Stock Car – Full Time conquista pódio com Barrichello

Rubens Barrichello

A equipe Full Time Sports conquistou neste domingo (dia 7) um ótimo resultado na estreia da temporada 2019 da Stock Car, no autódromo do Velopark, em Nova Santa Rita (RS). O time, comandado por Maurício Ferreira, foi ao pódio com Rubens Barrichello em segundo e pontuou com os outros três carros: Nelsinho Piquet em sétimo, Gaetano di Mauro em 14º e Galid Osman em 20º.

A corrida de número 500 da Stock Car também abriu a temporada de 40 anos da principal categoria do automobilismo brasileiro. E a disputa foi bastante tumultuada com as condições instáveis de tempo. A prova começou com Safety Car, mas pista com condições de seco e os pilotos usando pneus slicks.

Minutos antes da janela obrigatória de pit stops, começou a chover e os pilotos que pararam nas primeiras voltas optaram pelos pneus de chuva. Foi o caso de Piquet, Di Mauro e Osman. Barrichello ficou mais tempo na pista e, com a chuva diminuindo, manteve os slicks, trocando apenas dois pneus. A estratégia mostrou-se acertada.

Piquet e Osman ainda fizeram um segundo pit, para colocar os pneus de seco e puderam voltar para a pista para tentar brigar por melhores posições.

Para Maurício Ferreira, foi um bom início de temporada e o fim de um tabu, com a conquista do primeiro pódio da equipe no Velopark. “Foi um bom começo, considerando também a nossa performance na classificação no sábado. Tivemos uma corrida muito difícil, com a decisão do uso do pneu na hora da janela de pit stop, quando começou a chover. Ficou mais difícil”, disse.

“Nessa hora, a experiência e a calma contam muito, mas os riscos aumentam. Acredito que as decisões foram acertadas, da equipe inteira, porque a gente tem que pensar em cada um, em cada situação”, comentou Maurício, que este ano comemora 15 anos de fundação da Full Time.

“No final, cada um da sua maneira, construiu o resultado. Terminamos com os quatro carros na zona de pontuação. Isso é muito importante para aquilo que a gente quer no decorrer do ano, que é fazer pontos. Vence o campeonato quem somar mais pontos. Agora é pensar na próxima e fazer mais pontos”, concluiu o chefe da equipe.

Barrichello, que largou da terceira colocação, apresentou uma grande performance na corrida. Após um acidente, o piloto ainda enfrentou problemas no volante e teve de se superar para chegar ao final da Stock 500.

“Estou muito feliz por ter conquistado um resultado tão positivo. Foi uma pena o toque com o Cacá (Bueno), que provocou a quebra da barra do volante. Então, foi uma vitória ter conduzido este carro nas últimas 10 voltas, mas não só por mim, mas por toda essa equipe que luta tanto”, declarou o piloto do Stock #111 (Mobil / ALE Combustíveis).

“Eu me dediquei para a gente chegar ao final, mesmo com o carro torto e foi uma vitória”, continuou Barrichello, que nos treinos livres não teve a oportunidade de andar com pneus de seco e desconhecia a performance do carro nestas condições. “Depois de não ter andado no seco, era como se eu estivesse treinando no final, aprendendo as reações do carro nessa situação”, lembrou.

“Mas estou muito feliz! É um começo de temporada muito positivo e não vejo a hora de guiar a próxima vez”, completou o campeão de 2014, que inicia o campeonato marcando 26 pontos.

Piquet, que assim como Barrichello conquistou o Fan Push nesta etapa, largou da quarta colocação e tinha grandes chances de brigar pelo pódio. “Levando em consideração tudo o que aconteceu, a equipe fez um trabalho brilhante de parar de novo e colocar os pneus slicks. Estou feliz em poder ter chegado em sétimo. Um bom começo e é assim que se ganha campeonatos, marcando pontos em todas as etapas. Óbvio que queremos ganhar, mas isso vai vir com o tempo”, frisou o piloto do Stock #33 (Texaco / Havoline / Autotrac).

O estreante Di Mauro, que foi uma das sensações dos treinos e largou entre os seis primeiros, sabe que poderia ter sido melhor, mas deixou a pista contente com o resultado. “Foi uma estreia positiva, a equipe trabalhou muito por mim neste fim de semana. Nós nos dedicamos muito para ter um bom resultado na classificação, com uma estratégia muito boa o tempo todo. Corremos um risco na corrida, o que é normal. Se desse certo, poderíamos estar na frente. Infelizmente não foi a nossa vez, mas é assim, ganhamos e perdemos junto. Estou muito contente, e tenho certeza de que o ano todo será positivo”, acredita o piloto do carro #11 da Shell Helix Ultra.

Já Galid lamentou a mudança do tempo pouco antes do pit stop, mas também ficou satisfeito. “Vinha num bom ritmo, estava em 16º depois de largar de 18º. Eu estava atrás de um trenzinho de seis, sete carros, num ritmo muito bom. Mas começou a chover e parei logo, o que na hora foi muito acertado, iríamos nos dar muito bem. Mas logo depois parou de chover e fui muito penalizado, só me restou seguir na pista. Tentei colocar o pneu slick no fim, mas não deu tão certo. De qualquer forma, saí com um pontinho, agora é pensar no restante do campeonato”, finalizou o piloto do Stock #28 (Shell Helix Ultra).

A próxima etapa da Stock Car acontecerá no dia 5 de maio no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP).

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.