Todt: Dinheiro não basta para entrar na F1

Williams

Um conhecido empresário de pilotos e chefe de equipe diz que a Fórmula 1 está trabalhando para assegurar que apenas competidores de credibilidade estejam no grid.

Nos últimos dias, houve consternação dentro do mundo da F1 porque a Williams, apesar de sua tradição, disputará a temporada 2018 com dois pilotos pagantes – Lance Stroll e Sergey Sirotkin.

Mas Nicolas Todt afirma que a FIA ainda se esforça para garantir que os pilotos estejam à altura do trabalho.

“Ter suporte financeiro ajuda, mas o sistema de superlicença estabelecido pela FIA impede os pilotos que não estão no nível necessário de entrarem na categoria”, declarou o francês, que cuida da carreira de Charles Leclerc, novo piloto da Sauber.

“Você pode ter milhões para gastar, mas ainda precisa de performances significativas para conseguir os pontos (da licença). Apesar da realidade econômica complicada que várias equipes estão enfrentando, creio que o nível da F1 nunca esteve tão bom”.

“Dito isso, a F1 deve ter cuidado para não transmitir a imagem de esporte pago”, disse Todt à Auto Hebdo. “O efeito seria prejudicial para todos, incluindo famílias que ficariam desencorajadas a começar no kart desde o início. O acesso à F1 deve continuar sendo principalmente por mérito”.

 

LS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.