F1 – Agora é “praticamente impossível” para novas equipes

segunda-feira, 15 de junho de 2015 às 12:36

Sauber, Caterham e Marussia

As potenciais recém-chegadas à F1 foram avisadas que é “praticamente impossível” sobreviver sem grandes investimentos de terceiros.

A FIA recentemente abriu um processo de licitação para atrair novas equipes de F1 já no próximo ano, mas de forma mais realista para 2017, com uma decisão prevista para o final de setembro.

Com até mesmo as menores equipes agora operando em orçamentos anuais de 50 a 60 milhões de libras, é provável que apenas uma grande fabricante ou um benfeitor bilionário poderia se dar ao luxo de bancar uma nova equipe, avalia Monisha Kaltenborn, chefe da Sauber.

Duas das três últimas inscritas na F1 – a HRT e Caterham – desistiram da categoria e a Manor conseguiu sair de uma concordata para correr este ano.

“É praticamente impossível sobreviver a menos que você tenha algum investimento de terceiros ou de outro lugar”, disse Kaltenborn. “Você não pode fazer um plano de negócios funcionar, se o fluxo de receitas não mudar”.

Kaltenborn está preocupada que somente uma aliança com uma grande equipe pode fazer a F1 viável para uma recém-chegada.

IB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.