F1 – Presidente da GPDA apoia resultado de investigação de acidente

Acidente de Jules Bianchi

A Associação dos Pilotos de Fórmula 1 (GPDA) saudou os resultados da investigação sobre o acidente de Jules Bianchi no GP do Japão. Na última reunião do Conselho Mundial de Automobilismo, um painel de dez homens, chefiado por Ross Brawn e Stefano Domenicali, proferiu o seu relatório de quase 400 páginas.

Os resultados foram controversos e consideraram que o piloto francês “não diminuiu suficientemente” e “perdeu o controle” de sua Marussia antes de atingir um guindaste. O relatório aponta que Bianchi também pode ter se “distraído”, enquanto que o painel não recomendou grandes mudanças na F1, como cockpits fechados.

Segundo o ex-piloto francês Patrick Tambay, aparentemente a FIA “lavou suas mãos”, colocando a maior parte da culpa no piloto. “Eu acho que é uma vergonha acusá-lo”, disse ele à RMC Sport. “Foi um julgamento para exonerar responsabilidades, mas eu acho que é um pouco demais culpar apenas o piloto”.

Entre o painel de 10 homens, no entanto, estava outro ex-piloto de F1 Alex Wurz, atual presidente da GPDA, que tem uma opinião diferente. “Foi um momento difícil para o nosso esporte, mas nós somos gratos pela maneira minuciosa e abrangente com que a investigação da FIA foi realizada e pelo profissionalismo excepcional, experiência e competência de todos os envolvidos”, afirmou ele.

Também no relatório da FIA estavam recomendações como a imposição de limites de velocidade para zonas sob bandeira amarela, garantia de que as corridas não comecem menos de quatro horas antes do pôr do sol, e rever o calendário da F1 para evitar épocas chuvosas. “Estamos trabalhando de perto com a FIA para garantir que essas recomendações originais sejam totalmente implementadas”, concluiu.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.