F1 – Ferrari pronta para uma revisão radical de motor

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016 às 12:02
Comparativo Ferrari 2015 e 2016

Comparativo Ferrari 2015 e 2016

O novo carro da Ferrari funcionou pela primeira vez na terça-feira, com a equipe bem consciente de que o sucesso de sua unidade de potência renovada pode muito bem definir as suas ambições no campeonato.

Por mais que o carro de 2016 de Maranello faça ganhos na aerodinâmica, a era V6 turbo moderna mostrou que, sem um bom motor, há pouca esperança de assumir o desafio contra a Mercedes.

O novo carro da Ferrari (codinome 667) é esperado que apresente um nariz curto – algo entre a Mercedes e Toro Rosso de 2015 – com uma suspensão dianteira push-rod, laterais mais baixas e carenagem mais estreita.

As alterações nas características do motor já foram relatadas – mas surgiu agora que a Ferrari está pronta para um grande reempacotamento de componentes para aumentar tanto o desempenho da unidade de potência e ajudar a eficiência aerodinâmica.

Como mostra a ilustração do que o carro pode ter mudado, a Ferrari pode estar pronta para uma grande revolução em termos do que estará trazendo para a pista em 2016, mesmo tentando manter em segredo o que realmente fez.

1. O grande intercooler que estava no SF15-T foi colocado dentro do bloco de cilindros do V6 turbo. Para 2016, ele foi ampliado por motivos de desempenho, pela necessidade de mais ar fresco na alimentação do motor para maximizar a potência extra. Para garantir que haja equilíbrio, o intercooler foi dividido em duas partes. A parte maior será colocada dentro do chassi na parte superior do tanque de combustível, enquanto que a segunda será colocada no sidepod esquerdo.

2. O MGU-H é o único componente que provavelmente se mantenha na mesma posição como em 2015.

3. O MGU-K, que foi efetivamente utilizado como um espaçador para a caixa de marchas em 2015 será movido para a lateral esquerda do V6, numa posição que outras fabricantes também já utilizaram.

4. O tanque de óleo também foi reprojetado. Para o 667, ele será mais baixo e ligeiramente mais largo: o que ajudará no centro de gravidade do carro.

5. O motor de 2016 contará com trombetas de admissão variáveis, que a Ferrari não pode usar no ano passado já que a presença do intercooler dentro do V do motor impediu. A adição das trombetas (que a Mercedes usou em 2015) será um impulso para permitir a melhor qualidade de combustão através de um melhor ajuste da mistura ar/combustível.

6. A embreagem, que era do motor 059/4 de 2015, foi deslocada para dentro da caixa de marchas, com um eixo de acoplamento ligado ao eixo de manivelas.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.