F1 – FIA planeja motores mais baratos e barulhentos para 2021

Jean Todt

Jean Todt

Após a sua reunião com as fabricantes, a FIA admitiu que está aberta a uma nova configuração de unidades de potência a partir de 2021, procurando melhorar o som e reduzir o custo dos motores atuais.

A reunião, realizada na sede da FIA em Paris e presidida por Jean Todt, contou com a presença de vários membros da Fórmula 1, incluindo representantes da FIA, novos detentores de direitos comerciais, fornecedoras atuais de unidades de potência, fabricantes automotivas e representantes de fornecedoras independentes que não estão atualmente envolvidas na F1. Algumas fabricantes de automóveis também foram representadas pelas suas divisões de carros de rua.

A reunião resultou em um amplo acordo para a evolução futura das unidades de potência, com todas as partes aparentemente alinhadas em seu foco no desejo de manter a F1 como o pináculo da tecnologia de desporto automóvel e como um laboratório para o desenvolvimento de tecnologia que é relevante para carros de rua, bem como no esforço para que os futuros motores sejam potentes, ao mesmo tempo em que se tornem mais simples e menos dispendiosos para se desenvolver e produzir.

Também foi discutida a forma de melhorar o som das unidades de potência e um desejo de permitir que os pilotos tenham mais dificuldade em todos os momentos.

“Fiquei muito satisfeito com o processo e o fato de que tantos diferentes interessados ​​puderam concordar em uma direção para o campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA em tão importante área técnica”, disse Todt.

“Claro, agora devemos nos sentar e trabalhar com os detalhes finos de exatamente como as unidades de potência de 2021 serão – mas nós começamos com o pé direito, e eu estou olhando para a frente nesse processo, visando a melhor decisão para a Fórmula 1 no futuro”, prosseguiu o presidente da FIA.

“O campeonato mundial de F1 da FIA está empenhado em executar as atuais unidades 1,6 litros de seis cilindros turbo híbridas até 2020”, disse a FIA em um breve comunicado.

“As unidades atuais têm demonstrado um avanço tecnológico surpreendente, produzindo entre 900 e 1.000 cavalos, enquanto economizam 30% no consumo de combustível em comparação com os motores da geração anterior e aproximam-se do mágico número de eficiência térmica de 50% – uma cifra inédita há três anos”, explicou.

“A partir de 2021, o campeonato pode introduzir uma nova configuração da unidade de potência”, concluiu.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.