Comentários de sábado da Stock Car – Velocitta 2022

sábado, 14 de maio de 2022 às 16:20

Gabriel Casagrande

Ricardo Zonta, P1: Largar na frente aqui é muito importante, ainda mais largando na linha de dentro. Ano passado perdi uma pole aqui por 0.008s… Especialmente aqui no Velocitta, largar do lado esquerdo da pista é importante demais. Estou muito feliz com o resultado, a chance de chuva é grande, mas temos bom trabalho de data para ter um carro balanceado para a chuva, caso ela venha. Até ontem estava preocupado, andamos bem aqui ano passado e esse ano não começamos tão bem. Mudamos totalmente nossa linha de trabalho para acertar o carro, vim para o quali sem ter 100% de confiança no carro, mas sabia que precisaríamos acertar a máquina pensando não só em uma volta no quali, mas em ter performance no Q1, Q2 e Q3. Acertamos o caminho e por isso garantimos a pole, é gratificante quando acertamos o trabalho assim.

Felipe Lapenna, P3: Começamos o dia muito bem, fizemos muitos ajustes e acertamos. Para a tomada a gente sabia que tinha um carro competitivo, mas a Stock Car é muito equilibrada e é tudo nos detalhes. O Cezar Tadau (seu engenheiro de pista) fez um trabalho incrível junto com toda a equipe e conseguimos avançar para o Q2, depois para o Q3 e finalizar com essa terceira colocação. A pole está batendo na trave e está perto.

Gabriel Casagrande, P5: Estou muito contente com a classificação de hoje. Fui o ‘pole dos pesados’, se levarmos em consideração os 25 kg de lastro que estou carregando. Conseguimos manter o nosso bom retrospecto de sempre largar entre os cinco primeiros no Velocitta desde 2017, então vou tentar fazer duas excelentes corridas amanhã e marcar o máximo de pontos. Nosso primeiro passo foi dado e espero que amanhã seja mais um ótimo dia para continuarmos construindo esse campeonato.

Nelson Piquet Jr, P9: Queríamos largar dentro do top5, mas não acertamos a tomada ideal e o carro tinha potencial para ser ainda melhor. Viemos de um treino difícil pela manhã, resetamos para a tomada, o carro funcionou, mas faltou entender a degradação do pneu. A corrida vai ser muito disputada amanhã, é importante estar entre os 10 para brigar por pódio e voltar ao top10 da classificação geral.

Matías Rossi, P16: Depois de bons treinos tanto na sexta-feira quanto hoje de manhã, esta não foi a classificação que nós esperávamos, mas são coisas que acontecem. Agora vamos pensar nas corridas de amanhã e tentar melhorar. Por muito pouco não passei para o Q2, e então vou largar da 16ª posição. Foi uma classificação difícil, mas vamos pensar no que fazer de melhor para amanhã, e ver como as coisas acontecem.

Átila Abreu, P18: Ficamos por pouco mais de um décimo para passar ao Q2, chegamos aqui pensando em uma boa classificação, nosso objetivo era largar na frente já que amanhã a previsão é de chuva para a hora da corrida, então temos a chance de correr depois de muito tempo no molhado. Desde o ano passado temos pecado muito no quali, começamos nossa jornada perto do top10 e neste ano nem ao Q2 estamos passando. O carro melhorou de corrida, mas a vulnerabilidade de largar do fundo do pelotão é enorme, você desgasta muito para avançar pouco. No shakedown o carro pareceu muito bom, à medida que mexíamos ele piorava. No primeiro momento dos treinos o carro era bom, mas piorava com o passar do tempo. Tentamos mexer para o quali, o equilíbrio melhorou, mas não tem grip nenhum e assim não é possível aproveitar o pneu. Melhoramos para a tomada de tempo, mesmo assim estamos longe de onde gostaríamos. Algo ainda está muito errado, não podemos ter uma distância tão grande em uma categoria tão disputada. Vamos continuar trabalhando, se vier a chuva e acertarmos na estratégia tem tudo para ser uma boa corrida, precisamos melhorar para o resto do ano nos treinos, largar mais para frente é muito mais fácil de buscar estratégias e administrar a corrida.

Cacá Bueno, P22: Faltou aproximadamente 0s2 para passar para o Q2. Estou triste e sentido, pois já é o quarto final de semana do campeonato. No ano passado, com o mesmo time, ficamos de fora só de um Q2, e classificamos para alguns Q3. Não estamos entrando no Q2 com nenhum dos carros. Até tivemos uma melhora, mas eu acho que isso aconteceu por essa pista não ter tanta reta. Particularmente, senti muita dificuldade com tração. Os meus dois primeiros setores não eram ruins, mas meu último setor era muito ruim, e não tinha como avançar muito mais. Tem 34 carros, 21º lugar é quase no meio do pelotão, mas eu sei que quem torce para mim, eu e meus patrocinadores não querem que eu ande no meio do pelotão. Estamos longe. Na Stock Car, o que é longe não parece tão longe. Se melhorarmos três décimos, estaremos entre os dez o tempo todo.

Tony Kanaan, P24: A gente teve um treino muito difícil hoje de manhã, e melhoramos na classificação. Nosso carro está competitivo para a corrida. É muito difícil falar que estamos contentes com o 24º lugar, mas a gente tem que ser realista. O carro melhorou, a gente tem capacidade para trabalhar o resto do dia pensando no domingo, e aí fazer uma estratégia para a segunda corrida. Na chuva, não tem estratégia. É sobrevivência. Claro, para se posicionar para a segunda corrida, você coloca mais gasolina para tentar um pit mais curto para a corrida 2. Não muda muito. Eu nunca andei com esse carro na chuva, nem sei como que é. Então, será um desafio bem interessante.

Galid Osman, P26: O carro com pneus velhos era sempre top3 nos treinos, com o pneu novo o carro piorou, estamos tentando entender o que aconteceu para acertar o carro para amanhã. Vamos trabalhar para pontuar o máximo possível. Se tiver a chance de chuva é importante, largando lá de trás é sempre bom essas variações climáticas.

Rodrigo Baptista, P28: A gente teve uma melhora. Não pareceu muito no meu resultado, pois eu errei no setor dois na minha melhor volta. Se eu só repetisse o setor da volta anterior, talvez eu fosse para o Q2. Não é o que a gente esperava, pois a gente melhorou o carro, arriscou e mexeu bastante na classificação, mas com o erro a gente perdeu pelo menos umas oito posições. É a minha primeira vez andando aqui, e é uma pista bem difícil para acertar o carro e deixá-lo certo, pois cada trecho é de um jeito. Mas não tem muito o que fazer. É tentar escapar das confusões, ainda mais por conta da previsão de chuva, e avançar o máximo que der. No seco, a gente não sabe o que pode acontecer no início, mas tudo ocorrendo normalmente, a gente pode pensar na corrida 2. Não tem como fugir muito disso. E, na chuva, tudo pode acontecer, já que tem mais confusão e o risco de a gente se envolver em algum incidente, mas tem o lado de que eu nunca andei no carro nessas condições. Não tem muito como escolher.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.