Comentários de domingo da Stock Car – Interlagos 2022

domingo, 31 de julho de 2022 às 19:25

Gabriel Casagrande

Matías Rossi, P1/P18: Não quero que o dia termine, é um sonho. Estou muito feliz e contente pela vitória em Interlagos. Gostaria de agradecer todos da equipe Amattheis Vogel e a Toyota pelo suporte. Vou desfrutar porque foi um dia muito lindo para todos nós.

Felipe Lapenna, P2/P15: Foi muito legal e estou muito feliz, realmente nós estamos tendo um ano fantástico. Falta encaixar algumas coisas, algumas corridas que não demos sorte e já era para estar no top-10 do campeonato ou perto disso. Ontem eu fiquei muito chateado por terem me punido e não poder largar em primeiro, mas hoje eu vim com tudo e queria ter ganhado a corrida. Largar de quarto não é fácil, tentei atacar o Mathias (Rossi) no final, mas ele estava com a vantagem do push e eu não consegui chegar. O desempenho do nosso carro está um absurdo de bom e só está faltando uma vitória para completar os nossos troféus. Na segunda corrida eu fiz uma boa largada e fui de nono para quarto, mas eu só tinha mais um push para usar. Não tinha muito o que fazer, o ritmo era diferente porque teve gente que trocou pneus, e abastecer bastante. Foi um fim de semana muito bom.

Gabriel Casagrande, P4/P8: Estamos de volta na liderança do campeonato, 32 pontos é realmente uma boa pontuação para quem largou na sétima colocação e focou nas duas corridas, enquanto muitos escolheram uma prova ou outra. Faltam cinco etapas e nós vamos tentar continuar nesse caminho, sofrendo com o lastro de sucesso até o final se Deus quiser para chegarmos lá em novembro disputando o título mais uma vez. Conquistamos pontos muito importantes para o campeonato e voltamos para a liderança. Faltou encontrarmos o melhor acerto que já tivemos em outras corridas aqui, estava bem desgastante dentro do carro, contei um pouco com sorte de desviar dos acidentes de alguns adversários, mas é isso faz parte da temporada e vamos seguir lutando para sempre estarmos entre os líderes.

Thiago Camilo, P5/P2: Desde sexta-feira, nos treinos livres, eu vinha falando que o carro estava muito bem equilibrado, mas não vinha, faltava velocidade de reta, nitidamente parecia problema de motor. Hoje a gente teve o carro que faz jus ao trabalho da equipe, muito rápido e equilibrado. Eu ainda ataque no início, logo depois de sair do pit, e não desisti em momento algum da vitória, mas sabia que ele tinha uma condição de pneus melhor.

Felipe Massa, P8/P9: Eu tinha um carro muito competitivo, sempre andando entre os 10 durante todo o fim de semana. Uma pena o que aconteceu na segunda corrida, porque perdi muito tempo e a possibilidade real de chegar pelo menos entre os cinco primeiros. Mas esses resultados mostram realmente que estamos em um caminho de bastante evolução.

Rodrigo Baptista, P10/P3: Viemos de uma evolução gigantesca da primeira etapa até hoje e isso ficou nítido na classificação, em que fui 14º. Mexemos bastante ainda no carro para as corridas, porque sabíamos porque ele estava configurado em um acerto de classificatório. Isso feito, a estratégia era ficar entre os dez primeiros na corrida 1 para largarmos na frente na segunda e foi o que aconteceu. Consegui abrir uma vantagem boa, não para o segundo colocado, mas para o terceiro, mesmo tendo que abastecer. Mas, foi uma corrida com emoção, pois eu não tinha o retorno do rádio. Eu ouvia o Cacá [Bueno] e o Pedro [Cardoso], o engenheiro deles e o meu engenheiro, porém eu não conseguia falar com o meu. Quando acabou a primeira corrida, eu não sabia em que posição que estava até conseguirem arrumar e estabelecer conexão comigo. No final, fui P3 e estou extremamente feliz, parabéns a equipe pelo trabalho duro.

Átila Abreu, P11/P17: Não foi exatamente o que eu gostaria, estamos sofrendo bastante com a performance ainda, muita dificuldade em esquentar os pneus para o quali e também na corrida. Larguei do fundo e gastei todas as fichas tentando chegar entre os 10 primeiros na corrida 1 para se beneficiar de uma inversão de grid. Não tinha o ritmo deles, gastei todos os pushes na primeira prova, mas o ritmo dos 10 primeiros era muito mais forte que o meu. Na corrida 2 fiquei vendido, larguei bem, mas sem push e tendo que abastecer ficou muito difícil. Só pude trazer o carro para casa e coletar uns pontos que restavam. Vamos continuar trabalhando, o ritmo de corrida é bom, mas precisamos crescer na hora de classificar o carro.

Ricardo Zonta, P16/P4: Estamos vivos ainda, apesar do fim de semana difícil. Fomos P2 no treio pré-quali e, na hora de classificar, senti que algo estava errado e uma quebra de um parafuso de suspensão dificultou muito nossa jornada. Só consegui uma volta e classifiquei o carro na 29ª posição. A corrida foi muito difícil, com muitas batidas e toques, e meu objetivo era escapar vivo deles, terminar a corrida de forma limpa. Consegui uma boa 16ª posição para pontuar e preparamos o carro para a corrida 2, que era o objetivo principal. Os carros que acabaram à minha frente tinham mais pneus novos disponíveis, então, dentro que poderíamos fazer, foi muito bom o resultado.

Tony Kanaan, P18/P11: Foi um final de semana difícil, acho que a gente sofreu como equipe durante o final de semana inteiro, mas tivemos um resultado bom na corrida 2. Acho que a gente fez uma estratégia boa e penso que tínhamos carro para chegar entre os dez, e fomos 11º, então está muito perto da nossa meta, que é ficar sempre entre os dez primeiros colocados.

Thiago Vivacqua, P20/P24: Cumprimos nosso objetivo de pontuar aqui em Interlagos, então, dentro das circunstâncias foi um bom resultado. Infelicidade na corrida 2, mas a confusão na primeira volta tirou essa chance, cai para último tentando ultrapassar o Júlio Campos e isso prejudicou um pouco nossa estratégia. Mesmo com a parada curta na segunda corrida, não ganhamos muitas posições, então não deu para subir muito. Balanço positivo mesmo assim. Feliz em voltar ao Brasil nessa pausa da DTM, estar sempre pilotando é bom para manter o ritmo, então feliz em estar na principal categoria do país. Tudo faz parte de um grande projeto de voltar ao automobilismo nacional depois de muitos anos na Europa. Hora de voltar para casa e competir em alto nível na principal categoria do país. Agradeço aos meus patrocinadores por todo o apoio, nunca vi tanta gente torcendo por mim quanto nessa etapa, me deixou muito feliz.

Tuca Antoniazi, P23/P26: Eu estou feliz com o desempenho do Lapenna. Estamos com os carros inteiros, troféu de pole position e um troféu de segundo lugar. Quer coisa melhor do que isso? Meu carro poderia nem ter andado neste fim de semana e mesmo assim eu estaria feliz.

Nelson Piquet Jr, P25/P5: Não foi o fim de semana esperado. Desde o quali ontem que foi ruim até hoje nas corridas. Tentamos salvar alguns pontos, mas chegar aqui em P10 e sair em P11 no campeonato não era nosso plano. Temos que voltar para a oficina e trabalhar, o carro não teve performance e alguns erros no pit nos prejudicaram. Vamos focar para voltar ainda mais forte na próxima e entender como melhorar para voltar a brigar entre os cinco melhores esse ano e disputar o campeonato no ano que vem. Precisamos melhorar se quisermos isso.

Galid Osman, P26/P12: A expectativa era boa para o fim de semana, mas um erro antes da classificação me tirou do quali e larguei da última posição. Fizemos uma estratégia pensando na segunda corrida e consegui terminar na 12ª posição. Não foi um resultado ruim se pensarmos em tudo que aconteceu no fim de semana, fizemos alguns pontos no campeonato. Um pouco chateado, mas vamos para a próxima.

Julio Campos, P27/P6: Foi um final de semana complicado, porque nunca tivemos uma falta de velocidade tão grande como aconteceu aqui. E acabamos optando por uma corrida só, o que não é o ideal. Conseguimos um sexto lugar, o que foi até bom para quem largou lá atrás, mas precisamos melhorar para a próxima etapa, porque nessa ficamos devendo um pouco.

Cacá Bueno, não terminou/P13: Na corrida 1, larguei com cautela, mas alguém rodou o Gaetano na minha frente. Eu diminuí para não acertá-lo, mas alguém atrás me atingiu, me jogando para cima do Gaetano e praticamente me tirou da corrida 1. Preparei o carro para a corrida 2, mas com o equipamento muito debilitado, com trepidação, peças caindo. Larguei de último e cheguei em 13º, o que mostra que o rendimento do carro existia. A velocidade de reta era um dos que mais nos afetava, e agora ficou competitivo, não mais rápido, mas no meio do pelotão. Mas temos diversos problemas que ainda não foram resolvidos desde o nascimento do carro e estamos recuperando o tempo perdido.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.