Segundo título definido em Interlagos: Lunardi vence, mas Baptista é campeão da Porsche Cup em 2012

Ricardo Baptista em 2012

Ricardo Baptista

A prova da Porsche Cup preliminar do GP do Brasil de Fórmula 1 definiu o segundo título em disputa neste domingo no autódromo de Interlagos. Clemente Lunardi venceu pela sexta vez na temporada, mas o segundo lugar foi suficiente para Ricardo Baptista assegurar o título por antecipação. Marcel Visconde, terceiro colocado, e Marcelo Franco, quarto, protagonizaram a melhor disputa da prova.

Lunardi começou a vencer a corrida ao largar melhor que Baptista, pole position, e assumir a ponta assim que as luzes foram apagadas. Os dois líderes abriram boa vantagem sobre Fábio Viscardi, Visconde e Franco, que disputavam o terceiro lugar. Viscardi ficou fora da prova após cinco voltas, devido à quebra da ponta de eixo traseira esquerda. Desse ponto em diante, a maior atração da prova foi a luta entre Visconde e Franco. Os dois tiveram uma disputa extremamente acirrada e limpa, que atraiu a atenção do público presente às arquibancadas de Interlagos. Daniel Paludo terminou em quinto lugar, à frente de três pilotos que brigaram muito nas últimas voltas pelo direito de subir ao último degrau do pódio: Maurizio Billi, Tom Valle e Otávio Mesquita.

Ricardo Baptista tornou-se o segundo bicampeão da Porsche Cup – o primeiro, Miguel Paludo, conquistou os títulos de 2008 e 2009. Coincidentemente, seu primeiro título, em 2007, também foi conquistado na preliminar do GP do Brasil de F1. Sobre a corrida, Baptista explicou: “Errei na largada e quase perdi não apenas o primeiro, mas também o segundo e o terceiro lugares. Depois disso, passei a seguir o Clemente, mas meu carro saía muito de frente e de traseira. Meu objetivo era conquistar o título e o segundo lugar bastava para isso”.

Lunardi, o vencedor do dia, estava satisfeito com sua sexta vitória na temporada – o piloto que mais venceu em 2012. “Eu precisava que alguém se colocasse entre eu e o Ricardo para levar a decisão para mais adiante. Fiz a minha parte vencendo a corrida e ele fez a dele. Mereceu o título. Para mim, foi uma temporada muito boa. Apenas tive uma certa falta de sorte em algumas corridas. Os pontos que deixei de marcar fizeram falta no final do ano”, analisou.

Marcel, terceiro colocado, e Franco, o quarto, se cumprimentaram efusivamente após a corrida pela lisura na disputa pelo terceiro lugar. “Depois da corrida de Curitiba, em que segurei o Ricardo (Baptista) durante umas dez voltas, fiquei escolado em defender posição”, brincou. “Quando o Franco chegou, tivemos uma briga muito boa, que valeu o final de semana.” Franco, por sua vez, resumiu a corrida: “Me diverti muito. Dá gosto correr assim”.

Resultado final da prova 15 da Porsche Cup:
1) 7-Clemente Lunardi, 16 voltas em 26:54.128, média de 153,699 km/k
2) 27-Ricardo Baptista, a 3.362
3) 55-Marcel Visconde, a 9.746
4) 70-Marcelo Franco, a 10.485
5) 89-Daniel Paludo, a 16.844
6) 40-Maurizio Billi, a 19.693
7) 99-Tom Valle, a 20.020
8) 51-Otávio Mesquita, a 20.956
9) 53-Ronaldo Kastropil, a 21.161
10) 10-Adalberto Baptista, a 40.101
11) 13-Pedro Queirolo, a 40.356
12) 75-Henrique Assunção, a 40.662
13) 11-Omilton Visconde Júnior, a 46.359
14) 18-Zeca Feffer, a 46.904
15) 8-Cristiano Piquet, a 47.334
16) 36-Charles Reed, a 47.500
17) 63-Sérgio Ribas, a 49.881
18) 52-Roberto Posses, a 1:11.198
19) 81-Fábio Viscardi, a 11 voltas (ponta de eixo/saída de pista)
Volta mais rápida: Clemente Lunardi, 1:39.161, média de 156,436 km/h
OBS: carro 52 punido com 30 segundos por atitude antidesportiva.

Classificação da Porsche Cup após 15 provas
1) Ricardo Baptista, 270 pontos (campeão); 2) Clemente Lunardi, 226; 3) Marcel Visconde, 206; 4) Fábio Viscardi, 201; 5) Marcelo Franco, 144,5; 6) Roberto Posses, 140; 7) Pedro Queirolo, 126; 8) Otávio Mesquita, 105; 9) Maurizio Billi, 100; 10) Zeca Feffer, 87; 11) Guilherme Figueirôa, 79; 12) Daniel Paludo, 73; 13) Omilton Visconde Júnior, 66; 14) Tom Valle, 59; 15) Adalberto Baptista, 55,5; 16) Sérgio Ribas, 51; 17) Ronaldo Kastropil, 35; 18) Henrique Assunção, 35; 19) Charles Reed, 33; 20) Eduardo de Souza Ramos, 30; 21) Esio Vichiese, 29; 22) Henry Visconde, 13; 23) Ricardo Landi, 11; 24) Cristiano Piquet, 2; 25) Fernando Croce, 1; 26) Marcos Barros, sem pontos.
Challenge: sai 1º campeão do domingo em Interlagos: Sylvio de Barros; vitória é de Azevedo

O primeiro dos três títulos deste domingo em Interlagos foi conquistado por Sylvio de Barros, que se tornou bicampeão da Porsche Challenge. A prova, que abriu o dia do GP do Brasil de Fórmula 1 de 2012, foi vencida por Eduardo Azevedo, que repetiu feito de 2011, quando também foi o vencedor desta etapa. Com uma segunda posição, Sylvio garantiu matematicamente a conquista de mais uma taça com uma prova de antecedência, assim como no ano passado. A corrida foi agitada e teve três pilotos que passaram pela liderança.

Azevedo, quarto do grid, foi à terceira posição na largada, somente atrás de Daniel Schneider e Sylvio, e assumiu a primeira posição na quarta volta, na qual houve todas as mudanças de líder. “Quando o Daniel errou [no S do Senna e caiu para terceiro], entrei bem junto do Sylvio na Reta Oposta e sabia que, se eu colocasse de lado, ele me deixaria passar”, disse. “Estava num ritmo muito bom e administrei a liderança. Quando vi que estávamos distantes dos outros, segurei, pois sabia que o Sylvio não colocaria nada em risco.”

O vencedor classificou como “incrível” a sensação de vencer pela segunda vez na preliminar da F1 e fez dedicatórias: “Gostaria de dedicar esta vitória à minha família, à minha esposa, aos meus filhos e também à Manuela Soriano, filha de um amigo, que nasceu prematura e está no hospital”.

Sylvio, que era o pole position, admitiu ter largado mal. “Schneider pulou na frente, mas consegui segurar a segunda posição. Ele estava muito devagar e o Eduardo, me pressionando. Sabia que eu tinha de superar o Daniel, o que consegui fazer na reta principal, mas errei na Curva do Sol e o Eduardo me ultrapassou ali no Lago”, contou. “Fiquei atrás dele e tentei recuperar a posição duas vezes, mas vi que não daria, pois ele estava num ritmo bem forte. Fiquei mais confortável quando me disseram pelo rádio que o Schneider estava para trás.”

O bicampeão valorizou a amizade entre os pilotos da Porsche Challenge: “Essa galera é muito legal. O bicampeonato é, na verdade, uma consequência da diversão que tenho com essa turma. O que vale é a amizade, os novos amigos que fiz aqui”. Ele foi a 129 pontos e não poderá ser mais alcançado na etapa final de daqui a duas semanas, também em Interlagos.

Gilberto Farah, terceiro colocado, mesma posição em que largou, afirmou ter tido dificuldades logo no começo, quando havia ainda pontos úmidos na pista. “Foi difícil estabelecer os pontos de frenagem, mas, como perdi duas posições na largada, via mais ou menos onde os carros que estavam à minha frente freavam. O Sylvio largou mal, e o Edu Azevedo e o Guedes me ultrapassaram. Mas recuperei alguns lugares e consegui segurar o terceiro. Estou satisfeito”.

Edu Guedes, que fez a melhor volta da prova, Franco Giaffone e Guilherme Ribas preencheram as três posições seguintes e também foram ao pódio. Johnny Freire, Carlos Silveira, Carlos Ambrósio e Esio Vichiese completaram os dez primeiros colocados. Daniel Schneider teve problemas de pneu após uma frenagem forte e não completou a última volta.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.