F1 – Red Bull completará sua 200ª corrida no GP dos Estados Unidos

Red Bull

O futuro da Red Bull pode ser incerto, mas a equipe vai competir em sua 200ª corrida no GP dos Estados Unidos deste fim de semana. Podemos ver abaixo a jornada da Red Bull na sua década de competição na F1.

2005 – Garantia do pelotão intermediário após compra da Jaguar
Tendo sido um patrocinador desde meados da década de 1990, a Red Bull assumiu a equipe Jaguar Racing, que era anteriormente Stewart GP. Os pontos chegaram logo, com David Coulthard em quarto na Austrália, e novamente na Alemanha. Christian Klien também marcou pontos, e o estreante Vitantonio Liuzzi também pilotou brevemente. A Red Bull terminou em sétimo no campeonato com 34 pontos.

2006 – Um pódio, mas também problemas
Coulthard vestiu uma capa de Superman para comemorar o primeiro pódio da equipe em Mônaco, mas os outros bons resultados foram poucos. Coulthard marcou pontos em apenas quatro outras ocasiões, já que o RB2 tinha problemas de confiabilidade e falta de ritmo, enquanto Klien marcou apenas dois pontos e foi deposto em favor de Robert Doornbos. A Red Bull novamente terminou em sétimo no campeonato, mas com apenas 16 pontos.

2007 – Firme no pelotão intermediário
A temporada começou mal, com muitos abandonos e quebras, mas Coulthard e o novo companheiro de equipe Mark Webber logo marcaram pontos, com o último conseguindo um pódio em Nurburgring. Webber estava a caminho de um bom resultado no Japão antes de ser eliminado pelo Toro Rosso de Sebastian Vettel, enquanto um final decente para o ano levou a Red Bull para o quinto lugar, apesar de, paradoxalmente, não superar seus pontos de 2005.

2008 – Volta ao sétimo
O RB4 era um competente carro do pelotão intermediário e Webber fez um bom uso dele, marcando pontos em metade das corridas e só não terminando em três ocasiões. Coulthard fez um pódio no Canadá, mas era propenso a erros e somou poucos pontos para a contagem final da tabela. A Red Bull caiu para o sétimo lugar, atrás da equipe júnior Toro Rosso, que conseguiu uma vitória na Itália com Vettel.

2009 – Correndo entre os líderes
O RB5 da Red Bull era uma máquina formidável e o recém-promovido Vettel liderou uma dobradinha em condições traiçoeiras na China. No entanto, Jenson Button e a Brawn roubaram a cena desde o início com um domínio que deixou a Red Bull para trás. Uma melhoria no meio da temporada deixou a Red Bull devastadoramente rápida em circuitos de alto downforce, enquanto Webber conseguiu sua primeira vitória na Alemanha. Vettel e Red Bull ficaram em segundo nos respectivos campeonatos.

2010 – O início da supremacia
O RB6 da Red Bull era excepcional nas curvas e deixou as rivais Ferrari e McLaren sem resposta. No entanto, a confiabilidade se manteve problemática, enquanto as tensões entre Vettel e Webber transbordaram depois da colisão ao lutarem pela vitória na Turquia. A Red Bull venceu o Campeonato de Construtores na penúltima corrida, enquanto um ataque de final de temporada de Vettel lhe permitiu ganhar a luta entre quatro candidatos pela coroa em Abu Dhabi.

2011 – Vettel claramente na frente
A F1 entrou numa nova era com o DRS e pneus de alta degradação, mas Vettel foi dominante no RB7 e ganhou o título com quatro rodadas de antecipação, terminando o ano com 11 vitórias e 15 pole positions. Webber teve dificuldades para enfrentar seu companheiro de equipe, e sua única vitória veio no final no Brasil. A Red Bull manteve confortavelmente seu título de Construtores, ficando fora do pódio apenas uma única vez em Abu Dhabi.

2012 – Raspando na última corrida
A alteração das regras de escape inicialmente pegou a Red Bull de surpresa, enquanto uma sequência de pequenos erros e problemas de confiabilidade deixaram Vettel com apenas uma vitória nas primeiras 13 corridas, enquanto Fernando Alonso abria uma enorme vantagem. A Red Bull deu um passo no desenvolvimento e Vettel conseguiu quatro vitórias consecutivas, conquistando o título em um final dramático afetado pela chuva em Interlagos. A Red Bull mais uma vez conquistou a coroa de Construtores.

2013 – O domínio de Vettel encerra uma era
A Red Bull produziu um carro forte no RB9, mas sentiu que os pneus de alta degradação deixaram a equipe incapaz de explorar o seu desempenho. Uma mudança no meio da temporada em Silverstone, aliada ao próprio progresso da Red Bull, resultou em um desempenho enfático e absolutamente dominante da equipe. Vettel ganhou um total de 13 corridas e foi imbatível após as férias de verão quando marcou um recorde de nove vitórias consecutivas, mantendo a coroa com uma exibição exuberante na Índia. Webber venceu menos, mas conseguiu pódios enquanto a Red Bull venceu confortavelmente seu quarto título de construtores.

2014 – Vencido pela Mercedes
A mudança para as unidades de potência V6 1.6 litros turbo híbrido possibilitou a Mercedes chegar ao primeiro lugar, mas a Red Bull se recuperou de um período de pré-temporada diabólico para emergir como sua adversária mais próxima. A Red Bull atacou sempre que a Mercedes deixava a bola cair, já que o novo recruta Daniel Ricciardo venceu três corridas. Vettel estava descontente com o RB10 e foi afetado no início por problemas de confiabilidade, embora a equipe ainda conseguisse ficar em segundo na classificação.

2015 – Regressão, rejeição e guerra com a Renault
A Red Bull estava esperançosa de progresso da Renault em 2015, mas caiu ainda mais para trás, enquanto o RB11 foi um dos mais fracos nos últimos anos. As corridas iniciais foram marcadas por problemas de desempenho e confiabilidade, embora o carro fosse melhorando graças a atualizações no meio da temporada. Pódios foram obtidos na Hungria e Cingapura, mas em outras pistas a Mercedes e Ferrari tem estado à frente, com a Red Bull também ficando atrás da Williams.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.