Stock Car – Comentários de domingo – Tarumã 2016

domingo, 26 de junho de 2016 às 19:10
Felipe Fraga

Felipe Fraga

Felipe Fraga, 2º/não terminou: Lideramos boa parte da corrida, tivemos um carro muito bom durante todo o final de semana e só tenho a agradecer a minha equipe pelo trabalho que eles fizeram para conseguirmos manter a ponta no campeonato. A vitória escapou por causa do desgaste de pneus, mas o saldo é altamente positivo porque ampliei de sete para dez pontos a vantagem sobre o Marquinhos.

Marcos Gomes, 3º/não terminou: Conseguimos um resultado que parecia muito difícil depois de cair para sexto, mas acreditei no potencial do carro e ainda aproveitei alguns deslizes dos adversários para conseguir o pódio. Aumentamos a diferença pro terceiro na tabela para 15 pontos e agora é tentar recuperar a liderança em Cascavel, onde tenho um bom retrospecto.

Felipe Lapenna, 7º/16º colocado: Nosso final de semana, começou muito bom. Fui quarto no primeiro treino livre. Mas, depois, não sabemos o que aconteceu na classificação e a nossa performance não se transformou no resultado que a gente esperava. Na primeira corrida, o carro ‘acendeu’ novamente e éramos muito rápidos. Ultrapassei muitos pilotos e conseguimos fazer a estratégia priorizando a corrida 1. Ficamos na pista e cheguei em sétimo, que dá mais pontos do que ganhar a segunda corrida. Até poderia ter parado, mas mesmo com o gostinho de estar no pódio na segunda, não marcaríamos muitos pontos. Acho que a ‘zica’ foi embora e agora esperamos marcar mais pontos nas próximas corridas e melhorar nossa classificação para não sair para a tomada de tempos tão cedo. Vamos torcer para em Cascavel o carro estar bom de novo.

Lucas Foresti, 9º/20º colocado: A gente tem que aprender a se divertir e rir de nós mesmos. A maioria disse que não teria coragem de pintar o dente, mas eu corri até de bigodinho pintado na cara. Como tínhamos uma boa posição de largada, privilegiamos a primeira prova. Porém, nosso carro estava muito dianteiro e não evoluímos como imaginamos. Mesmo assim, a nona posição foi ótima pois representou 15 pontos e, depois do começo de ano difícil que tivemos, precisamos marcar o máximo de pontos possíveis.

Sérgio Jimenez, 10º/não terminou: Foi uma etapa de paciência. Sabíamos que tínhamos um carro bom para ‘sobreviver” a Tarumã. Vimos vários líderes sem terminar a primeira prova e fizemos uma corrida de recuperação para concluir em décimo. Nosso carro tem um ritmo bom de corrida, mas precisamos melhorar nossa performance na classificação para poder fazer mais pontos. Subimos um pouco no campeonato e nos aproximamos mais do pessoal da frente, então foi importante este resultado.

Guga Lima, 11º/15º colocado: Fiquei satisfeito com o resultado de hoje, optamos por uma estratégia diferente, e que funcionou. O safety-car nos ajudou na corrida 1, mas tivemos um bom ritmo durante toda a prova. Na corrida 2, sabíamos que seria difícil segurarmos os pilotos que trocaram pneus, pois o desgaste aqui é muito grande, mas foi bom andar lá na frente, e depois, quase chegamos na zona de pontuação novamente. Nossa evolução é nítida, e isso só nos deixa ainda mais animados para manter essa boa sequência em Cascavel.

Átila Abreu, 14º/10º colocado: Infelizmente o carro não teve a velocidade que a gente esperava. Mas saímos ainda com alguns pontos. Ficou um gostinho amargo pelo toque recebido na segunda prova, pois eu era o segundo piloto do grid que havia parado. Não ia brigar pela vitória pelo ritmo do carro, mas um top5 acho que era possível. Estamos em quarto lugar no campeonato, o que acho que ainda é um lucro pelo nosso desempenho. Importante chegar de novo, pontuar em ambas as provas. Agora temos que melhorar para brigar pelo título. Temos três semanas agora até Cascavel e confio no potencial da Shell Racing.

Gabriel Casagrande, 15º/5º colocado: O carro deu uma melhorada muito boa em ritmo de corrida e acabamos fazendo bons pontos. Achei que a soma das duas baterias foi super importante. Se somar as duas corridas eu acabei virtualmente vencendo a corrida, com os pilotos que fizeram as duas. Meu pneu estava muito desgastado, tirei tudo do carro. Até achei que poderia ter uma dobradinha, mas não deu. Acabei tendo uma bela disputa com o Cacá (Bueno), onde consegui manter a minha posição. Parabéns ao Julio por mais essa vitória.

Diego Nunes, 18º/7º colocado: Finalizar a prova em sétimo foi muito bom, além disso eu consegui me manter entre os dez do campeonato, e isso nos motiva. Esse e nosso objetivo, pontuar o máximo em cada corrida.

Galid Osman, 19º/9º colocado: A pancada na largada acabou com as chances de brigar por boas posições. Fiz os pontos que dava pra fazer.

Júlio Campos, não terminou/1º: Optamos por parar e guardar equipamento para a segunda corrida, as chances de pontuar mais assim era grande. Deu certo. Vencer dá uma lavada na alma. Sempre é bom vencer. Terminar uma corrida ganhando é muito importante. Toda a equipe motivada para buscarmos outros bons resultados durante o ano.

Thiago Camilo, não terminou, 2º: Fiquei preso na Bia Figueiredo, que estava mais lenta, no início da corrida, e demorei um pouco para passar o Khodair, que tinha um ritmo muito parecido com o meu. Por um detalhe não venci a corrida, que seria um prêmio ainda maior para a equipe, que mais uma vez mostrou, além de competência, um tremendo espírito guerreiro. A maneira com que o carro andou na segunda corrida mostra que eu podia ter disputado um pódio já na primeira, mas houve um problema mecânico e aqui é impossível pilotar sem a direção hidráulica. Uma hora a sorte vai mudar e estaremos prontos para vencer.

Allam Khodair, não terminou, 3º: Claro que saio daqui feliz por emplacar o segundo pódio seguido, mas o sentimento de frustração também existe pelo resultado da primeira corrida. Mas são finais de semana como este que fazem do automobilismo um esporte fantástico. E, para nós, o que fica é a constatação de que temos um carro muito rápido e que certamente conquistaremos vitórias este ano. Foi uma corrida de muita concentração, foco, porque eu sabia que era mais rápido e tinha um carro em condições melhores do que muita gente que estava na minha frente. Mas no meio de tantas disputas levei um toque que deixou o carro desequilibrado e nos impediu de alcançar a briga pela vitória.

Ricardo Zonta, não largou/8º: Assim que senti a falha, trouxe o carro para o box: foi a nossa sorte, porque aqui conseguimos trocar o motor e assim viabilizar minha participação na prova 2. A equipe Shell Racing fez um esforço incrível e os pontos desta oitava colocação valem muito por conta desta superação dos mecânicos. Como fizemos tudo em tempo recorde, em menos de 50 minutos, não pude testar o carro antes da largada e com isso tive um problema de potência ainda no início da corrida, que me fez perder contato com o pelotão. Não fosse isso, era possível até brigar pelo pódio. Em todo o caso, o saldo foi bastante positivo para um final de semana que tinha tudo para zerarmos em pontuação.

Raphael Abbate, não terminou/12º: Logo que a gente saiu para a volta de apresentação, eu senti que começou a ‘patinar’ a embreagem. Larguei e o carro vinha perdendo muita performance, então falei com a equipe e decidimos abortar a primeira bateria e ‘salvar’ os pneus para a segunda corrida. Tentamos arrumar o carro, mas infelizmente é um problema interno na embreagem. Mesmo assim, fizemos um ajuste fino, mas não melhorou 100%. Mas na corrida o carro veio bem e mesmo com o problema era rápido. Eu estava entre os cinco primeiros, quem sabe poderia até ter conquistado um pódio, mas tive uma disputa com o Guga Lima e os comissários entenderam que eu fiz uma ultrapassagem irregular. Na minha opinião, foi coisa de corrida. Mas agora espero que a gente tenha uma ótima performance em Cascavel para estar brigando pelo pódio de novo.

Rafael Suzuki, excluído: Estivemos rápidos durante todo o fim de semana em Tarumã e tínhamos uma ótima chance de manter a boa sequência no campeonato, de estar sempre entre os 10 melhores. Na corrida, optamos por não entrar nos boxes e estava dando certo, já que estava próximo do top-10. Infelizmente, acabei me envolvendo em dois incidentes, nos quais fui julgado como culpado, mesmo sem ter a intenção em nenhum deles. Foi uma pena não poder nem correr a segunda prova, pois tinha um bom carro. Agora vamos levantar a cabeça e já pensar na próxima etapa, Cascavel é uma boa pista para nós, e vamos recuperar os pontos que nos escaparam aqui.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.