F1 – Magnussen: Aderência traseira é a chave do ritmo da Haas

sexta-feira, 20 de abril de 2018 às 12:46

Kevin Magnussen

Kevin Magnussen descreveu a consistência da aderência traseira como a área que ele acredita ter sido fundamental para desbloquear o máximo desempenho do carro 2018 de Fórmula 1 da Haas até agora este ano.

Tendo largado em sexto no GP da Austrália, Magnussen corria em um confortável quarto lugar até que um desastroso problema no pitstop forçou seu abandono.

O dinamarquês chegou ao Q3 mais uma vez no Bahrain, classificando-se em sétimo e terminando a corrida em quinto, antes de marcar mais um ponto na China no último final de semana. Após um começo promissor para a nova temporada, Magnussen disse que ter um carro à sua disposição com uma traseira “previsível” o ajudou a extrair velocidade extra.

“Parece haver essa ideia de que o nosso carro subesterça, mas eu não acho isso e não gosto de subesterço, eu gosto de aderência, muita aderência no carro, e este carro tem uma boa quantidade de downforce e aderência”, Magnussen explicou. “Particularmente aderência traseira na entrada é muito consistente”.

“Isso significa que você pode atacar as curvas com mais agressividade e levar mais velocidade na tangência. Está muito melhor que no ano passado”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.