Fórmula E – Brasil briga por liderança do Campeonato Mundial na China

Lucas di Grassi

O Brasil pode voltar a liderar um campeonato mundial de automobilismo neste sábado (23), durante a disputa da sexta etapa da Fórmula E, em Sanya, no sul da China. Já campeão da temporada 2017 e piloto com o melhor retrospecto na história do campeonato, o brasileiro Lucas Di Grassi vem embalado em uma arrancada de recuperação após sofrer com problemas técnicos nas corridas iniciais. Depois de vencer o e-Prix do México de forma sensacional e de conquistar o segundo lugar em Hong Kong apesar do menor rendimento de seu carro, Lucas agora está a apenas dois pontos do líder Sam Bird e conta com o entusiasmo da equipe Audi Sport ABT Schaffler por seu bom momento na disputa. Di Grassi soma 52 pontos, contra 54 do líder Sam Bird (Inglaterra).

A etapa de Hong Kong foi o 29º pódio da carreira de Lucas na Fórmula E. Ele e o líder Sam Bird são também os únicos pilotos a terem vencido provas em todas as temporadas da categoria. “Nosso time tem uma característica marcante: a equipe cresce muito justamente na adversidade, quando as coisas estão difíceis, e este ano está sendo especialmente complicado não apenas pelos problemas iniciais que tivemos mas também por que a competição está mais acirrada do que nunca. E nós adoramos isso”, diz Lucas, ele próprio conhecido por sua capacidade de adaptação em competições muito acirradas.

“Estamos confiantes, mas também estamos cautelosos. Na F-E qualquer coisa é possível, todo mundo é um potencial vencedor. Então a primeira coisa que é preciso ter é muito respeito pela concorrência. Temos muitos pilotos, equipes e engenheiros de qualidade. Teremos uma grande briga neste sábado”, define o brasileiro.

Com cinco corridas decididas nos metros finais e contando, todas elas, com vencedores diferentes, a temporada 2019 terá no traçado de Sanya um palco totalmente novo. “Ninguém conhece essa pista, então é um complicador extra para todos nós”, observa Lucas. “Todos os pilotos passaram um bom tempo no simulador desde a corrida anterior, tentando assimilar o traçado. E agora é juntar a memória do ambiente virtual que construímos no computador com a pista real. Sempre ajuda, mas nada como uma volta de verdade para você saber realmente como é acelerar e frear em cada curva”, diz o brasileiro.

A pista de Sanya é localizada na província de Hainan, um polo turístico que recebe mais de 18 milhões de turistas anualmente. Com 2.236 metros de comprimento, o traçado conta com três curvas muito fechadas, mas mesmo assim a corrida deve contar com muitas ultrapassagens – como é o padrão da Fórmula E. Confira os seis melhores na classificação: 1) Sam Bird (Inglaterra, Virgin Envision Racing), 54 pontos; 2) Jérôme D’Ambrosio (Bélgica, Mahindra), 53; 3) Lucas Di Grassi (Brasil, Audi Sport Abt Schaeffler) e Edoardo Mortara (Suíça, Venruri), 52; 5) António Félix da Costa (|Portugal, BMW Andretti), 47; 6) Robin Frinjs (Holanda, Envision Virgin)

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.