Comentários de sábado da Stock Car – Rio de Janeiro 2022

sábado, 9 de abril de 2022 às 19:30

Thiago Camilo

Sérgio Jimenez, P2: Foi um ótimo treino! A gente sabia que estava bem, com um bom setup. Estamos evoluindo o carro pouco a pouco e fomos bem nas três fases da classificação. Estamos no caminho certo. Não é fácil sair do nada, como a gente fez. O ano de 2021 foi muito difícil para nós, com muitos problemas, mas viemos arrumando a casa. No fim do último ano, já estava bom. Agora, o início de 2022 só consolidou o trabalho. Amanhã vamos para cima para ganhar a prova.

Matías Rossi, P4: O trabalho da equipe tem sido muito bom, desde o primeiro treino, segundo treino e classificação. Nós conseguimos a quarta posição e acho que estamos muito fortes para nos mantermos nas primeiras filas amanhã, então vamos focar nisso e ir para cima. Foi uma pena o que aconteceu no Q3. Tinha três carros muito lentos que estavam na minha frente e quem mais me atrapalhou na volta rápida foi o (Rafael) Suzuki. É uma pista rápida e todo mundo tem que tomar cuidado para não atrapalhar ninguém.

Cesar Ramos, P5: Os dois carros da Eurofarma (Daniel Serra e Ricardo Mauricio e o Rafael Suzuki vinham devagar, tentando um posicionamento para pegar vácuo, e o Rossi escapou deles e depois voltou em cima de mim. Acho que eu estava num ponto cego para ele, mas muito provavelmente nada disso teria acontecido se uma pista larga como essa não estivesse sem limites e o sistema de classificação fosse diferente.

Julio Campos, P8: O fim de semana começou com uma quebra de câmbio no segundo treino. Acho que o carro ficou com um pouco de vibração e não conseguir fazer o segundo treino completo e ter a certeza, na hora da tomada de tempos, da quantidade de grip que eu teria com pneus novos. Acho que faltou um pouquinho no Q2 para entrar na briga pela pole. Dava para ter encaixado um décimo de segundo melhor para conseguirmos largar entre os seis primeiros. Mas vamos para corrida, buscar pontos importantes para o campeonato.

Felipe Massa, P9: Nunca corri em um circuito tão largo na minha carreira. A ideia da Stock Car foi muito legal de vir para o Galeão e a pista é divertida. Tivemos um sábado positivo, o que cria uma boa expectativa para as corridas deste domingo. Vamos com tudo atrás da melhor estratégia para conquistar grandes resultados nas corridas.

Gabriel Casagrande, P10: Largar entre os dez primeiros com 30 kg de lastro não foi um resultado ruim, foi até superior ao que esperávamos em uma pista com retas longas. Nós tínhamos muito receio do que poderia acontecer, mas claro que sempre pode ser melhor. Acabei tendo minha melhor volta atrapalhada, mas foi chegando em um piloto que estava em uma volta rápida, então não tem nem como reclamar. Acho que é uma boa posição para pensarmos na estratégia de duas corridas amanhã. Temos condições de fazer uma boa pontuação neste domingo. Sobre a pista, a aderência nem atrapalhou tanto, é mais a ondulação que é realmente diferente do autódromo. Não é uma pista criada para as nossas corridas, então temos que nos adaptar a ela, mas a aderência está boa, é um detalhe ou outro dela que atrapalha, mas isso é igual para todo mundo. Vamos para cima.

Thiago Camilo, P11: Ainda falta um pouco de velocidade de reta para o nosso carro, que teve o motor trocado por esse motivo na etapa passada, mas considerando que o peso influencia bastante, e tive o vácuo cortado pelo carro que estava minha frente numa volta rápida, foi um bom resultado. Gostei bastante da pista, acho que a Stock Car fez um bom trabalho teremos corridas interessantes amanhã. Eu precisarei ser estratégico para fazer muitos pontos e sair daqui na liderança do campeonato.

Marcos Gomes, P14: Foi razoável. Começamos o treino com muitos problemas, como na bateria e no radiador, o que nos fez perder muito tempo de pista, num circuito que era novo para todo mundo. Mas fomos evoluindo a conseguimos escapar da parte de trás do grid. Não foi bom, mas também não foi ruim. Vamos fazer uma corrida segura para buscar chegar entre os 10 primeiros e diminuir qualquer tipo de prejuízo, para assim nos mantermos entre os 10 mais bem colocados no campeonato.

Ricardo Zonta, P16: Estava bem confiante, consegui fazer bons treinos, ao longo do dia, sendo primeiro no TL1, segundo no TL2 e terceiro no shakedown. Tentamos aperfeiçoar alguns detalhes de calibragem, mas não mudamos muito o acerto do carro. Mesmo piorando um pouco os tempos dos treinos, teria entrado no Q2. Um erro no balanço do freio me fez travar o freio dianteiro e danificar o pneu. Para amanhã temos um carro rápido para brigar por pontos na primeira prova e avançar ainda mais na segunda.

Átila Abreu, P19: Sabia que no treino não era a condição real, nem todos os carros usaram o push quando foi liberado, então não dava para cravar a posição ideal. Mas, tomávamos três décimos dos carros mais rápidos sem push. Melhoramos do treino 1 para o treino 2 e isso foi positivo. Na saída da tomada de tempo, fui trocar vácuo com o Galid, fizemos duas voltas para colocar os pneus em temperatura. Nas duas voltas seguintes que seriam as melhores voltas, ele conseguiu fechar a dele com o meu vácuo e quando ele foi me puxar o carro entrou em modo de segurança, o que me deixou de cara para o vento e sem condições de achar um outro vácuo. Isso me prejudicou muito em relação ao tempo, teria passado ao Q2 com meio décimo a mais no meu tempo e o vácuo teria permitido isso. Mesmo assim não teria carro para avançar ao Q3. Amanhã é um novo dia, corridas são corridas. Temos previsão de chuva para amanhã, há muito tempo não corremos na chuva e ela pode embaralhar as coisas em uma pista nova de concreto. Para mim, em questão de estratégia, seria muito interessante uma chuva nas corridas de amanhã.

Lucas Foresti, P20: A pista tem bastante areia, sujeira. A chuva estava prevista para hoje, mas não choveu. Para amanhã, não há previsão de que chova. De qualquer forma, estou preparado para tudo isso.

Cacá Bueno, P21: A gente está sempre tentando retribuir a sociedade e a quem torce pela gente, de uma certa maneira. Nem sempre é possível e nem sempre temos as melhores ideias. Mas dessa vez a Play for a Cause, junto com o Instituto Ingo Hoffmann teve uma grande ideia e foi só um prazer poder participar, leiloar um macacão, vai para o Instituto Ingo Hoffmann e o vencedor está feliz da vida que passou o dia inteiro aqui dentro do box, e vai acompanhar amanhã. Todo mundo está feliz. Eu fico feliz por ter ajudado, o Ingo pela instituição dele estar sendo ajudada, e quem comprou o macacão além de levar um grande brinde está levando uma grande experiência do final de semana. Tomara que a gente possa participar de mais ações como essa. A gente começou muito mal, mas fomos evoluindo ao longo dos treinos. Eu fiquei de fora do Q2, o que é lamentável. Eu decidi ir atrás de dois carros extremamente rápidos porque o vácuo aqui faz a diferença, mas os dois erraram em todas as voltas e acabaram me bloqueando nas minhas três tentativas. Tenho esperança de que, na corrida 2, a gente possa quem sabe ter um bom resultado.

Galid Osman, P28: Fiquei em sétimo no segundo treino, o que me deixou confiante para o classificatório. Só consegui dar uma volta no quali, na volta que seria a boa do pneu, meu carro entrou em modo de segurança e não ligou mais. Uma pena não fechar a volta, mas vamos para a corrida de amanhã visando uma boa pontuação.

Tony Kanaan, P29: O carro está bom. Perdemos o vácuo, infelizmente, na classificação por um desentendimento com os carros e isso fez muita diferença, mas amanhã temos a corrida e faremos uma estratégia diferente vindo lá de trás. Esta é uma pista um pouco mais abrasiva, mas isso é igual para todo mundo. Eu já tenho experiência em corrida de aeroporto, então sei que amanhã com certeza teremos que dar uma olhada na questão do desgaste dos pneus.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.