F1 – Comentários pós treinos livres – Pirelli – GP do Bahrain 2019

sexta-feira, 29 de março de 2019 às 16:39

Pneus da Fórmula 1

O QUE APRENDEMOS DO TL1 E TL2

Os pneus estão todos funcionando de acordo com nossas expectativas. Há cerca de um segundo entre o composto duro e o médio e pouco menos de um segundo entre o médio e o macio: assim, as lacunas estão bem espaçadas.

A degradação é razoavelmente alta aqui, como previsto, especialmente no composto macio.

As características da pista são um pouco diferentes da primeira corrida na Austrália: aqui é a tração e o gerenciamento dos pneus traseiros são muito importantes – mas que, no entanto, estão se mantendo bem.

Mais uma vez os carros estão mais rápidos do que as sessões de treinos livres equivalentes do ano passado.Apesar do asfalto ser o mais agressivo de toda a temporada, os pneus funcionaram sem problemas, incluindo bolhas ou granulação.

As temperaturas da pista têm sido variáveis ​​hoje, como sempre no Bahrain: cerca de 20 graus mais abaixo no TL2 em comparação ao TL1. As temperaturas estão ligeiramente mais baixas que no ano passado.

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“Sem surpresas no primeiro dia de ação aqui no Bahrain, o que representa um desafio bem diferente comparado com a Austrália e, como resultado, estamos vendo também uma ordem competitiva ligeiramente diferente até o momento. Estamos felizes com os pneus, que estão se portando exatamente como imaginávamos: há cerca de um segundo entre cada composto até agora e isso significa que, provavelmente, será bem difícil se classificar com o composto médio amanhã durante o Q2, que determina o pneu da largada da corrida. No ano passado, vimos uma mistura de estratégias na corrida e os primeiros sinais até agora sugerem que poderemos ver a mesma coisa novamente em 2019”.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.