Stock Car – Comentários de domingo – Velocitta 2020

domingo, 18 de outubro de 2020 às 15:31

Gabriel Casagrande

Júlio Campos, P1/não terminou: É sempre bom ganhar! Foi uma corrida muito boa. Tudo deu certo na nossa estratégia. A equipe Crown Racing fez um pit stop perfeito e voltamos para a pista com uma certa vantagem”, contou Campos, cuja última vitória havia sido conquistada em Santa Cruz do Sul, na temporada passada. “Foi um final de semana perfeito, com pole e vitória de ponta a ponta. Renascemos no campeonato com o pódio em Cascavel e esse resultado no Velocitta. A gente já teve um carro muito bom em Londrina, onde largamos em segundo. Em Cascavel, onde há várias curvas de alta. Andamos bem aqui, com muitas curvas de baixa. Temos um carro veloz, mas ainda precisamos evoluir bastante.

Gabriel Casagrande, P2/P7: Estou muito contente, mais uma vez como o maior pontuador. Em Cascavel, no domingo, a gente foi o segundo maior, perdemos por dois pontos só. Sempre fazendo muitos pontos, que é o que a gente precisa no campeonato. Vamos em busca de chegar na Final com grandes chances do título. Eu não ligo de perder uma corrida ou um pódio, o que eu quero é chegar na etapa e meu nome estar em primeiro na tabela de pontuação. Então, eu acho que com esse pensamento a gente vai longe ainda. Temos chances ainda no campeonato e dá para brigar.

Allam Khodair, P3/P15: Muito feliz com este terceiro pódio no ano, estamos escalando a tabela pra chegar ao final do campeonato brigando pelas primeiras posições.

Cesar Ramos, P4/P14: Cumprimos nosso objetivo. Conseguimos pontuar bem nas duas corridas do final de semana para termos uma certa vantagem na liderança. Sabíamos que a regularidade era nossa meta e deu certo. Muito feliz com o resultado final.

Marcos Gomes P5/P17: Voltar às primeiras posições é sempre muito bom. Vínhamos de etapas bem difíceis neste ano e tínhamos que buscar essa reação, que veio aqui no Velocitta. Tanto eu quanto a equipe estamos fazendo um trabalho com muito foco e dedicação, mas algumas situações de corrida vinham nos prejudicando. Feliz que hoje voltamos as primeiras posições na tabela!

Nelson Piquet Jr., P7/P16: Foi um fim de semana difícil. Classificamos bem e acho que conseguiríamos fazer dois sétimos lugares, que nos dariam bons pontos para melhorar no campeonato. Mas, infelizmente, tivemos um problema na pressão de combustível e acabamos fora do Top-10 na corrida 2. Foi uma pena, mas gostaria de parabenizar aos mecânicos, que fizeram um trabalho muito bom no pit stop e ao meu engenheiro, pela estratégia que adotamos.

Matías Rossi, P8/P2: É uma alegria imensa. Primeiramente, gostaria de agradecer à Toyota argentina, à Toyota do Brasil, ao Maurício Ferreira, chefe da equipe Full Time, aos mecânicos e ao meu engenheiro Felipe Vargas. Fizemos um trabalho muito bom. Estou muito contente e quero desfrutar muito deste troféu, porque custou muito e é mérito de muito trabalho. O pódio chegou rápido, então estou muito feliz. Vamos seguir trabalhando para as próximas. Gosto muito da Stock Car, é uma categoria muito competitiva e espero continuar aqui por um bom tempo. O final da corrida foi muito duro, então fico muito feliz com este segundo lugar.

Diego Nunes, P10/P1: Batemos na trave em outras corridas, sofremos com quebras no início do campeonato, mas nós sabíamos que quando as coisas encaixassem este resultado viria. Só tenho a agradecer a todo nosso time, à Blau que acreditou no meu trabalho e me contratou para esta temporada. Outras vitórias virão.

Cacá Bueno, P11/P18: O carro tinha o ritmo ali do pessoal que brigou pelo terceiro ou quarto lugar, mas largando de 16º eu só conseguia avançar até o 11º lugar. E isso me custou muita coisa, eu tentei chegar em décimo pra largar na pole. Aí seria uma grande vantagem para a corrida 2 e não consegui. Isso foi um problema, mas o ritmo estava lá. Meu ritmo era o mesmo do (Ricardo) Zonta, era o mesmo do Diego Nunes. O Zonta está entre os líderes do campeonato, o Diego venceu a corrida 2. Então, o ritmo era muito bom, mas o problema foi a posição de largada. Largar em décimo sexto e não conseguir avançar. Eu acho que, se eu estivesse largando de uma posição mais à frente, poderia fatalmente estar brigando pelas primeiras posições. O carro melhorou, mas a gente precisa classificar melhor. Vamos ver o que acontece, vamos ver se realmente lá em Curitiba a gente consegue classificar como classificou em Goiânia, ali entre os seis ou sete primeiros. Aí sim a gente tem um carro para brigar por pódio, para brigar por vitória. O carro precisa melhorar um pouco na frente dele para eu poder ter aquela velocidade na classificação. Quando todo mundo ganha aderência, eu ainda estou muito dianteiro em praticamente todas as pistas que eu vou. Isso tem me limitado um pouco.

Ricardo Zonta, P12/P4: Como eu estava largando ali não tão para trás, faríamos uma estratégia para tentar abastecer, fazer tudo, já para pronto a segunda corrida, mas ficando entre os dez. Mas não esperávamos que quase todos não abastecessem, e isso me jogou para 12º. E aí largando em 12º, tudo fica mais difícil, porque eu não podia deixar os primeiros se distanciarem, porque, com a diferença, eles iriam abastecer e sair na minha frente. Então viemos classificando do começo ao fim, fazendo ultrapassagens, e estou muito feliz por chegar em quarto. Fiz de tudo para chegar em terceiro, para pelo menos subir ao pódio e levar o troféu para a Maria Eduarda, mas não consegui. Mas também agradeço pelo Fan Push, o que me possibilitou fazer mais ultrapassagens e me manter ali para sair com os mesmos pontos que eu cheguei, em termos de diferença do líder. Nós nos mantemos em seguindo, com uma constância muito boa no campeonato. É claro que queremos chegar e ganhar a corrida, mas às vezes tem de marcar ponto também. Foi uma corrida muito desgastante, muito quente. Meu carro não uso ar condicionado, e o carro é muito mais quente do que no ano passado, faz um desgaste muito grande no carro. Eu, que estou carregando 25kg, sem ar condicionado, seria mais 7kg, então tiramos para não nos prejudicar.

Rubens Barrichello, P14/P5: Este fim de semana, não tivemos uma performance tão ao nosso nível. Os 23 pontos nas duas corridas são positivos, diante de algumas situações que tivemos. Agora, é trabalhar muito para que em Curitiba a gente volte a colocar o carro entre os cinco primeiros no grid.

Thiago Camilo, P16/P8: Fizemos uma estratégia para pontuar nas duas corridas, mas melhor na corrida 2, e logo na largada fui prejudicado pelo Julio Campos e caí para último. Vim remando tudo de novo e acabei em oitavo, mas poderia ter ficado entre os cinco. Vamos em frente. Olhando para o sábado até tivemos um bom domingo.

Rafael Suzuki, P17/P10: Salvar um Top-10 na corrida 2 não foi de todo ruim, principalmente, porque eu levei uma batida, o carro ‘morreu’, tive de fazer o carro funcionar e eu não esperava que iria chegar entre os 10. Mas não desistimos. Quero agradecer à equipe, que se mobilizou para melhorar o meu carro de ontem para hoje. O carro estava muito bom, bem diferente do classificatório e a estratégia foi correta. Pena que aconteceu a batida, porque poderíamos ter chegado entre os cinco primeiros. Mas vamos lutar para a próxima.

Pedro Cardoso, P18/não terminou: Na primeira corrida eu tive um problema no pit-stop, mas que não influenciou diretamente na nossa estratégia, que estava focada na segunda prova. Para a segunda estava tudo dando certo, estava com ritmo bom, quatro pneus novos e veio algum problema elétrico, o carro simplesmente apagou. Foi uma pena porque no momento da falha eu estava brigando com o Bruno (Baptista) e com o Rubinho (Barrichello) e poderia ter vindo até um top-5, mas vamos seguir trabalhando. Essas coisas acontecem.

Galid Osman, P19/P12: O fim de semana começou bem, com a liderança nos treinos livres, e acabou com o carro todo torto. Larguei no meio do grid, e largar no meio do grid é isso. Toques toda hora, tentei fazer a primeira corrida sem encostar em ninguém para cuidar bem do carro, mas foi bem difícil. Agora é pensar na próxima, Curitiba eu sempre andei muito bem, estou bem animado para a próxima. Já fiz pole lá, é uma pista em que sempre andei bem, então vamos focar.

Átila Abreu, não terminou/P9: Saio muito chateado porque poderia ter somado bons pontos, o carro não tinha performance para brigar por um pódio, mas poderia brigar pelos dez na primeira corrida e fazer outro top10 na segunda, para crescer um pouco mais no campeonato. Infelizmente, um adversário me tirou de maneira perigosa, no meio da reta, ainda nas primeiras voltas. Entortou todo o meu carro, tive sorte de não bater no muro ou nenhum outro carro bater em mim em posição de T. Mas desalinhou o carro inteiro, optamos por abandonar a primeira corrida para tentar alinhar um pouco e salvar alguns pontos na segunda, que foi o que fizemos. Mesmo assim, faltava um pouco de performance, se tivesse eu poderia ter chegado entre os cinco, era totalmente plausível. É continuar tentando entender porque estamos sofrendo tanto com o acerto. Cada carro da equipe tem um acerto diferente. Se colocar o mesmo acerto, cada carro tem uma reação completamente diferente do outro. Aqui eu ando bem e tudo, mas não aconteceu. Ainda bem que salvamos uns pontos, usamos o descarte, o que eu não gostaria, mas vamos tentar melhorar. Quero agradecer a todos que votaram no Fan Push, faz a diferença. Queria ter usado esse push para ganhar a corrida como aconteceu em outras oportunidades, mas me ajudou a conquistar uma posição na última volta. Mas foi muito importante, queria agredecer a todos da Shell, que também colocaram o Zonta, o Galid e o Gaetano entre os mais votados.

Gaetano di Mauro, não terminou: O domingo já começou com problema na abertura de box, estava sem bateria no carro e tive de largar dos boxes na corrida 1. Largando dos boxes, não tem muito o que fazer, tem um gap muito grande na primeira volta. Depois, comecei a ter um problema de freio, começou a descer o pedal e tive de abandonar. Larguei hiperpreparado para a corrida 2, estava tudo pronto para fazermos uma boa corrida como sempre fazemos. Eu estava bem posicionado, com os quatro pneus bons e fiquei sem freio na quarta volta da corrida, tive de abandonar. Estou muito feliz de ter ganho fan push com todo o pessoal da Shell, é muito gratificante para nós, dá uma força absurda durante a corrida, podemos usar num momento inesperado para os outros pilotos, que nunca estão contando com isso. Quero agradecer a todos que votaram.

Já ouviu o último Loucos por Automobilismo? Clique na imagem abaixo!

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.