Todos os números da temporada 2016 da Pirelli na Fórmula 1

Pneus Pirelli

Pneus Pirelli

Esta foi uma temporada incrível tanto dentro quanto fora da pista: aqui vão alguns fatos e números como exemplo de um ano que entrou para a história. A Pirelli introduziu um composto novo, o ultramacio, e novas regras permitiram os times usassem três tipos de pneus durante cada corrida, sendo eles selecionados com antecedência. Esta tática provou ser um destaque do ano, melhorando ainda mais o espetáculo. Nós tivemos, também, a última temporada dos pneus desenhados para terem alto nível de degradação, já que a partir do próximo ano adotamos a filosofia alinhada com a mais atual direção do esporte. Ao mesmo tempo, durante o campeonato já encerrado, testamos os compostos para o próximo ano: usamos protótipos nas dimensões de 2016 e, depois disso, desde agosto, nas dimensões que iremos usar em 2017 em carros adaptados em 24 dias cumulativos de testes. Como resultado disso, e do maior calendário de todos os tempos do esporte, completamos uma distância ainda maior, com níveis de desempenho maiores do que já foi visto na história da Fórmula 1.”

Paul Hembery, Diretor de Motorsport da Pirelli

PNEUS

Número total de pneus fornecidos em 2016: 42.792

Destes, 38.112 foram fornecidos durante fins de semana de corrida e 4.680 para os testes

Dos 42.792 pneus, 28.188 eram para pista seca e 14.604 para chuva ou intermediários

Número total de pneus usados durante os fins de semana de corrida: 15.652, sendo 13.844 eram para pista seca e 1.808 para chuva ou intermediários

Número total de pneus que foram reciclados: todos

Número total de quilômetros percorridos em cada tipo de composto (excluindo os testes):
Duro: 759 km (Daniel Ricciardo, Red Bull)
Médio: 3.597 km (Valtteri Bottas, Williams)
Macio: 6.566 km (Sergio Perez, Force India)
Supermacio: 4.598 km (Valtteri Bottas, Williams)
Ultramacio: 2.052 km (Nico Rosberg, Mercedes)
Intermediário: 444 km (Jenson Button, McLaren)
Para piso molhado: 523 km (Lewis Hamilton, Mercedes)

PIT STOPS

Número total de pit stops: 933, sendo que quatro foram drive-throughs e um stop and go

Isso garante uma média de 44.4 por corrida e 2.01 por piloto por corrida

Corrida com mais paradas no box: 66 no Grande Prêmio da China

Corrida com menos paradas no box: 26 no Grande Prêmio da Rússia

ULTRAPASSAGENS

Número total de manobras de ultrapassagem durante a temporada: 866 (*), com uma média de 41.2 por corrida

Número mais alto de manobras de ultrapassagem em uma corrida com clima seco: 128 na China (**)

Número mais alto de manobras de ultrapassagem em uma corrida com clima molhado: 64 no Brasil

Número mais baixo de manobras de ultrapassagem em uma pista com clima seco: 10 na Hungria

Piloto com mais manobra de ultrapassagem durante o ano: Max Verstappen, 78 (**)

Piloto com mais manobras de ultrapassagem em uma única corrida: 18, Lewis Hamilton na China

Piloto que foi menos ultrapassado: Sebastian Vettel, uma vez (por Max Verstappen no Grande Prêmio do Brasil, na 66ª volta, pela 5ª posição)

Piloto que ganhou mais posições durante uma primeira volta de um Grande Prêmio: Fernando Alonso, que ganhou 41 posições na primeira volta de todas as corridas

Time dos pilotos que mais ultrapassaram na temporada: Red Bull, 136 manobras (**) – 61 de Daniel Ricciardo, 60 de Max Verstappen e 15 de Daniil Kvyat

Time dos pilotos que menos foram ultrapassados na temporada: Mercedes, sete vezes (Nico Rosberg quatro e Lewis Hamilton três)

(*) Como as manobras de ultrapassagem são calculadas: uma manobra de ultrapassagem é contabilizada como tal quando ocorrem durante voltas voadoras (então não na primeira volta das corridas) e, então, é mantida até a linha de chegada da volta. Posições mudam por grandes problemas mecânicos e voltas dadas ou retiradas em retardatários não são contabilizadas.

(**) É o número mais alto desde 1983 (o primeiro ano em que os dados estão disponíveis)

CIRCUITOS E CORRIDA

Corrida mais longa da temporada: Brasil, três horas, um minuto e 1,335 segundo

Corrida mais curta da temporada: Itália, uma hora, 17 minutos e 28,089 segundos

Corrida mais rápida da temporada: Itália, velocidade média do vencedor (Nico Rosberg), 237.558 km/h

Velocidade mais alta alcançada por um Pirelli P Zero da Fórmula 1 durante um Grande Prêmio: 372.5 km/h, Valtteri Bottas no México (*)

Número mais alto de voltas mais rápidas: Lewis Hamilton, 15 (3 em corridas e 12 em treinos classificatórios)

Número mais alto de voltas lideradas: 566 (Lewis Hamilton)

(*) Novo recorde em uma sessão oficial da Fórmula 1 (anterior: 370,1 km/h, Kimi Raikkonen no Grande Prêmio da Itália de 2005)

TESTES DOS PNEUS MAIS LARGOS PARA 2017

Número de protótipos testados: 96

Largura dos pneus: +25%

Times envolvidos no programa de testes da Pirelli: 3 (Ferrari, Mercedes e Red Bull)

Pilotos envolvidos: 11, sendo 4 da Ferrari, 4 da Red Bull e 3 da Mercedes

Dias de testes: 24

Voltas: 2.613

Total de quilômetros: 12.148 km

Circuitos: 5 (Abu Dhabi, Barcelona, Fiorano, Mugello e Paul Ricard)

QUILÔMETROS TESTADOS COM OS PNEUS MAIS LARGOS

Pascal Wehrlein (Mercedes): 3.248

Pierre Gasly (Red Bull): 2.494

Sebastian Vettel (Ferrari): 2.228

Sébastien Buemi (Red Bull): 1.190

Kimi Raikkonen (Ferrari): 1.054

Max Verstappen (Red Bull): 517

Esteban Gutiérrez (Ferrari): 480

Antonio Fuoco (Ferrari): 478

Nico Rosberg (Mercedes): 209

Daniel Ricciardo (Red Bull): 200

Lewis Hamilton (Mercedes): 50

PIRELLI NA FÓRMULA 1 (DESDE 1950)

Corridas: 320

Vitórias: 161

Pole positions: 164

Pódios: 490

Voltas mais rápidas: 168

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.