Stock Car – Comentários de sábado – Goiânia 2014

sábado, 31 de maio de 2014 às 16:21

Júlio Campos

Júlio Campos, 3º colocado: Não está morto quem luta. O carro agora está parando. E é impressionante o que nosso carro anda bem com pneus velhos. Largar em qualquer lugar entre os cinco está bom. Em tese, sair em terceiro pode ser mais favorável, mas nem sempre é o que acontece.

Valdeno Brito, 4º colocado: Estou bem contente, acho que nunca fiquei tão satisfeito com uma segunda fila como hoje. Isso porque nos treinos livres a gente enfrentou algumas dificuldades, como o problema do câmbio ontem e a falta de equilíbrio do carro na sessão pela manhã. Foi uma ótima reação da equipe Shell Racing e tenho certeza de que temos condições de lutar pela vitória amanhã.

Felipe Fraga, 6º colocado: Nosso carro estava muito competitivo desde o primeiro treino livre e tinha confiança em brigar pela pole position. Na classificação, a gente poderia ter ido melhor, mas largar na terceira fila é um ótima maneira de começar a rodada dupla, porque permite que a gente tenha bom ritmo desde o começo da corrida. Como a reta aqui é a mais longa da temporada, com mais de 1.200 metros, existe a chance de quem está largando por fora conseguir se posicionar melhor na entrada da primeira curva. Vai ser uma prova muito movimentada e cheia de alternativas, com certeza o público vai vibrar bastante.

Ricardo Maurício, 7º colocado: A primeira vale 24 pontos e a segunda 15 pontos. Se você vai bem na primeira, irá largar com menos possibilidades de vitória na segunda. Dificilmente teremos o mesmo piloto vencendo as duas provas do dia.

Diego Nunes, 8º colocado: Nós batemos na trave nas duas últimas corridas para entrar para o Q2, por menos de um decimo. Então, dessa vez deu tudo certo gracas a Deus. O acerto que fizemos no segundo treino para a classificação melhorou muito. Amanhã vamos para cima pensar na corrida e fazer o primeiro pódio.

Denis Navarro, 9º colocado: A equipe Voxx Racing mais uma vez me entregou um bom carro no classificatório deste sábado e consegui ir para o Q2. Infelizmente fui atrapalhado na minha melhor volta, mas sei que tenho um ótimo carro para as corridas de amanhã. Espero sair de Goiânia com muitos pontos conquistados.

Allam Khodair, 11º colocado: Foi um resultado satisfatório porque achamos o caminho. Trocamos de carro da última corrida para essa e alguns componentes hidráulicos. Cometemos um risco que era calculado por nós de trocarmos outro componente também hidráulico do treino para a classificação, o que mudou bastante o comportamento do carro. Sabíamos que poderia mudar, mas tinha que trocar porque estava com o volante muito pesado. Faltou um pouquinho mesmo para estarmos no Q2. Se juntasse os trechos, eu estaria entre os cinco primeiros, mas por outro lado, estou tranquilo porque realmente o nosso carro deu uma evoluida das três primeiras corridas para cá. Temos um carro muito constante para a corrida, porque estávamos num ritmo muito bom em todos os treinos de pneu usado. É uma pena, porém a gente tem um caminho promissor amanhã.

Popó Bueno, 12º colocado: Faltou apenas um décimo de segundo para eu conseguir uma vaga entre os dez que se classificam para o Q2, mas em todo caso acredito que poderemos ser ainda mais competitivos, até porque em ritmo de prova nosso carro está com bom ajuste, como vimos nos treinos livres.

Galid Osman, 13º colocado: É claro que essa não é uma situação que nós queremos ou planejamos. O trabalho é para ir para o Q2 e brigar pela pole position da primeira corrida. Mas se estou ali em 13º, claro que a tendência é fazer uma estratégia para chegar entre dez na primeira corrida, com combustível suficiente para brigar pelo pódio na segunda.

Thiago Camilo, 16º colocado: Pelo regulamento antigo, largar em 16º significaria quase a certeza de um domingo ruim, sem possibilidade de sair de Goiânia com bons pontos. Mas agora existem duas chances claras de recuperar o sábado ruim, uma delas é fazer um pit stop curto e ganhar muitas posições na primeira corrida, a outra é botar bastante combustível, conseguir ficar entre os dez e pontuar bem na segunda, que foi o que fizemos em Brasília. Mas antes de pensarmos nas estratégias, é importante ter na cabeça que se estamos largando atrás precisamos primeiramente melhorar o carro, e vamos trabalhar duro para isso de hoje para amanhã.

Felipe Lapenna, 17º colocado: Foi uma pena. Eu não consegui encaixar meus trechos na tomada e a gente sabe que na Stock qualquer um décimo, dois décimos fazem uma grande diferença e eu fiquei a menos de dois décimos para entrar no Q2. Mas estou feliz, a equipe está evoluindo, sabemos que na corrida o nosso carro ‘cresce’, então vamos fazer uma estratégia boa para tentar chegar entre os dez primeiros para, na segunda corrida, largar na frente. Acredito que o nosso carro vai andar muito bem. A pista tem muitos pontos de ultrapassagem, uma reta bem longa. Acredito que vai ser uma corrida muito disputada e com muitas trocas de posições.

Rafa Matos, 18º colocado: Estava esperando muito mais da classificação. A pista esquentou uns 12 graus do treino da manhã para a tomada e isso afetou muito a performance do nosso carro. Tinha uma estratégia de sair e virar logo na primeira volta, mas não consegui e perdi a melhor volta do pneu. Consegui virar na terceira volta, o que não foi suficiente para me colocar no Q2, mas mais uma vez ficamos de fora por pouco. Mas estou confiante para as corridas de amanhã. Vai ser uma corrida bem disputada, a gente tem plenas condições de ir pra frente, principalmente pelo formato das corridas e agora é erguer a cabeça novamente e pensar em pontuar bem amanhã e lutar por mais um pódio.

Nonô Figueiredo, 21º colocado: Na primeira volta dois carros saíram da pista na minha frente, e acabei desperdiçando a minha melhor volta. Ainda consegui fazer duas voltas, mas já sem o melhor do pneu, ficando a dois décimos do Q2. Para amanhã temos duas opções, fazer uma parada curta ou uma longa. Acredito que a maioria trocará apenas um pneu, e fazer a parada curta. Estamos próximo do meio do campeonato, e temos de pensar em pontuar. Às vezes, a decisão do pit será feita durante a corrida. Para isso, a equipe deve estar preparada para as duas opções, e a Mobil Super Racing está.

Max Wilson, 23º colocado: Não é uma boa posição, mas teremos duas corridas e só amanhã será possível saber exatamente qual a estratégia seguiremos para tentar reverter tudo isso. O mais importante é que encontramos um bom acerto e o carro estará competitivo para a prova.

Sergio Jimenez, 24º colocado: Estamos com um problema grave de velocidade que está comprometendo todo o final de semana. Estamos trabalhando incessantemente no carro, mas não estamos conseguindo sanar as dificuldades. Espero poder ter um carro melhor amanhã para marcar alguns pontos no campeonato.

Bia Figueiredo, 27ª colocada: Legal estar em Goiânia e pista ficou linda, temos que parabenizar o governo e os responsáveis pela reforma do autódromo, o automobilismo precisa disso. Eu adorei o traçado, a pista é muito legal. Hoje nós demos um passo importante com o acerto do carro e eu estou entendendo cada vez mais o equipamento. Agora é esperar as provas de amanhã, para a gente conseguir dar um bom salto de posições.

Fábio Fogaça, 28º colocado: Eu fiz minha melhor volta na parte inicial do treino, e na parte final a maior parte dos pilotos conseguiu baixar os tempos. Agora é partir para evitar as confusões da primeira volta e ganhar o máximo de posições possíveis durante a corrida para, quem sabe, chegarmos na zona de pontos.

Antonio Pizzonia, 29º colocado: Não fomos muito bem nos treinos livres da manhã, optamos por endurecer demais o carro na classificação e acabamos passando do ponto.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.