Webber: Disputa interna na Red Bull começará do zero em 2011

webber_vettel.2

Mark Webber acredita que o “botão reset” foi apertado para sua batalha pelo campeonato mundial com o companheiro de equipe Sebastian Vettel no próximo ano, pois acha que as dificuldades que enfrentou com os chefes da Red Bull em 2010 lhe beneficiaram.

Em uma entrevista franca e aberta à BBC Radio 5 Live na terça-feira à noite, Webber disse que, apesar dos momentos difíceis, tirou muitos aspectos positivos da temporada 2010.

“Neste ano, aconteceram muitas coisas novas para a equipe”, declarou ele. “Sebastian agora é campeão mundial, e preciso me colocar em uma posição onde possa batê-lo com a maior frequência possível. E isso vem com Jenson (Button), Lewis (Hamilton), Fernando (Alonso), todos os suspeitos normais que estarão lá”.

“O botão reset foi apertado. Temos alguns regulamentos novos para encarar. Eu estive claramente em uma posição de fazer algo bastante especial, e o conto de fadas não se concretizou. Mas há vários aspectos positivos para que eu entre em uma nova temporada com as baterias totalmente recarregadas e lute pelo título. Tenho uma ótima equipe de pessoas ao meu redor, e essa será a nossa meta”.

Webber enfrentou alguns momentos tensos com os chefes da Red Bull em 2010 – incluindo quando expressou sua frustração com o favoritismo emocional que sentiu que eles tinham por Vettel, além de demonstrar sua fúria com a situação da asa dianteira ocorrida no GP da Inglaterra.

Esses episódios deram origem a especulações de que Webber poderia deixar a equipe, mas o australiano deixou claro que tal pensamento nunca passou por sua cabeça. Ao invés disso, ele avalia que era importante ser aberto com a equipe em relação às suas frustrações a fim de ficar em uma situação melhor em 2011.

“Eu nunca pensei de fato em ir para outro lugar”, disse ele. “Sabia que precisava resolver as coisas dentro da minha própria operação aqui. Como eu disse várias vezes, a equipe e eu aprendemos muito neste ano sobre como andar consistentemente na frente e naquele nível”.

“Ferrari e McLaren tiveram suas lágrimas com dois pilotos competitivos, e não estou falando apenas de Lewis e Fernando há alguns anos. A Ferrari está na Fórmula 1 há 50 anos, a Red Bull há cinco minutos, portanto aprendemos muito neste ano. E eu sabia que, como equipe, poderíamos enfrentar dificuldades e aprender com elas”.

“Então, nunca passou por minha cabeça que eu precisava ir para outro lugar. E a equipe? Suponho que a reação deles na época foi dura, porque fizeram um trabalho muito bom para dar a nós dois uma boa chance de ir realmente bem. Quando algo como aquilo ocorre, é extremamente raro, e foi por isso que causou toda aquela reação”.

LS – www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.