F1 muda regras da embreagem para dar mais ênfase aos pilotos

Largada – GP da China 2019

A FIA introduziu várias mudanças no gerenciamento da embreagem no regulamento técnico de 2020 da Fórmula 1, aumentando a dificuldade para os pilotos nas largadas.

Além de tornar as embreagens ativadas por borboletas obrigatórias para todos os pilotos, os sinais da embreagem usados pelo ECU padronizado também serão intensamente monitorados pela FIA a fim de limitar qualquer mapeamento vantajoso.

Se uma equipe quiser usar duas borboletas de embreagem no volante, cada uma delas deverá ser idêntica em formato, movimento e mapeamento. Os pilotos podem ser forçados a demonstrar que ambas as borboletas funcionam de modo idêntico.

Adicionalmente, a borboleta deve funcionar linearmente com a embreagem – significando que as ações dos pilotos devem ser inteiramente representativas da utilização da embreagem.

O artigo 9.2.1, seção F do regulamento técnico afirma: “Para garantir que os sinais usados pelo ECU da FIA sejam representativos das ações do piloto, cada competidor deve demonstrar que a porcentagem da borboleta calculada pelo ECU não se desvie em mais de 5% da posição física do dispositivo operacional medido como uma porcentagem de toda a sua extensão de uso”.

Isso assegura que o piloto tenha uma responsabilidade maior na largada e significa que há mais potencial para variações no arranque inicial.

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.