F1 – Lauda: Poder político foi o destaque do final da temporada

Niki Lauda

A temporada 2015 da Fórmula 1 se encerrou no domingo em Abu Dhabi em meio à controvérsia política. “Há muito interesse próprio e desejo por poder”, resumiu Niki Lauda.

O tricampeão mundial é presidente da equipe Mercedes, e desmentiu os rumores de que nem tudo está bem em seu relacionamento com Toto Wolff.

De fato, na semana passada os dois também concordaram no que diz respeito à Comissão da F1, quando a proposta do motor alternativo para 2017 foi rejeitada.

“Não tinha relação com os custos ou nada assim”, declarou Lauda ao jornal alemão Welt am Sonntag. “Uma intervenção tão substancial nas regras atuais foi como uma brincadeira de mau gosto. O cenário foi o poder político”.

Alguns podem dizer que Bernie Ecclestone, todo-poderoso da F1, e Jean Todt, presidente da FIA, estavam tentando mostrar força em meio ao poder que Mercedes e Ferrari têm atualmente.

“Eu percebi toda a discussão como desnecessária e estúpida”, continuou Lauda. “Se você tem um esporte em tendência negativa, não pode corrigir isso com manipulação. Se tentar, não terá mais absolutamente nada após dois anos”.

No fim, o compromisso foi a ordem do dia, com as poderosas montadoras concordando em pensar novamente sobre as regras atuais antes de 2018.

Quanto a isso, Lauda concorda: “As equipes menores precisam conseguir pagar pelos motores. Nós temos de ajudá-las”.

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.