Especial – As 24 horas de Le Mans

sábado, 19 de setembro de 2020 às 9:20
Largada das 24 horas de Le Mans 2011
Largada das 24 horas de Le Mans 2011

Neste sábado, exatamente às 10 horas da manhã (15 horas na França) será dada a largada para a 88ª edição da famosa “24 horas de Le Mans”, uma das corridas mais tradicionais e charmosas do mundo. Serão 60 carros de quatro categorias diferentes que lutarão durante 24 horas por um dos títulos mais cobiçados do automobilismo mundial.

História
26 de Maio de 1923, 16 horas. No circuito permanente de La Sarthe, próximo da cidade de Le Mans, iniciava-se a primeira edição da corrida que atingiria um prestígio inimaginável, seja para os seus organizadores, seja para os poucos espectadores que a presenciaram e para seus pilotos. O objetivo do Automobile-Club de l’Ouest era realizar uma competição cujo caráter contribuísse para a evolução do progresso técnico e favorecer o desenvolvimento do automóvel. A prova deveria aliar velocidade e resistência dos carros e para isso nada melhor que uma corrida que durasse 24 horas.

A primeira edição contou com 33 carros e foi vencida pelos azarões André Lagache / René Leonard guiando um Chenard & Walcker Sport. Tudo era muito diferente naquela época e um dos ítens do regulamento mandava que os pilotos subissem as capotas de seus carros após 5 voltas de prova e percorressem pelo menos 20 voltas de capotas fechadas. Nos pitstops os próprios pilotos tinham que reabastecer e trocar os pneus dos carros, um a um.

Foi em 1925 que estreou um tipo de largada que se tornou um emblema de Le Mans. Junto aos boxes, os carros ficavam estacionados em espinha, com o motor desligado e a capota baixada; do outro lado da pista ficavam os pilotos alinhados, cada um em frente ao seu carro. Ao baixar a bandeira de largada, os pilotos corriam para os seus carros, tomavam seus lugares e arrancavam para as 24 horas de corrida.

O primeiro vencedor
Chenard & Walcker A.Lagache, R.Leonard
Chenard & Walcker  A.Lagache, R.Leonard

Com o passar dos anos a corrida foi ficando cada vez mais famosa até se tornar um evento mundial único. Hoje é a mais antiga, concorrida, cara e mais prestigiada corrida de velocidade e resistência para carros esportivos e protótipos no mundo. Nenhuma outra corrida ou categoria do automobilismo criou e desenvolveu tantas novidades e peças para carros de passeio como as 24 horas de Le Mans. Quase todas as montadoras de carros do planeta já investiram muito tempo e verdadeiras fortunas para vencê-la, mas poucas conseguiram. Vencer em Le Mans é gravar seu nome para sempre na história do automobilismo.

Mas como em todas as áreas, Le Mans também tem suas tragédias. Muitas vidas foram perdidas nos seus 13,650 kms de pista. O maior acidente da história do automobilismo aconteceu na corrida de 1955, quando uma Mercedes, depois de atingir em cheio um Healey, decolou como um foguete, colidindo com um barranco ao lado da pista, capotando várias vezes e se desintegrando sobre a multidão. Em poucos segundos 82 pessoas estavam mortas e outras 76 foram mutiladas. Mike Hawthorn foi o vencedor, mas quase ninguém se lembra disso.

O maior acidente da história do automobilismo

Ayrton Senna
Pouca gente sabe, mas Ayrton Senna quase correu em Le Mans. Em 1984, ano de estréia na F1, ele chegou a fazer uma corrida, os 1000 kms de Nurburgring com um Porsche 956 da JOEST. Naquele ano Senna e Bellof eram considerados os prodígios do automobilismo mundial. A corrida foi válida para o Mundial de Marcas. A essa altura já tinha acontecido o épico GP de Mônaco. Senna não foi tão bem sucedido como 2 meses antes numa corrida onde todos os pilotos da F1 correram com um Mercedes 190. Não que o carro ou os companheiros de equipe fossem ruins, muito pelo contrário. O carro era um Porsche 956, inscrito por Reinhold Joest. Os companheiros de equipe eram Henri Pescarolo, que havia ganho até aquela altura Le Mans quatro vezes (inclusive naquele mesmo ano, um mês antes), e Stefan Johannson, rápido piloto sueco.

Ayrton Senna em Le Mans
Ayrton Senna em Le Mans

Nos treinos, o trio só conseguiu marcar o 9° tempo. Teria que disputar a prova contra dois carros de fábrica da Porsche, além de dois Lancias, e Porsches das Equipes Fitzpatrick, Kremer, Lloyd e Brun. Embora tivesse chovido, o carro 7 perdeu oito voltas nos boxes, com problemas na embreagem e Senna terminou a corrida em 8° lugar. Depois disso, Senna nunca mais correu fora da F1, a não ser um teste com o Formula Indy de Emerson Fittipaldi no início da década de 90. Mas ele gostou da experiência : “É mais pesado que um F1, mas é bastante rápido”.

Uma volta em Le Mans (sem as chicanes na reta Hunaudières) com o Porsche 956 

O circuito

A extensão da pista é de 13,650 kms, usa parte do circuito Bugatti e é em grande parte composta por estradas. As mais célebres passagens são as curvas de Tertre Rouge, Mulsanne, Arnage, Casa Branca e, principalmente a reta de Hunaudières com extensão de 5 km onde os protótipos alcançavam e mantinham uma velocidade de mais de 400 km/h durante um minuto. Mas essa reta foi dividida em três partes graças à instalação de duas chicanes em 1990. Essa medida foi necessária porque alguns carros não tinham aerodinâmica suficientemente desenvolvida para poderem atingir grandes velocidades e acabavam tendo a tendência de levantar voo nesse trecho. Agravava ainda o fato de que, quando rodavam em velocidades próximas aos 400 km/h (o recorde estabelecido foi de 405 km/h), os pneus eram submetidos a pressões muito intensas, que os levavam a deformações extremas e ruptura total se não estivessem em ótimas condições. Além disso, os freios chegavam muito frios ao final desta reta e muitos carros simplesmente não conseguiam diminuir a velocidade o suficiente para fazer a curva Mulsanne e passavam reto. A situação era ainda pior visto que isto podia acontecer de noite e em meio a carros de GT, que percorriam a reta a cerca de 100 a 150 km/h mais devagar.

O recorde de vitórias individuais por piloto é do dinamarquês Tom Kristensen, com nove triunfos, e o recorde dos construtores é da Porsche, que venceu dezesseis vezes. O recorde da distância e a mais elevada velocidade média ao longo das 24 Horas permanece imbatível desde 1971, quando o Porsche 917K de Helmut Marko e Gijs Van Lennep percorreu 5.335 km à media de 222,304 km/h.

 

O Circuito

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.