Stock Car – Comentários de sexta-feira – Londrina 2017

Júlio Campos

Júlio Campos

Julio Campos, P2: Já saímos virando rápido com pneus velhos. Com o segundo jogo, chegamos onde era previsto. Não usamos pneus novos, mas acho que muita gente está nas mesmas condições. Ainda temos um treino para mexer umas coisinhas para as tomadas de tempo e melhorar o carro para uma pista que deve estar bem parecida com hoje. Mas as chances de largar entre os 10 primeiros são reais. Nosso tempo melhorou a cada saída. Isso mostra que estamos mesmo muito bem.

Cacá Bueno, P3: O carro vem evoluindo etapa por etapa e acredito que nossa melhor volta hoje foi bem boa para ficarmos com o primeiro lugar no grupo 1. No segundo grupo, a temperatura do asfaltou diminuiu aproximadamente seis graus e o traçado ficou mais emborrachado, então era normal que os tempos melhorassem. Como eu usei pneus novos, acredito que ainda precisamos encontrar mais dois ou três décimos para o classificatório deste sábado.

Felipe Fraga, P4: Estou bastante confiante para o final de semana e o carro mostrou hoje que estará competitivo para o classificatório amanhã. Ainda é só o início dos treinos, mas é claro que vir de duas vitórias ajuda para nós encararmos esse desafio aqui em Londrina. Fez muito calor hoje e deve ficar assim na corrida também, mas acredito que isso é igual para todos os pilotos e nós já estamos acostumados com os mais de 50 graus de temperatura dentro do carro.

Rafael Suzuki, P5: Foi um bom treino, onde o mais importante é que conseguimos cumprir com tudo que queríamos testar e eu considero que um treino bom não é só quando vira rápido, mas é quando você tem tempo para tudo. Então, além de termos virado rápido, conseguimos testar o que nós queríamos e isso no forte calor, que é no mesmo horário da classificação amanhã e da corrida no domingo. O segundo treino amanhã é muito cedo e a temperatura da pista é muito mais baixa, então o dia mais produtivo tinha que ter sido hoje.

Átila Abreu, P6: Foi um bom treino, tanto de pneu velho como de pneu melhor, o carro correspondeu e ficamos entre os primeiros. É uma pista que vai nos desafiar muito porque tem muitas freadas em curva, é difícil achar o equilíbrio. Na parte final, nem asfalto tem, é só pedra, parece que você corre sobre o gelo. É difícil conseguir um carro 100% equilibrado, vamos tentar sempre o melhor compromisso com o desgaste. Vamos colher as minhas informações e as do Zonta para melhorar, mas começamos com o pé direito.

Thiago Camilo, P9: Com as restrições no número de jogos de pneus novos temos que planejar bem o que vamos fazer até o fim do ano. Hoje, por exemplo, não passei novos, e talvez não faça isso no treino livre de amanhã. É um pequeno risco que corremos entrar na classificação sem saber exatamente como o carro vai se comportar com pneus novos, mas é um risco calculado.

Tuka Rocha, P10: Ficamos entre os dez primeiros, quarto no meu grupo, e no segundo grupo ainda deu uma melhorada na pista, mas enfim, começamos com o pé direito. Os quatro carros da equipe estão entre os dez primeiros e o setup esta bom, então temos tudo pra ir bem amanhã.

Gabriel Casagrande, P11: Treinos servem para isso, avaliar, testar – principalmente o desgaste e comportamento dos pneus nesse calor escaldante. O tempo vai contar mesmo é amanhã na tomada de tempos, mas foi um ótimo simulado para o que podemos encontrar nos próximos dias, pois a previsão é a mesma: sol a pino e calor.

Felipe Lapenna, P14: Dentro da nossa programação cumprimos com a nossa meta. Amanhã vamos buscar mais uma boa classificação, como vem acontecendo nas duas últimas etapas, pois aqui largar na frente é fundamental.

Ricardo Zonta, P16: Fizemos muitas alterações no carro para tentar achar um equilíbrio. O desgaste de pneus preocupa a todos, temos de encontrar esse equilíbrio tanto para a classificação como para a corrida. No treino livre da manhã de sábado ainda faremos várias mudanças com esse objetivo. Sentimos bastante as ondulações no carro, principalmente quando temos de pular sobre alguma zebra. Um dos maiores problemas é na curva 7, que não tem asfalto no meio da curva, é totalmente pedra, isso agride muito os pneus e acelera o desgaste.

Galid Osman, P19: Ainda está faltando alguns detalhes para chegarmos a um bom acerto, mas confio que vamos ter bom carro amanhã na classificação. Em uma categoria ultra disputada como a Stock Car, um push a mais pode significar até duas posições e pontos preciosos no campeonato.

Antonio Pizzonia, P23: Há muito que eu não andava aqui. Levei um tempo para me lembrar de algumas coisas e me acostumar a uma mudança no desenho da pista. Fizemos algumas experiências que não deram tão certo e perdemos algum tempo. Mas isso fazia parte da programação, testar algumas coisas diferentes. O importante é que o caminho certo a gente tem. Vamos aproveitar o treino de amanhã para lapidar um pouco mais o carro e fazer uma boa classificação.

Lucas Foresti, P26: Hoje treinamos no horário da corrida, então tivemos uma reprodução do que veremos no domingo e já deu pra ver que serão duas corridas muito difíceis. Encontramos o caminho nos treinos de hoje, mas temos que ficar atentos para o desgaste nas provas, principalmente dos pneus. O pensamento nesta sexta-feira, na realidade, foi duplo: pensar num acerto rápido para a tomada de tempos de amanhã às 13h e analisar o desgaste em ritmo de corrida para o domingo. Acho que fizemos um bom trabalho. Agora é estudar os números para não termos surpresa amanhã.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.