GP2 – Pilotos fazem o primeiro teste com o novo sistema de DRS

GP2 testa o DRS

O diretor técnico da GP2 Didier Perrin disse a introdução de um sistema de redução de arrasto similar ao da F1 vai “acrescentar algo interessante” para a categoria.

Perrin tem desenvolvido o sistema desde meados da temporada passada, quando a introdução do DRS para 2015 foi confirmada. Ele foi testado pela primeira vez na pista em outubro na Catalunha, antes de ir ao Bahrain para dois testes em dezembro e fevereiro.

“Pouco a pouco, nós simplificamos o sistema: começamos com algo bastante complexo, mas acabamos com um dispositivo que é muito simples, Perrin explicou. “Isso foi importante porque quanto mais simples, mais fácil de operar e de ser confiável e eficiente”.

Todos os pilotos da GP2 começaram a se familiarizar com o novo DRS durante os testes em Abu Dhabi. A GP2 vai usar as mesmas zonas de ativação do DRS que a F1, mas Perrin disse que a principal diferença entre os dois sistemas estará na telemetria.

“Na F1, as equipes têm à sua disposição um sistema de telemetria muito competitivo, que envia e recebe dados do carro. É claro que isso não é algo que nós temos na GP2. Por isso, tivemos que desenvolver um sistema de telemetria que será controlado pela EM Motorsport. Ele vai permitir localizar os carros na pista e enviar os dados de DRS para cada um deles durante cada sessão”.

Perrin espera que esta ferramenta tenha o mesmo impacto que na F1, com corridas mais próximas, mais competitivas, com um maior número de ultrapassagens.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.