver.

Fábio Fogaça, 18º colocado: Foi legal o trabalho, mas não consegui encaixar a minha volta, que poderia ter sido bem melhor, então acredito que em condições normais, nesta situação de chuva, teríamos chances de estar entre os 10, 12 primeiros, que é onde eu quero estar. Amanhã, a previsão é que esteja seco e se a gente tiver um acerto bom neste ritmo a gente vai estar brigando por melhores posições na classificação. Eu penso muito que normalmente o carro que é ruim na chuva, ele é ruim no seco e vice-versa. É difícil ter uma diferença tão grande, principalmente porque o pneu de chuva da Stock é muito bom, então vou me apegar nisso ai. O carro está bom na chuva, então acredito que vai andar bem no seco também.

Denis Navarro, 20º colocado: O acerto para pista molhada e pista seca é completamente diferente. Hoje adotamos um caminho e, amanhã, sem chuva, o set up é completamente diferente. Então é partir do zero amanhã e buscar uma boa classificação.

Cesar Ramos, 25º colocado: É a primeira vez que ando aqui em Campo Grande, foi um primeiro treino complicado, pela questão climática, não tinha nenhuma referência com pista seca, então com essa situação mista acabou não me ajudando muito. Temos que trabalhar para acertar e melhorar para amanhã, mas já tive sexta-feiras bem ruins e no sábado tivemos bons resultados.

Valdeno Brito, 26º colocado: Os tempos de hoje não refletem o potencial de resultado que temos nesta etapa. Como não há treinos na Stock Car fora das etapas (são proibidos por regulamento), aproveitamos a sessão com pista molhada para usar ajustes bem diferentes e assim encontrar um caminho para um carro competitivo e o bom resultado do Ricardo (Zonta) mostra que o dia foi bem produtivo.

Raphael Abbate, 27º colocado: O treino foi difícil. Eu andei na segunda sessão e, em algumas partes da pista, os pilotos acabam indo na terra pra conseguir um melhor desempenho e isso acabou sujando a pista inteira. Então, a cada volta a pista estava mais suja e não consegui desenvolver melhor o carro. Saí um pouco tarde para o treino, faltava uns 30 minutos para acabar, mas acho que o carro está legal. Amanhã muda tudo, a pista deve estar seca, então o que aconteceu hoje foi mais um aprendizado, principalmente pra mim que estou no primeiro ano, para conhecer mais este carro na chuva. Pra amanhã, a gente vai ter pouco tempo para desenvolver o carro. Então, teremos de ser muito rápidos para conseguir o acerto ideal para a classificação.

Bia Figueiredo, 28ª colocada: Foi um treino de chuva com algumas dificuldades para acertar o carro, pois amanhã será outra condição de pista e no domingo outra mais quente, segundo a metereologia. Mas vamos tentar entender o que aconteceu hoje para evoluirmos amanhã e conseguirmos uma boa posição no grid de largada.

Lucas Foresti, 31º colocado: Por incrível que pareça, as temperaturas baixas de hoje aqui em Campo Grande impediram uma avaliação correta (do novo sistema de refrigeração do motor). Na etapa passada, em Cascavel, vários carros tiveram problemas de superaquecimento, por isso a mudança.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.