F1 – Mercedes contra a redução da barreira de entrada na categoria

quarta-feira, 28 de março de 2018 às 12:08

Toto Wolff, Niki Lauda e Maurizio Arrivabene

Toto Wolff, da Mercedes, acredita que a futura plataforma de regulamentação da Fórmula 1 não deve permitir que pessoas de fora participem das corridas do Grande Prêmio e sejam bem-sucedidas desde o início.

Como os chefes da categoria trabalham para definir as regras que entrarão em vigor a partir de 2021, eles pretendem atrair novas inscrições, principalmente reduzindo os custos através de um esquema de orçamento limitado, unidades de potência menos sofisticadas ou o uso de peças padronizadas.

A abordagem, apresentada no ano passado, não despertou muito entusiasmo entre os fabricantes da F1, para dizer o mínimo.

A fabricante alemã acredita que a barreira elevada de entrada da categoria deve ser mantida, forçando os concorrentes a trabalhar duro para merecer um lugar no pináculo do automobilismo.

“O nível de entrada é alto, como em qualquer competição em um determinado nível. Mas ninguém deve insistir em ser competitivo desde o início, mudando as regras”, disse Wolff. “Também tivemos uma fase difícil em 2010, 2011 e 2012, e só conseguimos uma vitória neste período”.

“Que tipo de serviço seria para a F1 se você cortasse as regras de tal forma que um iniciante subisse imediatamente até a frente? Bom para ele se funcionar assim”.

“Mas só posso advertir contra o nivelamento artificial. Afinal, as equipes competidoras conquistaram seu lugar com muito trabalho e altos investimentos”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.