F1 – Equipes rejeitam plano para acabar com a regra de pneus do Q3

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018 às 11:57

Red Bull e Mercedes

Na próxima temporada, os pilotos que se classificarem entre os dez primeiros começarão novamente a corrida com o pneu que usaram no Q2, deixando a regra atual inalterada.

Os líderes inalcançáveis da Fórmula 1 – Mercedes, Ferrari e Red Bull – foram frequentemente vistos com vantagem na classificação este ano, com o desempenho superior do trio permitindo-lhes em algumas pistas chegar ao Q3 enquanto usavam um composto mais durável no Q2, portanto dando aos seus pilotos uma vantagem estratégica no dia da corrida.

Para garantir uma largada no composto de sua escolha, os pilotos de meio campo foram frequentemente encorajados a evitar, propositalmente, uma volta rápida no Q2, uma tática que contraria a tendência da própria classificação.

A regra – compreensivelmente criticada por vários pilotos no meio-campo – foi questionada recentemente, mas a falta de unanimidade entre as equipes impediu sua mudança de acordo com Mario Isola da Pirelli.

“Houve uma proposta para retirar a regra que obriga o Top 10 a largar com o pneu usado na classificação, mas não foi aprovada, e neste momento do ano você precisa unanimidade para mudar as regras, então para o próximo ano não há mudanças planejadas”, disse Isola.

Isola acredita que a opção por uma seleção mais conservadora de compostos em 2019 poderia, de certa forma, encorajar os pilotos a usar compostos mais macios no Q2.

“Se formos um pouco mais conservadores na seleção, acho que na classificação não há razão para tentar usar o [composto] médio, em vez do mais macio, porque a vantagem é provavelmente menor, então temos uma corrida que é mais equilibrada a este respeito”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.