Liberty: F1 não era um negócio na era Ecclestone

Fórmula 1

Sean Bratches diz que a Fórmula 1 está trabalhando muito para melhorar. Na semana passada, o chefe comercial da Liberty Media concordou com Fernando Alonso que a falta de entusiasmo nas pistas era um grande problema para o esporte.

Mas ele diz que estão sendo feitos movimentos para acertar as coisas, depois de um longo período de estagnação durante o regime de Bernie Ecclestone. “Não havia negócios”, disse Bratches ao jornal Bild. “Nenhuma estrutura digital, nenhuma pesquisa de mercado, nada. Não havia estratégia, apenas Bernie Ecclestone”.

“Na verdade, você tem que ter muito respeito por como ele conseguiu fazer isso. Mas também está claro que a Fórmula 1 sobreviveu no século 21, mas não cresceu. Agora estamos construindo a longo prazo. Os melhores dias da Fórmula 1 ainda estão por vir”, completou.

Alguns são céticos. O novo serviço de streaming “F1TV” da Liberty, por exemplo, começou com enormes falhas técnicas.

Bratches diz que a F1 resolveu os problemas, acrescentando: “Estamos tentando transformar a Fórmula 1 de um esporte a motor em uma marca de entretenimento que coloca as corridas no centro. Não tenhamos equívocos – somos agora um grupo de mídia e entretenimento”.

Ele não quis comentar se todo o formato do fim de semana deve ser alterado. “Vamos ver”, informou ele. “Primeiro nós engatinhamos, depois caminhamos e então começamos a correr. A pesquisa de mercado está em andamento no tópico. Ross e sua equipe vão lidar com isso”.

Quer concorrer a uma réplica do capacete do Ayrton Senna? Clique AQUI e palpite sobre quem vai vencer o GP da Bélgica da F1!

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.