Stock Car – Comentários de sábado – Curitiba 2015

sábado, 17 de outubro de 2015 às 14:55

Átila Abreu

Allam Khodair, 3º colocado: A pole escapou por muito pouco. Foram alguns detalhes na volta rápida. Mas estamos competitivos e isso é o mais importante. Temos todas as condições de lutar pela vitória amanhã. Tirando alguns percalços em algumas etapas, nosso carro tem se comportado bem nas tomadas classificatórias recentes. Ainda falta uma pole, mas estamos sempre muito perto, nos posicionando em condições de brigar pela vitória. Estar na frente é importante para somar pontos e chegar à corrida de Interlagos na briga pelo título.

Átila Abreu, 4º colocado: Em condições reais foi nossa melhor tomada do ano”, frisou o piloto, que largou da pole na abertura da temporada quando o grid foi definido pela soma dos tempos dos pilotos regulares e dos convidados. O tempo do Marquinhos acho que não tinha como eu virar, mas o do Cacá acredito que daria para buscar. O carro vinha balançando um pouco de traseira, mas de qualquer maneira ficou muito mais competitivo. Nos treinos livres ficamos sempre em torno do décimo lugar e evoluímos na tomada. Por toda a dificuldade do ano arrisquei um pouco mais na tomada e consegui uma volta muito boa. Falta ainda um ajuste fino para a corrida porém. Largar em quarto dá uma outra perspectiva, para novamente brigar pelo pódio. Os carros da frente estão todos na luta pelo campeonato, então isso pode ser um fator positivo para a gente. Pra mim interessa a vitória, muito mais que os pontos. Claro que espero melhorar no campeonato porque a posição em que estamos hoje não me agrada. Sempre terminei o campeonato entre os dez, no ano passado disputando o título até o fim. Tenho como meta subir na tabela, mas óbvio que em uma situação de arriscar pela vitória vou arriscar. O carro novo mostrou equilíbrio interessante, vamos continuar trabalhando e pensar nas duas provas do domingo. O grid está muito apertado e a corrida promete ser muito equilibrada. Se porventura não der na primeira, podemos pensar na prova curta, então largar em quarto nos permite avaliar melhor as possibilidades e eventualmente guardar um fôlego para a prova 2.

Lucas Foresti, 5º colocado: Estou muito contente com o resultado, pois consegui extrair o melhor de mim e do carro na classificação. A equipe está de parabéns também por ter colocado dois carros entre os cinco primeiros. Agora o foco é na corrida e principalmente em ter uma primeira volta longe de confusões para podermos planejar duas boas provas e somar ótimos pontos.

Valdeno Brito, 9º colocado: Conseguimos um bom resultado mesmo tendo perdido no treino de manhã uma chance de conseguir evoluir melhor o ajuste do carro. Em todo caso, temos condições de brigar pelo pódio nas duas provas.

Vitor Genz, 10º colocado: Fizemos um acerto para tomada de tempo que deixa o carro um pouco “nervoso” de guiar, mas é bem rápido. Para a corrida esperamos deixar o carro um pouco mais conservador para termos consistência até a bandeirada. Superamos algumas dificuldades que tivemos outras vezes aqui em Curitiba. Nos setores de alta, não conseguíamos ser tão rápidos e esse ajuste que fizemos ajudou a melhorar nosso tempo.

Max Wilson, 11º colocado: Há um respeito e uma admiração mútua pelo trabalho e isso é fundamental para que essa parceria dure tanto tempo. Sou admirador do Ricardo como profissional e como ser humano. Sem dúvida esse respeito é fundamental. Tem sido muito gratificante trabalhar ao lado de um piloto como o Max e com toda a equipe Eurofarma-RC.

Ricardo Zonta, 12º colocado: A equipe foi muito bem e eu tive condições de estar entre os cinco melhores, mas acabei não encaixando a melhor parcial em minha volta ideal e perdi de 2 a 3 décimos, que seriam suficientes para me promover ao top-5 do grid.

Felipe Fraga, 13º colocado: Entramos com o acerto do ótimo treino que fizemos pela manhã, mas a pista mudou bastante e isso acabou nos complicando. Quase rodei na minha volta de aquecimento e também na minha melhor volta. Na segunda tentativa acabei pegando um pouco de grama e o motor superaqueceu. O carro entrou em modo de segurança, então tive que recolher para o box. A expectativa era de lutar pela pole, mas acredito que temos totais condições de fazer uma boa corrida de recuperação amanhã.

Diego Nunes, 14º colocado: Eu não consegui colocar o último trecho, a minha volta rápida, mas tivesse conseguido largaria entre os oito, pelas contas que a gente fez. Entre o sexto ao vigésimo todos ficaram muito próximos. Amanhã vai ser aquela briga na primeira corrida. Vamos tentar recuperar para fazer um pódio na segunda e voltar a subir no campeonato.

Luciano Burti, 15º colocado: Acabamos perdendo performance porque no treino da manhã tivemos um problema. O acerto que acabamos andando o tempo todo de manhã não era o acerto que imaginávamos e isso fez com que a gente perdesse referência. Tanto de ponto de freada, tanto de traçado e de acerto de carro. Passamos pneu, mas acabou sendo inválido. Na classificação começamos da base que tínhamos de ontem. Então, não ficou 100%, mas o carro continua evoluindo. Sabemos que poderia ter sido melhor hoje, mas está evoluindo e vamos pensar nas corridas de amanhã.

Daniel Serra, 16º colocado: No treino livre da manhã não estava legal, mas conseguimos ficar entre os dez. Mas depois na classificação os concorrentes melhoraram e a gente não. Então é continuar trabalhando, encontrar o que faltou, porque temos duas corridas amanhã e preciso marcar o máximo de pontos pensando no campeonato.

Rafael Suzuki, 17º colocado: Não conseguimos aproveitar direito os treinos livres, porque na primeira sessão andamos com pista molhada, e na segunda nosso carro estava falhando. Então, considerando isso, acho que foi um bom resultado. Vamos largar no meio do grid, já na zona de pontuação, e agora vamos planejar bem a estratégia, que será essencial nessa corrida, para somar o máximo de pontos possíveis e escalar algumas posições na classificação geral.

Júlio Campos, 18º colocado: Tive de me esforçar muito para virar meu tempo na terceira e última volta, enquanto o Cacá assumiu a pole provisória logo na primeira.

Antonio Pizzonia, 20º colocado: Acho que as outras equipes encontraram um acerto melhor para estes pneus que estamos usando neste ano. Estamos precisando trabalhar mais nessa questão. Em todas as etapas sempre tivemos um carro competitivo. Temos tido um desempenho melhor de corrida do que de classificação.

Galid Osman, 21º colocado: Agora, saindo lá de trás, tenho que fazer uma corrida muito boa para ficar entre os dez, que é onde eu estaria. Não é impossível, de jeito nenhum.

Raphael Abatte, 27º colocado: Foi bacana. Consegui encaixar uma volta boa. Em todos os treinos a gente sempre evoluiu e tudo o que fizemos no fim de semana foi positivo. O carro evoluiu legal, eu evolui bem, então acho que estamos competitivos, mas falta um pouquinho ainda para estar entre os 15 primeiros. Mas estamos buscando. Amanhã, é tentar fazer uma boa largada e chegar entre os 20, pontuar e largar bem na segunda corrida.

Bia Figueiredo, 28ª colocada: Os pneus novos que colocamos para o treino classificatório deixaram o carro com uma reação difícil para guiá-lo. Na classificação conseguimos melhorar um pouquinho essa tendência negativa, mas não virou o que a gente esperava. Agora temos mais trabalho para a corrida, pois vamos buscar recuperação para pontuar aqui em Curitiba.

Felipe Guimarães, 29º colocado: Eu sabia que o cenário não seria como o de ontém, pois a Stock Car é extremamente competitiva. E os pilotos que estão no grid já conhecem seus carros detalhadamente. Este é o processo natural para obter competitividade no meio de tanta gente boa, é conhecer o carro e deixa-lo com o acerto proporcional a minha maneira de guiar. Vamos estudar a telemetria hoje e ver o porque do carro não estar como esperávamos que estivesse. Hoje temos muito trabalho e precisamos muito do ‘feedback’ do Felipe para esse acerto melhorar. Eu acredito que eu busquei o melhor do carro, e até achei que ia melhorar. Mas tem alguns probleminhas que eu não consegui melhorar, mas acho que é super normal, preciso mesmo é de mais experiência.

Denis Navarro, 31º colocado: O carro estava longe do ideal, não tivemos tempo de pista para prepará-lo durante o final de semana. Agora é tentar focar em uma boa estratégia para amanhã. São duas corridas, a segunda conta com grid invertido para os dez primeiros. Se as coisas se encaixarem e tivemos um pouco sorte, podemos brigar pelas primeiras posições na segunda corrida e somar muitos pontos.

Mauro Giallombardo, 32º colocado: O treino classificatório não foi bom. Tínhamos a chance de ir melhor, mas ainda não conheço a melhor maneira de aproveitar os pneus e também tivemos um problema no motor, que nos fez perder quase seis décimos de segundo na volta, o que é muito. Então, os responsáveis pelo fornecimento de motor da Stock Car já vieram aqui, olharam e vão trocar o motor para amanhã. Agora vamos trabalhar no acerto do carro, fazer algumas mudanças e trocar o motor, o que será muito importante. Foi uma pena. Infelizmente não pude me classificar bem por conta disso.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.