F1 – Dirigibilidade é a chave do sucesso em Mônaco

terça-feira, 19 de maio de 2015 às 15:32

McLaren-Honda

A Honda disse que a diferença entre um bom ou mau resultado para a McLaren no GP de Mônaco deste fim de semana vai depender da dirigibilidade do carro.

No GP da Espanha, o McLaren de Jenson Button estava perto da indirigibilidade, o levando a descrever a primeira metade da corrida como “as mais assustadoras 30 voltas da minha vida”. No entanto, a Honda está determinada a resolver seus problemas neste fim de semana e entregar uma unidade de potência que produza energia previsível e acessível.

“Mônaco tem curvas de baixa a média velocidade, frenagem e aceleração, num traçado único de circuito de rua”, disse Yasuhisa Arai, chefe esportivo da Honda. “A tênue linha entre o sucesso e o fracasso nesta pista será a dirigibilidade do carro. A Honda fará o melhor para afinar a dirigibilidade da unidade de potência, adequando à cada curva durante todas as 78 voltas da corrida, o maior número de voltas da temporada”.

Eric Boullier da McLaren disse que o desempenho do carro de Fernando Alonso na última corrida foi encorajador até que uma falha nos freios forçou o espanhol a abandonar.

“Depois da decepção de Barcelona, toda a equipe está ansiosa para Mônaco, para deixar a última corrida para trás e continuar trabalhando para melhorar o nosso pacote. Barcelona é uma pista esgotante para um carro de F1, por isso o nosso desempenho relativo foi encorajador até que descobrimos o problema de superaquecimento dos freios de Fernando. Fomos certamente azarados, mas ainda somos capazes de levar conosco alguns pontos positivos e concentrar a nossa atenção em nosso próximo desafio: Mônaco. É um duro, exigente circuito de rua que requer equipes tomando uma abordagem totalmente diferente, mas isso é o que o torna ainda mais especial”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.