F1 – Andretti: “Equipes rebeldes deveriam ser banidas para sempre”

Mario Andretti

Mario Andretti atacou as equipes que ameaçaram boicotar o GP dos Estados Unidos no fim de semana.

O grid em Austin tinha apenas 18 carros após a saída da Caterham e Marussia, mas havia uma ameaça real que a Force India, Sauber e Lotus também não iriam participar na corrida.

O trio de equipes estava indignado com a falta de ajuda financeira da parte majoritária da categoria, a CVC Capital Partners, bem como com as equipes mais ricas, como Ferrari, McLaren e Red Bull.

Seus pilotos largaram, mas Andretti, embaixador oficial do GP dos Estados Unidos, não se impressionou com suas ameaças.

“Esses rumores sobre um potencial boicote são muito devastadores, de muitas formas,” disse ele ao The Guardian. “Essas pessoas não percebem que, no final, elas estão prejudicando a si mesmas. Quem você está punindo? Está punindo os fãs, que pagam para vir vê-las, está punindo os patrocinadores, que apoiam o esporte e o mantém vivo. Você está punindo o núcleo do que faz um esporte existir”.

“Só pessoas muito mesquinhas iriam pensar nestes termos. Eu realmente tenho um problema com isto. Olhe o que um fabricante de pneus fez à F1 em Indianápolis em 2005 (apenas seis carros correram já que aqueles com pneus do fabricante se retiraram por razões de segurança). As equipes ou pessoas que fazem isso devem ser banidas do esporte para sempre. Não há lugar para elas. São muito destrutivas”.

“Sempre haverá equipes pequenas. Lembro-me em 1976, minha primeira temporada em tempo integral como piloto de F1, e um jovem Frank Williams me disse: ‘Mario, um dia eu vou ser como Colin Chapman’. Eu nunca esqueci isso. Gostaria que essas pequenas equipes, em vez de chorar, dizerem que gostariam de ser como McLaren ou Ferrari”.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.