Jenson Button – GP da Hungria – 02/08/2011

j_button.01Nome: Jenson Button. Nascimento: 19 de janeiro de 1980, em Frome, Inglaterra. Equipe: McLaren-Mercedes (F1). Títulos: Oito vezes campeão inglês de kart (1989/1995); Campeão Europeu de Super Kart (1997); Campeão Inglês de F-Ford (1998); Campeão Mundial de Formula 1 (2009).

Jenson Button celebrou seu 200º GP da melhor maneira possível ao conquistar sua segunda vitória da temporada no GP da Hungria.

Como no Canadá, o inglês teve uma atuação precisa nas condições instáveis que prevaleceram em Hungaroring neste domingo e contou com a ótima estratégia de sua equipe McLaren, além dos erros de seu companheiro Lewis Hamilton, para cruzar a linha de chegada na frente.

Sebastian Vettel, da Red Bull, aumentou sua folga no campeonato com um ótimo segundo lugar, enquanto Fernando Alonso, da Ferrari, completou o pódio em terceiro. Hamilton ainda terminou em quarto, à frente de Mark Webber (Red Bull) e Felipe Massa (Ferrari).

Com a pista úmida e escorregadia, Vettel largou bem e manteve a ponta. Atrás dele, Hamilton foi bastante pressionado por Button, mas conseguiu manter a segunda posição e rapidamente começou a atacar o líder do campeonato. Na quinta volta, Vettel cometeu um pequeno erro na curva 3 e permitiu a ultrapassagem do inglês, que então abriu uma vantagem confortável no primeiro stint.

As Ferraris enfrentaram sérias dificuldades no início da prova, com ambos os pilotos largando mal e escapando da pista, incluindo uma rodada de Massa na nona volta. Alonso se estabilizou em quarto lugar após ultrapassar Nico Rosberg (Mercedes) – que teve um ótimo começo – e Massa voltou em nono, sendo o primeiro a colocar os pneus slicks junto com Webber, Vitaly Petrov (Renault) e Rubens Barrichello (Williams) na 11ª passagem.

Na abertura da volta 14, Button deixou Vettel para trás no mesmo ponto onde o alemão havia perdido a liderança para Hamilton. Quase ao mesmo tempo, Webber fez uma manobra similar e ultrapassou Alonso, subindo para quinto. Rosberg, di Resta, Michael Schumacher (Mercedes), Massa e Kamui Kobayashi (Sauber) completavam os dez primeiros depois da primeira rodada de pit-stops.

Na 25ª volta, a Renault de Nick Heidfeld teve um incêndio espetacular. Ele parou na reta principal e saiu do carro sem problemas, mas a lateral explodiu pouco depois e jogou destroços no circuito. Temendo a entrada do safety car, praticamente todos entraram para suas segundas paradas, com as principais posições sendo mantidas.

Na 37ª volta, Alonso iniciou a terceira sequência de paradas, retornando ainda em quinto graças à sua grande diferença em relação ao companheiro de equipe. Após os pit-stops, o espanhol ganhou a posição de Vettel, mas voltou a ser superado pelo alemão na volta 45 na freada da curva 1.

Duas passagens depois, começou a chover novamente; Hamilton rodou ao passar pela zebra molhada e quase atingiu Paul di Resta (Force India) ao retornar, perdendo a liderança para Button. Entretanto, Button também errou e devolveu a ponta ao seu companheiro. Em uma bela disputa, os dois trocaram de posição mais duas vezes antes de Hamilton entrar nos boxes para colocar pneus intermediários e deixar Button sozinho em primeiro.

A estratégia da McLaren com Hamilton não funcionou, já que a chuva parou quase imediatamente. O inglês foi superado por Alonso na volta 54 e na sequência fez mais uma parada a fim de recolocar os pneus slick. Ele também recebeu um drive-through por ter retornado ao circuito de modo inseguro após sua rodada e caiu para quinto, mas continuou forçando, se aproximou de Webber e passou com facilidade na 64ª passagem.

Na frente, Button seguiu tranquilo para vencer na Hungria pela segunda vez em sua carreira, pois já havia conquistado seu primeiro triunfo na Fórmula 1 neste circuito em 2006 pela Honda, também em condições meteorológicas instáveis.

Após três temporadas nas equipes Williams (2000), Benetton (2001) e Renault (2002), Jenson Button foi em 2003 para a equipe BAR, parceira da Honda. A sua melhor temporada foi a de 2004. O inglês obteve no GP de San Marino a sua primeira pole position na categoria, e só não venceu a prova (chegou em segundo) por não ter resistido à excelência do conjunto Ferrari/Michael Schumacher, que saiu na frente após o primeiro pit stop. Mesmo sem vitórias, Button foi o melhor classificado sem contar os pilotos da Ferrari: terceiro. Foram nove póios no total, sendo o primeiro a terceira posição no GP da Malásia.

Em 2005, Button acertou seu retorno a Williams, mas desistiu e teve que vencer uma briga jurídica para se manter na BAR-Honda. A equipe não teve um grande ano, ficou dois GPs afastada por fraude no sistema de combustível e Button obteve um terceiro lugar no GP da Alemanha como melhor resultado.  Em 2006, a BAR passou a se chamar Honda Racing. Em termos de constância, os resultados não foram os mesmos de 2004, mas mesmo assim Button alcançou a sua maior glória: a vitória no chuvoso GP da Hungria.

Em 2007 e 2008, os resultados da Honda foram muito fracos, o que fez com que a montadora japonesa decidisse abandonar o barco. Felizmente, a estrutura da equipe foi salva pelo diretor Ross Brawn e se mostrou extremamente competitiva, tanto que obteve o título antecipado com o próprio Button, que teve seis vitórias (Austrália, Malásia, Bahrain, Espanha, Mônaco e Turquia).

Em 2010, já na McLaren, o piloto inglês venceu duas etapas (Austrália e China) com base na estratégia e foi uma ameaça constante ao seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton. Neste ano de novo, já venceu duas corrida e esteve muito próximo em outras oportunidades. Está muito próximo do vice-líder do campeonato. Por isso, mais uma vez, ele é o PILOTO DA SEMANA AUTORACING!

Jenson Button obteve a vitória entre os internautas com 65,8% dos votos. Felipe Nasr (F-3 Inglesa) ficou na segunda posição com 11,1% dos votos.

Texto: Eduardo Behling e Leandro Schmidt

Tags
, , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.