Tony Kanaan disputará o Iron Man, que é a “Indy 500” do triatlon

t kanaan.01Tony Kanaan e Vitor Meira irão participar neste próximo sábado (8) de uma prova diferente. Os brasileiros, ao invés de pilotar os carros da Fórmula Indy, correrão, nadarão e pedalarão no IronMan World Championship, em Kailua-Kona, Havaí.

Ambos os pilotos constantemente participam de algumas etapas do IronMan, mas sempre em distâncias menores, de 70,3 milhas, o que dá 110 quilômetros de distância. Todavia, essa etapa do IronMan será completa, e será a primeira vez que o piloto nadará 2,4 milhas (3,840 quilômetros), pedalará 112 milhas (179,2 quilômetros) e correrá 26,2 milhas (42 quilômetros), que soma no total a marca de 140 milhas (225 quilômetros).

“Sempre tive a vontade de fazer o Ironman de Kona, mas sei que eu nunca me classificaria para a prova, pois eu não sou um triatleta, sou um piloto de Fórmula Indy. Eu já fiz vários 70.3 (meio Ironman) porque gosto, sou fã de triatlon, e no ano passado, após a prova realizada em Clearwater (Flórida) eu comecei a brincar com a possibilidade de treinar para o Iron completo. Felizmente, surgiu a oportunidade de eu fazer Kona a convite da organização do evento, como “media slot”. Esse é um convite especial que é dado pelo IronMan para alguns atletas de outras modalidades ou celebridades, buscando divulgar o triátlon para outros públicos. Como o retorno de mídia depois do mundial de Clearwater de 2010 foi muito bom, tanto eu quanto o Vitor Meira, que é meu parceiro de treino, recebemos o convite para fazer parte desse evento espetacular”, explicou Tony, falando como surgiu a ideia de fazer o Iron Man em Kona.

Kanaan começou a treinar para esta prova ainda em 2010, mesmo sabendo se iria participar, ou não, do triátlon. “Eu comecei a treinar em dezembro de 2010, mesmo antes de saber se eu iria ser convidado ou não. Eu tive o apoio de dois treinadores diferentes, um do centro esportivo St. Vincent, de Indianápolis, que me patrocina, e também do meu treinador de Miami, que é onde eu moro. Além dos treinadores, tive a supervisão de uma nutricionista, também do St. Vincent, e a grande parceria do Vitor Meira nos longos e intermináveis treinos de corrida, bicicleta e natação. Quando recebi o convite oficial, a nossa temporada na Indy estava para começar, então foi um desafio muito grande conciliar o meu tempo livre fora do carro de corrida com todos os treinamentos necessários para se fazer uma prova desse porte”, disse.

E mesmo levando a vida em corridas onde o importante é vencer, Tony diz que o que menos importa é a vitória. Estar lá e chegar ao final será seu grande prêmio.

“Não estou pensando em bater nenhum tempo, e por mais que isso seja estranho para mim que ganho a vida tendo que ser mais rápido que os meus competidores, o meu objetivo é terminar a prova. Tenho 17 horas para terminar todo o trajeto e isso é o que importa. Mas claro que quero terminar bem, afinal suei bastante durante estes dez últimos meses e abdiquei de todo tempo livre que eu tinha para não fazer feio quando eu chegasse aqui em Kona. Gosto te comparar esta prova com as 500 Milhas de Indianápolis. Kona é a “Indy 500″ do triatlon, é a prova mais importante do calendário deles e é a prova que os melhores atletas querem ganhar, por isso me sinto honrado em ter a oportunidade de participar da prova”.

Tony e Vitor, que estão no Havaí desde segunda-feira, se juntarão a mais de 1800 atletas, de mais de 50 países diferentes, que darão seu sangue e suor na prova deste sábado (8). Os atletas terão um tempo máximo de 17 horas para completar a prova.

EB – www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.