Stock Car – Comentários de domingo – Velopark 2017

Cacá Bueno

Cacá Bueno

Cacá Bueno, 2º/não terminou: Estou muito feliz por esse primeiro pódio com a Cimed Racing. Ainda faltou um pouco de tração para lutarmos pela vitória, mas estou bastante satisfeito com a nossa evolução da primeira para a segunda etapa da Stock Car. Foi uma pena, porque certamente daria para sair daqui entre os quatro primeiros no campeonato. Melhoramos bem aqui no Velopark, mas ainda acredito que a gente tem potencial para crescer muito mais nas próximas.

Marcos Gomes, 5º/3º colocado: Foi excelente marcar 35 pontos e com isso recuperar bem no campeonato. Evoluímos em relação à etapa 1 e em Santa Cruz do Sul vamos estar ainda mais fortes, em uma pista em que nosso carro deve ser ainda mais competitivo.

Valdeno Brito, 8º/2º colocado: Segunda etapa do ano e em uma equipe nova e já conquistamos um pódio. Estou muito feliz com o desempenho que tivemos nesta etapa e com o trabalho que a equipe vem desenvolvendo.

Guilherme Salas, 10º/20º colocado: Eu já havia ganhado 10 posições quando o Safety Car entrou na pista e estava com o carro totalmente abastecido, o que me colocaria em condições de brigar pelas primeiras posições na corrida 2. Mas antes da relargada, um piloto que estava duas posições à minha frente freou bruscamente, o Antonio Pizzonia conseguiu desviar, mas eu não. Com a batida, perdi o capô do carro, meu radiador acabou danificado e fui obrigado a abandonar. Eu larguei dos boxes, fiz uma boa corrida, ganhei várias posições ao longo da prova e consegui terminar em 10º. É uma excelente colocação, levando em consideração todas as dificuldades que tivemos no final de semana. O carro evoluiu muito em relação a Goiânia, e a equipe trabalhou muito para isso. A melhora no meu carro e a corrida do Gabriel Casagrande, que chegou a brigar pela vitória, mostram que estamos no caminho certo. Foi uma pena o problema que ele teve no final. Vamos para Santa Cruz do Sul ainda mais otimistas para conseguir melhores resultados.

Tuka Rocha, 11º/11º colocado: Foi uma boa corrida. Tínhamos um ritmo bom, mas no final da primeira prova perdemos na linha de chegada a décima posição pro (Felipe) Fraga, o que custou para gente a segunda prova. O (Antonio) Pizzonia fez uma coisa inexplicável, jogando o carro em cima de mim, o que me fez rodar, mas mesmo assim conseguimos nos recuperar e foi o máximo que deu pra fazer. Subimos três posições na tabela e isso dá ainda mais animo para campeonato.

Sérgio Jimenez, 13º/12º colocado: Larguei bem na corrida 1. Dei um pulo bom. As ‘rodadas’ passaram perto, mas felizmente não me acertaram desta vez. Meu ritmo no começo não era tão bom, mas depois da décima volta melhorou e começamos a brigar por posições. O pit foi bom, mantivemos a posição e conseguimos marcar pontos. Na segunda corrida também larguei bem, andei junto com o pessoal que foi pro pódio na prova 1, ultrapassei o Thiago no início e deu pra medir um pouco de ‘força’. Depois, numa disputa com o Cacá, acabamos tendo um toque o que me prejudicou e me fez perder posições. Na hora que o Tuka e o Pizzonia bateram, eu vinha logo atrás, com push e só fiquei esperando pra que lado cada um ia e consegui escolher o lado certo. Uma pena que deu um grande acidente depois e espero que o Lucas esteja bem.

Antonio Pizzonia, 14º/não terminou: Estive muito próximo de levar uma batida em T, exatamente a mais perigosa do automobilismo. Eu procurei sair daquele ponto até por instinto e exatamente por temor de levar uma pancada. O problema é que a posição do banco do Stock Car dificulta a visão lateral. Ainda bem que não aconteceu nada de mais grave.

Rafael Suzuki, 15º/15º colocado: Na primeira prova fizemos o certo consegui somar pontos, mas na segunda prova também acabei tomando um toque na curva 3, que acabou com meu carro. Considerando todas as situações e obviamente todos os acidentes, acho que se não tivéssemos tido essa batida no começo iríamos somar mais uns quatro pontos. Agora é pensar em Santa Cruz, onde temos um mês de trabalho pela frente, para termos uma posição de classificação melhor, pois em pistas como o Velopark e a de Santa Cruz, que são mais travadas temos muito que trabalhar. Claro, que pro campeonato os pontos que somamos são bem importantes.

Denis Navarro, 16º/não terminou: A corrida 1 foi boa, consegui marcar alguns pontos importantes mesmo depois de um treino classificatório complicado, mas na 2 a gente tinha chance de chegar entre os cinco não fosse a quebra.

Márcio Campos, 17º/não terminou: As zebras do Velopark são muito altas. O carro bate muito e acaba se desgastando. Foi uma pena porque terminar as duas provas e buscar somar pontos nas duas corridas seria muito importante para mim e para o campeonato de equipes. Mas agora é levantar a cabeça e pensar em Santa Cruz do Sul.

Guga Lima, 18º/14º colocado: O final de semana começou com alguns problemas, mas no final sair com alguns pontos foi bom, positivo. Conseguimos evoluir o carro nos treinos. Precisamos ainda melhorar mais o ritmo de corrida, mas estamos perto. Na segunda prova, fiz uma largada muito boa e uma pena o Diego ter me acertado. Mesmo assim consegui voltar e marcar mais um pontinho.

Átila Abreu, não terminou/4º: Zonta e eu tínhamos conversado para sermos cautelosos na largada e assim fomos mas o Genz bateu no Zonta e eu estava numa linha mais defensiva para tentar escapar e ficou num ponto em que o Zonta me levou. Voltei com o carro desalinhado, passei uns três carros, o carro ficou traseiro e furou o pneu. A segunda corrida também foi conturbada, o carro não ficou 100%. Os mecânicos fizeram um ótimo trabalho para recuperar o carro, mas havia uma questão de acerto mesmo. Não era o carro mais rápido, mas sabia que era importante pontuar pensando no campeonato. Conseguimos escapar de algumas situações e avançamos. Conseguimos escapar do acidente do Pizzonia e do Foresti e o safety car foi muito longo, o que foi ruim para nós. Nós tínhamos muitos pushes para usar, tanto que terminei com oito e havia muito combustível. O safety car teria nos ajudado, mas ele ter sido tão longo nos atrapalhou. Se não fosse isso, teríamos chegado ao pódio. Mas bola para frente, salvamos bons pontos, o prejuízo não foi tão grande diante da situação que foi criada. Agora é trabalhar para a etapa de Santa Cruz do Sul.

Ricardo Zonta, não terminou/6º: Na primeira corrida, o Vitor Genz cometeu um erro, jogou o carro por cima da zebra e bateu no meu, e quebrou a suspensão. Essa primeira chicane é sempre difícil, sempre sobra para alguém. Com a quantidade de safety cars, a estratégia dos outros carros se aproximou muito da nossa. Ninguém quase reabasteceu a gente ganhou menos posições do que deveria na segunda prova, mesmo assim ainda terminamos entre os primeiros.

Diego Nunes, não terminou/16º: Infelizmente tivemos esses incidentes durante a prova o que nos fez perder pontos importantes, temos que correr atrás disso agora. Precisamos resolver esse problema de motor que esta prejudicando a gente, e perdendo performance, mas de acerto de carro estamos bem, para andar entre os oito, seis primeiros. Temos um mês para a próxima corrida para trabalhar em cima disso.

Cesar Ramos, não terminou: Conversei com a Bia e ela disse que realmente não me viu. Aquele ponto da pista é realmente muito complicado. Mas este incidente acabou com a minha corrida. Uma pena, porque estava evoluindo na prova, com um bom ritmo e ganhando posições. Marcaríamos pontos importantes para o campeonato.

Felipe Lapenna, não terminou: Tive um problema na caixa de direção no warmup, mas achei que fosse mais aquecimento do pneu, que não tinha chegado na libra, porque o carro estava rápido, mas depois na primeira volta na primeira corrida, já vi que seria complicado porque eu não conseguia frear. Aí na corrida dois tentamos uma estratégia para ir para o tudo ou nada, mas tive que abandonar em função do problema.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.