McLaren: Fórmula 1 deve lutar contra a resistência das equipes

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019 às 9:26

McLaren, Mercedes e Ferrari

A Liberty Media não tem escolha a não ser lutar contra a resistência de algumas equipes em relação aos planos de sacudir o “modelo quebrado” da Fórmula 1, diz o presidente-executivo da McLaren, Zak Brown.

Os donos da F1 estão avançando com grandes mudanças para 2021, quando um novo conceito de carro, um teto orçamentário e um modelo de distribuição de receita mais justo se destinam a tornar as corridas de Grand Prix mais próximas e mais emocionantes.

Mas nem todas as equipes ainda estão convencidas pela visão da Liberty, com as grandes fabricantes, como Ferrari e Mercedes, céticas sobre algumas propostas.

Mas Brown, que esteve envolvido nas discussões com a Liberty, acha que é essencial que os chefes da categoria se defendam de seus oponentes.

“Sabemos que a mudança na F1 é difícil, e também sabemos que a F1 hoje é um modelo quebrado, tanto como um negócio quanto como um produto na pista, que precisará ser mudado”, explicou Brown.

“Aqueles que estão ganhando hoje obviamente sentirão o compromisso sobre o que está acontecendo, e aqueles que não estão ganhando hoje vão gostar do plano”.

“Era inevitável que Chase [Carey, presidente da F1] apresentasse um plano que algumas pessoas gostam e algumas pessoas não gostam. Mas ele precisa seguir em frente com o que ele acha que é do melhor interesse da categoria”.

“No final das contas, o que é do melhor interesse da categoria a longo prazo é no melhor interesse de todos, se as pessoas conseguirem superar os compromissos de curto prazo que precisam fazer”.

“A Fórmula 1 de hoje, se ficar como está, acho que todo mundo acaba perdendo”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.