F1 – Motores terão duro teste de altitude no GP do México

quinta-feira, 29 de outubro de 2015 às 13:27

Autódromo Hermanos Rodriguez

A altitude no Autódromo Hermanos Rodriguez do México será a mais alta da temporada, colocando uma pressão especial sobre os motores, diz Remi Taffin, chefe de pista da Renault.

O circuito de Interlagos já teve a maior altitude com uma média de cerca de 800m acima do nível do mar, mas no México estará próxima de 2.200m. Conforme a altitude aumenta, o ar se torna mais rarefeito e tem um teor de oxigênio mais baixo, o que significa menos potência.

Taffin disse na semana passada que a Renault não vai usar o seu motor atualizado neste fim de semana, porque “vai ser como uma área desconhecida, assim ir para esta corrida com o novo motor, não acho que seria a melhor coisa”.

Matt Morris da McLaren acrescentou: “Esta pista é a mais alta que já corremos e irá colocar a unidade de potência sob pressão. O turbo tem que compensar a falta de oxigênio que entra no ICE (motor de combustão interna), que vai colocar mais ênfase na confiabilidade para todas as equipes”.

O chefe de desempenho da Williams Rob Smedley disse que sua equipe deve estar em forma para lidar com este cenário.

“Há algumas diferenças na maneira que temos de preparar o motor, especialmente em termos de recirculação de energia. Todas as fabricantes vão analisar isso, como recuperar a energia do MGU-H. Se olhar outras corridas como o Brasil ou Áustria, acho que vamos fazer algo semelhante ao que fizemos lá, é apenas um pouco mais extremo do que estes circuitos”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.