Stock Car – Comentários de domingo – Curvelo 2017

domingo, 23 de julho de 2017 às 16:57
Júlio Campos

Júlio Campos

Ricardo Zonta, P4/P10: Foi um fim de semana muito positivo. O carro se comportou bem em todos os treinos, classificação e corrida. Na primeira corrida, sofremos um pouco com o desgaste do pneu traseiro, com isso estava difícil de se manter próximo aos carros da frente. No pit stop, saí e o Ricardo Maurício saiu junto na outra volta e tinha a preferência, não consegui a ultrapassagem. Na última volta, estava em terceiro, sem push na última volta e ele tinha, então foi na linha de chegada mesmo que ele me passou. Na segunda corrida, larguei bem e não me envolvi em nada. Eu estava à frente do Felipe Fraga, bem constante, e no pit stop, outro carro bateu no meu e prejudicou a minha parada porque o carro ficou torto e perdeu tempo para colocar o combustível, e voltei no meio do bolo, quando os outros carros estavam saindo do pit, e perdi mais tempo. O pelotão da frente foi embora e fiquei para trás. Foi difícil, porque eu poderia ter saído à frente desse bolo. Usei o Hero Push, que foi bem legal e usei na última volta.

Julio Campos, P6/P11: Não dá para negar que estamos bastante velozes na classificação, mas precisamos melhorar um pouquinho nas corridas. Este é que será o nosso foco nas próximas etapas. Estamos evoluindo corrida constantemente e vamos trabalhar para crescer ainda mais. É só uma questão de avançar no grip geral, porque o carro é bem balanceado. Só não consigo carregar a mesma velocidade em curva dos principais rivais.

Cacá Bueno, P7/P8: Com certeza hoje era dia para ficar nas duas corridas entre os cinco melhores. Infelizmente perdemos um tempo precioso na corrida 1 no box e com isso, além do top-5, tive que gastar mais botões de ultrapassagem e depois fazer um pit mais longo na prova 2, já que não entrou todo combustível previsto. Em todo caso, conseguimos um sétimo e um oitavo, posição acima da nossa largada, então já evoluímos para a corrida, só precisamos melhorar no qualy.

Thiago Camilo, P8/P2: Considerando todo o fim de semana, quando tivemos uma sexta-feira difícil, a pior de 2017, conseguimos evoluir o carro para a classificação, no sábado, e botamos o carro no Q3 pela sexta vez consecutiva, e no domingo conseguimos 31 pontos, foi bom O máximo que poderíamos alcançar dentro das circunstâncias que se apresentaram. O Gabriel Casagrande, que venceu a segunda corrida, nos surpreendeu com pit stops rápidos e um desempenho muito bom, então o segundo lugar foi o melhor possível. Livramos bons pontos para o terceiro colocado no campeonato, não deixamos o Daniel Serra, que estava numa condição melhor, escapar muito, e vamos para a próxima etapa, no Vello Citá, focados em diminuir a distância para o líder.

Rafael Suzuki, P9/P4: Hoje se olharmos o resultado foi muito bom, dois top10, muitos pontos, eu acho que extraí o máximo do carro, mas logo depois do pit stop eu senti o carro falhar um pouco e essa falhada foi aumentando, não colocava nem quinta marcha no final da reta, infelizmente foi um pouco de azar, mas a equipe esta de parabéns, acredito que o segundo semestre promete.

Felipe Lapenna, P11/P28: Foi um final de semana muito bom, agora na corrida estávamos com um ritmo forte, foi uma pena que meu botão de ultrapassagem tinha volta que funcionava e volta que não, então acabei perdendo para o Gabriel Casagrande porque não tinha o push para dar o troco nele, e terminei na décima primeira colocação, foi uma pena, senão largaríamos na pole na segunda prova, na largada acabei me envolvendo em um acidente, alguém me tocou e ficamos no muro. Mas estamos bem animados, Suzuki esta de parabéns, toda a equipe, e o importante é que estamos competitivos.

Átila Abreu, P12/P3: Foi um fim de semana de aprendizado, com altos e baixos, começando bem os treinos e nem tanto na classificação. Na primeira corrida, largando em 11º, abastecemos muito e, com o safety car, poderíamos ter pulado para o grupo dos primeiros no grid invertido e ter tido um ritmo melhor se tivéssemos abastecido menos. Com isso, minha tática foi a de usar o mínimo de pushes no começo da segunda corrida. Tive sorte que o pessoal atrás de mim se embolou. Tentei virar rápido, mas o pessoal da frente gastou muitos pushes. Quando vi que ia abrir a janela, comecei a usar os pushes um atrás do outro e fiquei na pista o máximo possível para tirar a diferença. Deu certo, ficamos em quarto, achei que não tinha mais ritmo para perseguir o Suzuki, pois abastecemos menos na segunda corrida. Daí começou a acender a luz de combustível, não sabia se era falta de gasolina, mas vi que o Suzuki começou a ficar aí fui para cima. Passei sem push e na última volta vim só rezando para fazer esses pontos importantes para o campeonato.

Denis Navarro, P15/P12: A gente teve um ritmo bom de corrida, com chance até de um top-10, mas foi ótimo terminar as duas corridas e pontuando também. A equipe Cimed Racing está no caminho certo, como pudemos ver pela vitória do Felipe (Fraga).

Marcos Gomes, P16/P22: Infelizmente tivemos uma rodada dupla para ser esquecida aqui em Curvelo. A gente teve um problema na asa do carro na corrida 1 e na segunda fui acertado logo na largada e isso impediu que a gente conseguisse marcar mais pontos. Vamos focar numa recuperação no Velocitta.

Sérgio Jimenez, P18/P16: Na primeira corrida nosso ritmo não era tão bom. Teve dois safety cars e isso juntou bastante o grid. Acabamos não fazendo uma estratégia diferenciada para a segunda corrida e talvez pudéssemos ter arriscado mais. Depois da largada da segunda prova, eu acabei levando toques de tudo que era lado e meu capô se soltou e, por incrível que pareça, o ritmo do carro melhorou e consegui algumas ultrapassagens. Mas precisamos descobrir o que está nos impedindo de termos uma performance melhor. O lado positivo é que do ponto de vista de confiabilidade foi bom, conseguimos terminar as duas corridas e agora precisamos achar a velocidade para estarmos mais competitivos.

Antonio Pizzonia, P20/P15: Foi ruim porque somei poucos pontos, mas não havia muito a fazer depois daquele problema no qualifying. E ainda sacrifiquei a corrida inicial, abastecendo com mais combustível e optando por uma parada mais curta na segunda, mas o excesso de safety car nos impediu de colher os frutos da estratégia porque muitos também foram para apenas um splash-and-go. Paciência, porque tínhamos um ritmo bom nos treinos e tudo para um domingo produtivo. O consolo é saber que temos confiança de estar no caminho certo.

Guga Lima, P22/P24: Largamos bem na corrida 1. Acabou que não deu confusão na largada e até consegui ganhar algumas posições. O ritmo era bom, estava virando o mesmo tempo dos ponteiros, então tínhamos chances de chegar mais à frente e marcar pontos, mas na última volta levei um toque do Tuka (Rocha) e isso estragou a minha corrida 2.

Lucas Foresti, não largou: É frustrante quebrar antes mesmo da largada. É uma peça bem difícil de trocar e não daria tempo o suficiente para deixar tudo pronto na segunda corrida. O jeito foi ficar vendo pela televisão.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.