F1 – Mercedes diz que os fabricantes de motores não vão sair

sexta-feira, 28 de novembro de 2014 às 15:35

Toto Wolff

A Mercedes desmentiu rumores de que os fabricantes poderiam ser forçados a sair da F1 sobre as mudanças nas regras do motor.

Em meio a um esforço da Red Bull para alterar as unidades de potência para 2016 – com a ideia para turbos duplos e sistemas de recuperação de energia padrão tendo sido apresentada – tem havido especulação de que nem todos os fabricantes atuais continuem na categoria.

Christian Horner da Red Bull, sugeriu que a Renault poderia desistir, se os custos não ficarem sob controle, enquanto a Mercedes é improvável que permaneçam se a F1 abandonar as unidades de potência atuais.

Mas Toto Wolff insiste que a situação não é tão dramática como parece, e diz que todos os fabricantes envolvidos na F1 são totalmente favoráveis aos motores V6 turbos atuais.

Quando perguntado sobre as declarações de Horner dizendo F1 não deve ter medo de Mercedes desistir se as regras forem alteradas, Wolff disse: “São comentários interessantes, mas, provavelmente, toda a história foi um pouco modificada”.

“O que temos dito é que a F1 precisa de estabilidade a longo prazo e que os construtores na F1, Renault, Honda e Mercedes, decidiram entrar com base em um conjunto de regras.

“E todos os construtores, incluindo a Ferrari, partilham dessa visão, partilham desta opinião. “Então, ele [Horner] está provavelmente falando sobre sua equipe e não da Renault”.

Wolff diz que todos os indícios de que ele tem da Renault, é que a empresa francesa está feliz com o formato atual do motor, mesmo desejando o descongelamento.

E disse que nas discussões com a Ferrari no início desta semana no Grupo de Estratégia apontou que o fabricante italiano apoia os motores V6 híbridos.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.