F1 – Chefe do GP da Itália rejeita preconceito anti-Ferrari da FIA

Ferrari

O chefe do GP da Itália, Angelo Sticchi Damiani, defendeu a FIA e os seus comissários na sequência de uma série de decisões recentes controversas. No Canadá, Sebastian Vettel perdeu a vitória com uma penalização de tempo, e a Ferrari foi posteriormente derrotada em seu pedido de “revisão”.

Depois foi rejeitado um esforço para voltar aos pneus Pirelli de 2018, antes de Max Verstappen, da Red Bull, vencer na Áustria, mesmo depois de ter empurrado Charles Leclerc para fora da pista.

O jornal La Gazzetta dello Sport disse que Maranello foi “novamente prejudicada pelos comissários”, enquanto Piero Ferrari afirma que corre-se o risco dos fãs “começarem a suspeitar de uma parcialidade contra a Scuderia”.

No entanto, o chefe do GP italiano Damiani não concorda com isso. “Os comissários operam em autonomia absoluta, de acordo com a boa fé e competência”, disse ele. “Então, como todos neste mundo, podem cometer erros”.

“Neste caso, não sei se estavam errados ou não. Mas às vezes há situações complexas em que a decisão é um pouco mais difícil”, acrescentou Damiani, presidente do automóvel clube italiano (Aci).

“Claro que há momentos de grande sofrimento para aqueles que amam a Ferrari e esperavam a vitória de Vettel no Canadá e Leclerc na Áustria. Mas desta vez aconteceu com a Ferrari, e depois acontecerá com a Mercedes ou a Red Bull”, finalizou ele, referindo-se às controversas decisões da FIA.

Damiani acredita que a Ferrari vai eventualmente “encontrar o seu caminho para a vitória”.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.