F1 – Renault defende estratégia de Mônaco

segunda-feira, 28 de maio de 2018 às 13:17

Carlos Sainz

A Renault defendeu a estratégia que deixou Carlos Sainz se sentindo “muito amargo” depois do GP de Mônaco.

Sainz questionou a decisão da Renault de colocar pneus ultra macios em seu único pitstop durante a corrida de Fórmula 1 em Monte Carlo, depois de ele ter caído da oitava posição do grid para terminar em um distante 10º lugar.

Sainz terminou mais de 40 segundos atrás do companheiro de equipe Nico Hulkenberg, que começou fora do Top 10, mas ultrapassou Sainz, enquanto o espanhol lutava por velocidade.

Sainz estava convencido de que deveria ter ido para a super macio em vez dos pneus ultra macios em sua parada, já que ainda faltavam 62 voltas para a bandeirada, e sugeriu que a equipe estava otimista demais com suas previsões para o desempenho dos pneus.

Mas o chefe da Renault F1, Cyril Abiteboul, defendeu a decisão original.

“Acho que mudar para o super macio em vez de ultra macio teria sido ainda pior no final”, disse Abiteboul. “Na hora que fizemos isso, talvez não estivesse claro por que estávamos fazendo isso, mas no final ficou claro que era a coisa certa a fazer”.

“Vimos novamente que é muito difícil ler esses pneus – parecia que iríamos ter uma corrida muito difícil com o Nico e, de repente, os pneus voltaram à vida”.

Os dois pilotos da Renault estavam em diferentes estratégias, graças a Sainz estar comprometido em largar com os hiper macios depois de fazer o Q3, enquanto Hulkenberg começou no ultra macio e correu muito mais tempo no primeiro stint graças a classificação fora do Top 10 e livre escolha de pneus para a largada.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.