Stock Car – Comentários de sexta-feira – Argentina 2017

Marcos Gomes

Marcos Gomes

Marcos Gomes, P3: De todas as pistas do calendário, a de Buenos Aires é com certeza a que vamos sofrer mais com desgaste de pneus. Teremos que pensar bastante a respeito desta questão de estratégia e pode ser até que a troca de pneus seja obrigatória, o que mudaria bastante a dinâmica da rodada dupla aqui na Argentina. Nosso carro está bastante competitivo e acredito que vamos brigar mais uma vez por um lugar entre os três primeiros no grid de largada.

Átila Abreu, P4: Uma pista muito divertida de pilotar, principalmente nas curvas 1 e 2, difíceis de encontrar no automobilismo brasileiro, talvez Cascavel com o Bacião. A primeira curva é muito longa, em quarta marcha a 180, 190 km/h, e desafia bastante o piloto, quanto mais você vai achando o limite, assusta, é divertido de andar! O grande problema que encontramos foi o desgaste de pneu, tentar equilibrar o carro para uma ou duas voltas e o carro piora tanto que você não sabe se mexer no carro tem efeito ou não, mas é assim para todo mundo. Vamos tentar fazer o melhor para entender os desafios que a pista vai nos proporcionar para ter um carro rápido na classificação pensando não só no Q1 mas no Q2 e Q3, ou seja, um carro rápido para passar no Q1 mas não desgastando tanto para o Q2 e o Q3. Terminamos bem o dia, em quarto, poderia ter sido melhor, mas alguns adversários talvez passaram um pneu um pouco melhor do que nós. Mas estou satisfeito com o carro, porém tem muito trabalho ainda e não dá para falar nada, qualquer mudança você pode achar muito tempo. Vamos trabalhar para nós acharmos esse tempo e não nossos adversários.

Antonio Pizzonia, P5: Este provavelmente é o pior piso que já vi. Nem Tarumã, que durante muito tempo apresentou o mesmo problema de degradação, consumia tanta borracha como este. Acho pouco provável que os pneus resistam além de poucas voltas. O asfalto da pista é exatamente o mesmo aqui da área do pit lane.

Felipe Fraga, P6: Foi um dia bom de treinos, mas ainda precisamos melhorar para se aproximar do melhor tempo do dia. Foi a primeira vez que eu andei nessa pista, então ainda quero aproveitar o segundo treino amanhã pela manhã para se preparar para o classificatório. Vamos aproveitar os dados do Marquinhos, que fez um tempo um pouco melhor que o meu e daí daremos sequência no trabalho.

Cesar Ramos, P7: Ainda é muito cedo para apontar favoritos, mas começar bem é importante porque mostra que estamos no caminho certo em termos de acerto do carro e já temos uma direção do que precisa ser feito para amanhã. Mas estamos competitivos e, com duas corridas pela frente, estamos confiantes de que poderemos brigar pelo nosso melhor resultado em 2017.

Lucas Foresti, P11: Não passamos pneus e fiquei contente com o resultado. Essa pista tem um trecho muito rápido que compreende o primeiro e último setores que é uma delícia de pilotar com o carro da Stock. Hoje foi uma indicação, um parâmetro, mas a realidade mesmo saberemos amanhã no último treino antes da tomada de tempos.

Julio Campos, P14: O carro está muito bom para o ritmo de corrida, mas ainda precisamos trabalhar um pouco mais para a classificação. A troca será quase obrigaria, porque serão duas corridas e dificilmente os pneus resistirão.

Galid Osman, P15: O carro está bom. A posição na tabela de tempos não reflete onde posso largar, principalmente porque não andei hoje com os quatro pneus novos. Amanhã vamos seguir trabalhando passo a passo para chegar no Q2 e no Q3.

Ricardo Zonta, P19: É uma pista nova porque os carros mudaram muito de 2007 para agora. São dez anos em que o carro evoluiu muito, mesmo que tenhamos alguns dados, o carro faz muita diferença. Então trabalhamos bastante hoje, percebemos que o primeiro grupo tem sofrido muito por falta de borracha no asfalto. O primeiro grupo começa a limpar a pista e o segundo grupo baixa meio ou um segundo no tempo de volta. Trabalhamos em dois acertos no carro, focando um bom desempenho na corrida.

Cacá Bueno, P20: Sem dúvida o asfalto é bastante abrasivo, mas a temperatura está bem amena, em torno dos 17, 18 graus Celsius, então acredito que seja sim possível fazer a corrida sem a troca. Nós tivemos um problema de motor no shakedown e isso acabou atrapalhando a nossa sequência de desenvolvimento hoje. Eu tive que usar pneus novos para fazermos um acerto de freios e isso é ruim porque o desgaste aqui é muito alto e rápido. Depois nós continuamos com dificuldades de acertar o carro. Nós precisamos melhorar bastante para estamos competitivos amanhã no classificatório.

Marcio Campos, P23: Começamos bem o treino, com pneus usados, mas quando passamos para os pneus novos, o carro não demonstrou nenhuma melhora. Mas acredito que amanhã as coisas vão encaixar melhor e vamos conquistar posições melhores no grid.

Gabriel Casagrande, P26: Não colocamos pneus novos, mas não estou satisfeito com o carro. Nossa desvantagem para os ponteiros é enorme mas meio que prevíamos isso, pois o estilo dessa pista não casa tão bem com o nosso carro – parece muito com Cascavel. Mas é o primeiro dia, confio no meu time para virar o jogo amanhã.

Denis Navarro, P28: Nós não usamos pneus novos hoje e temos bastante coisa para melhorar durante o final de semana. O acerto ainda está um pouco longe do ideal, mas vamos trabalhar e analisar os dados de telemetria para tentarmos diminuir essa diferença para os primeiros colocados.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.