F1 – Brawn não descarta um futuro “totalmente elétrico”

sexta-feira, 10 de agosto de 2018 às 12:12

Ross Brawn

O diretor esportivo da Fórmula 1, Ross Brawn, diz que é concebível que as corridas da categoria possam se tornar uma série totalmente elétrica nos próximos dez anos se a qualidade das corridas seguir a tecnologia.

O advento do motor híbrido na F1 em 2014 introduziu um componente elétrico na categoria, mas uma rejeição completa do motor de combustão interna nunca foi seriamente considerada.

No entanto, o crescente sucesso da Fórmula E, e o envolvimento de grandes fabricantes como Audi, BMW, Nissan, Mercedes ou Porsche, inevitavelmente chamaram a atenção da Fórmula 1.

Ainda é cedo para a Fórmula E, e enquanto uma comparação relativa entre a F1 e a série crescente é injustificada neste estágio, Brawn está acompanhando os desenvolvimentos.

“Eu acho que temos que respeitar o que a Fórmula E está fazendo e o que está alcançando”, disse Brawn ao F1 Fan Voice.

“Mas se você olhar para a magnitude dos dois, eles não são realmente comparáveis: a quantidade de fãs que temos e o apelo da Fórmula 1, a Fórmula E, ainda é muito pequena nesse aspecto”.

Brawn acredita que uma evolução significativa da F1 irá se consolidar se mudanças comerciais e sociais justificarem a necessidade de mudanças.

“Acho que a Fórmula 1 vai evoluir na direção que tem o equilíbrio certo entre esporte, relevância e engajamento com os torcedores”, diz o britânico.

“Se daqui a cinco ou dez anos houver uma necessidade, desejo ou necessidade de ter um tipo diferente de unidade de potência na Fórmula 1, então vamos fazê-lo. Não há nada que nos impeça de ter carros elétricos de Fórmula 1 no futuro”.

Quer concorrer a uma réplica do capacete do Ayrton Senna? Clique AQUI e palpite sobre quem vai vencer o GP da Áustria da MotoGP!

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.